O Céu não tem que ser chato

A muralha era feita de jaspe e a cidade de ouro puro, semelhante ao vidro puro.
Os fundamentos das muros da cidade eram ornamentados com toda sorte de pedras preciosas. O primeiro fundamento era ornamentado com jaspe; o segundo com safira; o terceiro com calcedônia; o quarto com esmeralda;

o quinto com sardônio; o sexto com sárdio; o sétimo com crisólito; o oitavo com berilo; o nono com topázio; o décimo com crisópraso; o décimo primeiro com jacinto; e o décimo segundo com ametista.

As doze portas eram doze pérolas, cada porta feita de uma única pérola. A rua principal da cidade era de ouro puro, como vidro transparente.

Apocalipse 21:18-21

E Deus viu tudo o que havia feito, e tudo havia ficado muito bom.
Gênesis 1:31

Eu nunca tive facilidade para aceitar que o Céu fosse como me diziam que era.

A primeira imagem do Céu que tive e que a maioria das pessoas conhece era a imagem de um lugar branco, cheio de nuvens, com músicas suaves (de preferência tocadas com instrumentos de corda) e sem muita coisa para fazer, senão orar, conversar e cantar.

A segunda imagem (que foi a que me passaram em igrejas evangélicas e que eu tive, também, sozinho ao ler Apocalipse literalmente) era de um lugar todo feito de pedras preciosas onde provavelmente eu teria de cantar o tempo todo e achar isso legal.

A primeira descrição do céu é a que permite que hajam tantas brincadeiras dizendo que o inferno será um lugar mais agradável para ficar, pois todos os prazeres (bons ou ruins) que seriam cortados no céu estariam a disposição no inferno.

Essas três imagens são falsas (estou incluindo a do inferno).São baseadas em interpretações equivocadas que levam a sério interpretações literais de certas passagens bíblicas simbólicas, moral e tradição.

Não é possível que, Deus tendo criado um mundo como o nosso, com todas as belezas que tem, animais e tudo o mais vá achar legal nos recompensar com um Céu inferior à Terra.

O Céu tem que ter no mínimo as cores que aqui temos, as belezas, as formas de vida e tudo o que é bom aos nossos sentidos e aos dEle também.

Deus não tem nenhum interesse especial em pedras preciosas.Ele apenas descreve a Nova Jerusalém mencionando pedras para demonstrar o valor imenso que ela terá.

Ele usou essa linguagem porque é a que muitos de nós entenderíamos devido à nossas limitações.

Deus não pensa como a gente, mas fala de acordo com o que podemos entender.

Se não for assim, então o Milênio acaba sendo mais interessante do que a vida eterna;é por isso que a maioria dos “testemunhas de Jeová” preferem ficar na Terra do que ir “governar no Céu”.

Ou como diria Caio Fábio de Araújo filho: ”o Céu dos crentes é um inferno”

 

Obs: Por incrível que pareça, a primeira imagem menos chata do Céu que tive foi numa revista da Escola Bíblica Dominical da Assembléia de Deus para “juvenis”.

E você?Como imagina o Céu?

 

Vale tudo para sustentar um ministério?

Day 187
Creative Commons License photo credit: pasukaru76 (catching up)

“Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros.”  (Efésios 4 : 25)

“Porque a nossa exortação não foi com engano, nem com imundícia, nem com fraudulência;”  (I Tessalonicenses 2 : 3)

Muita gente, quando vê que alguém está criticando as pregações que normalmente são feitas sobre  dízimo ou a teologia da prosperidade tenta defender tais ensinos dizendo que se as ofertas não forem acompanhadas de tais ensinos não é possível pagar as contas das instituições, pois ninguém (ou quase ninguém) doará.

Para tais pessoas, Deus autoriza que se minta e manipule desde que seja por um “bom motivo”: sustentar o ministério.

Sim!Para tais pessoas certa “obra de Deus” é algo que Deus considera imprescindível mas ao mesmo tempo ele não dá condições para que a obra seja sustentada de maneira correta e limpa.

É como se Ele dissesse:

”Isso é importante mas eu não vou ajudar em nada,deem um jeito de manter, custe o que custar.Vocês tem carta branca.”

Eu não sou contra quem queira dar 10% ou mais do que ganha e nem acho que dar essa quantia seja um erro ou exagero, creio que ofertar (sendo por amor e se tendo plena consciência do que está fazendo) é algo bom e também creio que não dar nada ou quase nada (havendo condições reais de se dar mais que isso) seja ruim.

“Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.”  (Atos 20 : 35)

Mas é preciso que haja sinceridade no pedir.

Não se pode mentir dizendo que Deus será obrigado a dar uma condição de vida melhor para a pessoa caso ela oferte e nem dizer que se ela não dizimar irá para o inferno.

Se pregando de forma honesta não for possível sustentar uma suposta “obra de Deus” é porque Deus mesmo não está tão preocupado com tal “obra” e é melhor deixar que a coisa termine ou pelo menos diminua até um ponto em que possa ser sustentada de maneira limpa.

É o que eu creio que o Evangelho ensina.

Não vemos em lugar algum Jesus usando de mentiras para conseguir ofertas.

Paulo, embora preferisse ter condições de se dedicar somente à pregação, quando via que não conseguiria ser sustentado ou que ser sustentado causaria escândalo trabalhava para poder se sustentar.

Alguém tem dúvidas de que em qualquer tempo seria útil Paulo pregando o tempo todo?Aparentemente Deus não fez questão disso e Paulo também não usou de mentiras para que as coisas fossem assim.

Não dá para manter de forma honesta?Deixe falir.

Deus mantém o que é imprescindível.

“Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”  (Lucas 12 : 31)

Deus não depende de pregadores para falar

Golden Light

Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.

Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; (Romanos 1:19,20)

“Mas digo: Porventura não ouviram? Sim, por certo, pois Por toda a terra saiu a voz deles, E as suas palavras até aos confins do mundo.”  (Romanos 10 : 18)

Paulo cria que era possível conhecer a Deus e crer nEle sem nunca ter ouvido uma pregação evangélica, apenas através da observação da natureza.

No verso acima ele cita um versículo do Salmo 19 para “basear biblicamente” seu pensamento.

O salmo 19 tem vários versos que falam sobre a pregação da natureza:

Os céus declaram a glória de Deus

e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.

Um dia faz declaração a outro dia,

e uma noite mostra sabedoria a outra noite.

Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz.

A sua linha se estende por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo.

Neles pôs uma tenda para o sol, o qual é como um noivo que sai do seu tálamo, e se alegra como um herói, a correr o seu caminho.A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até à outra extremidade, e nada se esconde ao seu calor.(Salmo 19:1-6)

Podemos ver, então, que não é bíblico o pensamento de que toda pessoa que nunca ouviu uma pregação pela boca de um crente vai para o inferno.

Deus fala de diversas formas e não há quem nunca o tenha ouvido de uma forma ou outra, de modo que a pessoa sempre poderá escolher crer ou não.

É claro que quem conhecer a Deus através da criação não terá os detalhes que nós temos através da Escritura, mas terá o suficiente para ser crer e ser salvo.

Isso não torna inútil o trabalho dos pregadores, apenas mostra que eles tem o privilégio de colaborar com a obra de Deus embora Deus não dependa deles para salvar ninguém.

Aprenda mais sobre esse assunto na mensagem O fenômeno da comunicação divina, do pastor Caio Fábio.

Esse texto serve como introdução à nova categoria imagens que conterá, a principio, imagens da criação citadas em textos bíblicos como sendo imagens que ensinam coisas.

Deixo uma pergunta aos leitores teólogos:Paulo fez bom uso da hermenêutica ao fazer a interpretação que fez sobre o Salmo 19?

Creative Commons License photo credit: Paulo Brandão