Qual foi o pecado de Onã?


Ele

Há diversas interpretações erradas acerca do pecado de Onã, a mais popular dela talvez seja a de que o pecado de Onã tenha sido a masturbação, daí terem criado a palavra onanismo para se referir à ela (embora uma leitura superficial da passagem já dê a entender que o que Genesis narra que ele fazia era coito interrompido, não masturbação ).
Há também quem pareça pensar que o esperma é sagrado e por isso Deus ficaria incomodado quando ele toca a terra ou outro lugar “profano”, como se pode observar num dos comentários feitos no meu texto sobre sodomia:

“…Deus matou Omã,por se recusar a cumprir o ato sexual na sua plenitude(derramava o semem na terra)Gênesis38:9.O que ELE pensaria se em vez da terra fosse «derramado» no orgão excretor,o anûs?”

Outros podem achar que o pecado seria o desperdício de esperma, mas, se Deus realmente ficasse incomodado com isso, imagino que ele faria com que a mulher fosse sempre fértil(para que jamais houvesse desperdício algum) e não existiria nem mesmo a polução noturna.

Olhando o contexto vemos que o pecado de Onã foi não querer dar descendência ao seu irmão, deixando assim de cumprir as leis da época (de que sempre que um homem morresse sem ter filhos seu irmão lhe desse descendentes).

Então disse Judá a Onã:

Toma a mulher do teu irmão, e casa-te com ela, e suscita descendência a teu irmão.

Onã, porém, soube que esta descendência não havia de ser para ele; e aconteceu que, quando possuía a mulher de seu irmão, derramava o sêmen na terra, para não dar descendência a seu irmão.

E o que fazia era mau aos olhos do SENHOR, pelo que também o matou.

(Genesis 38:8-10)

O pecado de Onã foi o egoísmo de não querer gerar um filho que não fosse carregar seu próprio nome, mas sim o do irmão; o esperma no chão é só um detalhe.

Qual a sua interpretação?Deixe ela nos comentários e ajude a divulgar o post, se acha que ele é importante.
Obs: Não é minha intenção nesse post discutir sobre a relevância de tais leis antigas e nem sobre a forma como Deus castigou Onã (embora eu não veja problema em discutir tais coisas também), apenas quis chamar a atenção para as interpretações bizarras que surgem quando a pessoa lê apenas versos isolados juntamente com interpretações de tolos.

Creative Commons License photo credit: Evil Preacher

Jó mereceu sua tragédia?

“E disse o SENHOR a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal.”  (Jó 1 : 8 )

Alguns crentes pensam que toda pessoa que serve a Deus verdadeiramente só se dá bem na vida e por isso dizem que Jó deu brecha ao diabo, senão ele não teria sofrido a tragédia que sofreu, mas não é isso que o próprio livro diz.

Não que Jó não pecasse, mas a sua tragédia não foi castigo por pecado algum.

No encontro do diabo com Deus, logo no início do livro, vemos que Deus só tem bem a falar de Jó.

Já o diabo não tem o que dizer, somente especula sobre a possibilidade de Jó vir a blasfemar caso sofresse uma grande perca.

“Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face.”  (Jó 1 : 11)

“Porém estende a tua mão, e toca-lhe nos ossos, e na carne, e verás se não blasfema contra ti na tua face!”  (Jó 2 : 5)

Logo vemos que nem Deus e nem o diabo criam que Jó merecesse a tragédia antes que ela caísse sobre ele.

Quem começa a lançar suspeitas de que Jó poderia estar merecendo seu castigo foram seus “amigos” e isso porque descreviam o mundo de uma forma irreal, como se realmente todo justo só se desse bem e todo ímpio fosse prontamente castigado(Jó 4-37).

Jó nega as acusações deles até o momento em que decide parar de responder(Jó 31:40).

Muita gente se encanta com os louvores a Deus proferidos pelos amigos de Jó e não percebe que nem tudo o que eles diziam tinha sentido, eram somente “meias-verdades”.

Isso é confirmado pelo que Deus diz no final do livro sobre Jó ser o único que tinha falado corretamente acerca dEle:

“Sucedeu que, acabando o SENHOR de falar a Jó aquelas palavras, o SENHOR disse a Elifaz, o temanita: A minha ira se acendeu contra ti, e contra os teus dois amigos, porque não falastes de mim o que era reto, como o meu servo Jó.”  (Jó 42 : 7)

Logo vemos que não há base bíblica para dizer que Jó tenha merecido sua tragédia e quem nega isso acaba caindo no mesmo erro dos amigos de Jó, contra os quais Deus se irou.

Para quem quiser entender melhor o livro de Jó recomendo o livro O enigma da Graça – Comentários ao livro de Jó e a mensagem em áudio Deus contra Deus, ambos de autoria do pastor Caio Fábio.