Boas obras e suas recompensas

“Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita; Para que a tua esmola seja dada em secreto;

e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente.”  (Mateus 6 : 2-4)

Jesus diz que toda boa obra é recompensada de uma forma ou outra.

Há os que fazem e mostram que fizeram e são recompensados pelo louvor dos homens.

Recentemente o Google fez uma doação de 20 milhões de dólares para instituições de caridade.

Qual a recompensa deles?Segundo eles próprios, é presentear aos seus usuários.

Ou seja, ao invés de gastar com um presente direto aos usuários, os presenteia com a sensação de terem uma parte no bem praticado pela empresa a outros.

A recompensa dele é ser bem visto por seus usuários.

Essa é uma forma de ser recompensado pelo bem que faz, mas Jesus propõe que se escolha outro tipo de recompensa, a recompensa de Deus.

Para isso, ele recomenda que se faça o bem movido apenas por amor, sem contar para ninguém.

Não que o contar em si seja errado, mas é sempre uma tentação a que se faça as coisas pela motivação errada.

Jesus fez muitas boas obras enquanto estava em carne mas na maioria das vezes pedia para que não espalhassem, exemplificando seu ensino.

Houve um momento, porém, que pediu que contassem o que fazia a fim de animar um João Batista confuso:

E João, ouvindo no cárcere falar dos feitos de Cristo, enviou dois dos seus discípulos, a dizer-lhe:

És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro?

E Jesus, respondendo, disse-lhes:

Ide, e anunciai a João as coisas que ouvis e vedes:Os cegos vêem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho.(Mateus 11:2-5)

Nesse caso, por amor se deveria contar ao invés de esconder(ainda que o bem não tivesse sido feito apenas com a motivação de animar João).

Logo,não é o contar ou não contar que importa mas sim a motivação por trás da boa obra.

Cada um será recompensado de acordo com sua motivação.

Cada um escolha a recompensa que quer receber e não reclame depois.

Você nunca adulterou?

The Seventh Commandment
Creative Commons License photo credit: pasukaru76

Vejo muita gente desprezando quem já adulterou, como se se considerasse muito superior à tais pessoas.

Mesmo quando a pessoa que adulterou um dia já se arrependeu há muito tempo, ainda resta um certo desprezo no olhar daqueles que nunca fizeram tal ato.

Esse sentimento de superioridade se assemelha ao do fariseu de uma das parábolas contadas por Jesus:

E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros:

Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano.

O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira:

Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.

Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.

O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo:

Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!

Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.(Lucas 18:9-14)

Quem nutre esse sentimento de superioridade e desprezo pelos adúlteros (ou ex-adúlteros) além de não ser justificado diante de Deus, ainda pode ser um hipócrita, pois, segundo Jesus:

“…qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.”  (Mateus 5 : 28)

Jesus nunca disse que o adultério do coração era menos grave do que o físico, de modo que tanto faz se você já saiu com a mulher alheia ou se você apenas fantasiou isso, diante dEle você é adultero.

A menos que você nunca tenha fantasiado nada com quem não deveria fantasiar.

Creusa e a sua repercussão entre os evangélicos

Creusa era uma das personagens da novela América da Rede Globo e foi interpretada por alguns “evangélicos” como uma sátira a eles; alguns chegam ao ponto de dizer que Creusa sujou a imagem dos crentes.
No perfil da personagem, desde o inicio se dizia que Creusa era uma religiosa hipócrita(não somente evangélica mas frequentadora de várias religiões).


Porém os evangélicos se identificaram com ela devido ao seu modo de se vestir e se portar quando fingia ser religiosa, achando que seria uma critica direta a eles o modo ruim como se comportava.
A meu ver a personagem Creusa não sujou imagem alguma, apenas retratou uma realidade que já existia e era conhecida, a de que costumes não tem valor contra a sensualidade.
Paulo fala disso em uma de suas cartas:

Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.
Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão, e não ligado à cabeça, da qual todo o corpo, provido e organizado pelas juntas e ligaduras, vai crescendo em aumento de Deus.
Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como:
Não toques, não proves, não manuseies?
As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens;
As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne. (Colossenses2:16-23)

Portanto, negar Creusa é negar algo relatado na palavra.
Creusa não era uma cristã em quem pudéssemos nos espelhar desde o momento em que se vestia “evangélicamente” e não somente depois de se “revelar” uma mulher devassa
Que possamos compreender melhor a Palavra a cada dia.