O cristão e as eleições

Algumas pessoas acham que não devem votar porque isso estaria sendo uma rejeição ao governo de Cristo.

Isso se baseia, em parte, nos relatos bíblicos acerca do pedido de Israel a Deus de um rei:

Disseram a Samuel que desde que ele se aposentou as coisas tinham mudado muito, pois seus filhos não eram homens de bem.

“Escolha um rei para nós; veja que todas as outras nações têm seu rei”, disseram os chefes de Israel.Samuel não ficou contente com esse pedido de um rei, e orou ao Senhor pedindo conselho.

“Faça o que eles pedem”, respondeu o Senhor, “pois é a Mim que rejeitam, e não a você eles não querem mais que Eu seja o Rei deles.Desde quando os tirei do Egito, continuamente Me abandonaram e seguiram a outros deuses. E agora tratam a você da mesma maneira.
(I Samuel 8:4-8)

Essa passagem fala de um povo que já tinha um líder temente a Deus e que queria algo mais parecido com as outras nações.Por isso é dito que eles estavam rejeitando o reinado de Deus.Não era o caso de uma democracia, evidentemente.

A maioria dos cristãos hoje vivem em democracias e nas eleições tem a chance de escolher um governante para continuar cuidando de uma cidade, estado ou país.Não há a opção, no momento, de ser governado apenas por um homem de Deus.Sabemos que Cristo reinará um dia, mas enquanto ele não volta, é aqui que vivemos e são homens (crentes ou não) que nos governarão.

Paulo diz que devemos orar pelos governantes para que tenhamos uma boa vida:

Ore dessa forma pelos reis, e por todos os outros que têm autoridade sobre nós ou que ocupem cargos de alta responsabilidade, a fim de que possamos viver em paz e tranqüilidade, gastando o nosso tempo em viver piedosamente e pensar muito a respeito do Senhor.
(I Timóteo 2:2)

Na época dele, os que o liam não escolhiam seus governantes.Se ele aconselha a orar por eles para que se pudesse ter uma boa vida, provavelmente também nos diria que deveríamos fazer nossa parte nas eleições e procurar votar naquele que nos pareça o melhor candidato possível para aquela vaga.

Os governantes por quem Paulo aconselha orar provavelmente não eram cristãos e nem mesmo corretos, de acordo com os ensinamentos bíblicos.Não devemos crer que só possamos votar hoje em um candidato que se diga evangélico ou cristão mas em qualquer candidato que possa ajudar nossa cidade, estado ou país, independentemente da sua crença, opção sexual ou comportamentos biblicamente errados mas que não afetem o governo.

Achar que basta orar seja lá qual for o candidato eleito é o mesmo que achar que basta orar e não agir ou ajudar.A fé sem obras é morta, como já sabemos.

“Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo?”  (Tiago 2 : 14)

No caso das eleições, somente orar pelo bem das pessoas e dos governantes e não ajudar a eleger um bom candidato ao invés de um ruim (ou um menos ruim no lugar de um pior) não salvará a cidade.

Pense nisso.

Cristãos contra gays?

Bert and Ernie: Getting Trashed on Pinot Noir / 20090917.10D.53958.SQ / SML
Creative Commons License photo credit: See-ming Lee 李思明 SML

“E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.”  (João 8 : 7)

Não há dúvidas que a Bíblia trate a homossexualidade como algo não natural e não ideal, mas ela não manda a gente prejudicar as pessoas que escolhem ser assim (pelo menos não no Novo Testamento).

Discordar do relacionamento homossexual não significa não amar a quem assim seja, mas se opor a leis que protegem, por acaso, eles, pode ser uma atitude de desamor, ainda que a pessoa não tenha consciência disso.

Jesus falou da prostituição, por exemplo, como algo ruim mas tratava as prostitutas com respeito e carinho e nunca disse que se houvesse alguma lei regularizando a prostituição os seus discípulos deveriam ser contra.

“Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.”  (Mateus 15 : 19)

A lei que reconhece a união entre gays é apenas uma lei que tenta proteger alguns gays que após terminarem um relacionamento poderiam ser prejudicados mas agora tem como exigir na justiça seus direitos; mas há muitos cristãos se opondo a ela.

O que é essa oposição senão tentar prejudicar os gays?Será que essas pessoas acham que os gays tem mais chance de deixarem de ser gays se continuarem sem direitos assegurados nessa área?

Será que deixaram de crer na ação do Espírito e querem impor a força e a violência para ver se assim eles mudam?

Ser contra a relação entre pessoas do mesmo sexo é uma coisa, ser contra uma lei que as protege em certo aspecto é outra.

Você quer mesmo atirar essa pedra?

Pense nisso.

O que é a Graça de Deus?

Gift :D

“Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.”  (Romanos 3 : 24)

Você sabe o que é a Graça de Deus? Sabe para que ela serve?

Muitos provavelmente darão a resposta padrão: “Graça é favor imerecido”
Mas que favor é esse?
Em que esse favor não merecido afeta a minha vida?
Qual é esse favor que eu recebo sem merecer?

Ora, o favor imerecido de que Paulo fala é a salvação sem merecimento.

Sim, pela graça somos salvos sem merecer a salvação!

“Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.”  (Romanos 4 : 5)

É importante que se diga isso (mesmo sendo óbvio para muitos, ainda que só na teoria) pois ainda há quem pense que a graça nos salva mas não nos salva totalmente, pois ainda precisamos nos salvar por nossas obras.
É o que aprendi, de forma direta ou indireta, nas várias igrejas evangélicas por onde passei até conhecer o Caminho da Graça do pastor Caio Fábio.
Não que eu só tenha entendido a Graça através do Caio, mas, fora Paulo, ele foi um dos primeiros que eu achei que falou dela claramente.
Paulo diz diversas vezes que ou a pessoa se salva pela fé ou pelas obras(na verdade essa é uma impossibilidade, mas há quem tente), não há como ser metade pela graça e metade pelas obras.

“…o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.”  (Gálatas 2 : 16)

Como você entende a Graça de Deus?Foi ensinado de forma satisfatória em sua igreja acerca dela?

Esse post faz parte da blogagem coletiva sobre a Graça de Deus, promovida pelo blog Celebrai! na sua 2ª promoção.

Creative Commons License photo credit: MarcinMoga / Lolek