Como denunciar pastores e obreiros corruptos

 

Autor da imagem: Jasiel Botelho

A Justiça Brasileira não tem o que fazer em relação aos que pregam mentiras em nome de Jesus, não tem como controlar quem interpreta corretamente ou não.Não tem como impedir que pessoas peçam no púlpito quantias exorbitantes até mesmo de pessoas que não tem o necessário para se sustentar.

Mas ela pode punir pessoas que usem o dinheiro ou os bens arrecadados pela igreja para fins pessoais.

Legalmente, o pastor pode receber salário, mas nada além disso(não pode pagar empregados particulares e comprar casas e veículos com o dinheiro da igreja, por exemplo).

Se você tem alguma prova de que dinheiro ou bens de sua igreja ou de alguma igreja que conheça está sendo usado para fins pessoais , denuncie.

Só assim as coisas podem começar a melhorar.

Abaixo um vídeo que esclarece melhor o assunto:

 

Ofertar é semear riquezas?

“E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará.”  (II Coríntios 9 : 6)

Em 2007 foi divulgada na internet parte de uma mensagem de Silas Malafaia onde ele dizia que a oferta era uma analogia da semente e que quem oferta devia dar como quem semeia, na expectativa de colher.

Segundo a interpretação dele, quem oferta deve esperar colher riquezas espirituais e materiais.

Segundo o verso que citei acima (que aparece num contexto de doação) realmente a doação é comparada a uma semente e há expectativa de colheita.

Mas o que deve motivá-la é o amor.

“Não digo isto como quem manda, mas para provar, pela diligência dos outros, a sinceridade de vosso amor.”  (II Coríntios 8 : 8 )

Além disso, a colheita  não é descrita como um acréscimo de riquezas e sim como uma ajuda no momento de escassez:

Mas, não digo isto para que os outros tenham alívio, e vós opressão,
Mas para igualdade; neste tempo presente, a vossa abundância supra a falta dos outros, para que também a sua abundância supra a vossa falta, e haja igualdade;
Como está escrito: O que muito colheu não teve de mais; e o que pouco, não teve de menos.(II Coríntios 8:13-15)

Em outras palavras, convinha que eles doassem e ajudassem os irmãos necessitados porque no momento em que passassem necessidade, e os outros irmãos tivessem condições,eles os ajudariam e assim eles receberiam conforme plantaram.

Quem doa para quem necessita, além de emprestar a Deus, também  semeia para colher no dia da sua necessidade.

Porém não se deve exagerar, pois não se exige de nós (e nem deles o foi) o que não podemos dar.

“Porque, se há prontidão de vontade, será aceita segundo o que qualquer tem, e não segundo o que não tem.”  (II Coríntios 8 : 12)

Se discorda, comente. 🙂