A fé sem obras é morta

The Gift of Unconditional Love, Calipso/El Regalo de Amor Incondicional, Calipso.
Creative Commons License photo credit: AmazonCARES

“Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.” (Tiago 2 : 26)

Ao contrário do que muitos pensam, Tiago não contraria Paulo, no seu ensino sobre a salvação pela fé, no verso acima, ele apenas aprofunda o ensino acerca da fé real.

Tiago não diz que as obras salvem alguém, apenas diz que algo que alguém chame de “sua fé” mas que não mude em nada seu modo de viver não é fé real e portanto não salvou tal pessoa.

A fé real faz com que se inicie um relacionamento com Deus através de Graça e esse relacionamento começa a nos transformar desde já, gerando obras.

Salvação não é algo que faça diferença só no fim dos tempos, ela começa aqui.

“Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.” (Tiago 2 : 18)

Boas obras e suas recompensas

“Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita; Para que a tua esmola seja dada em secreto;

e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente.”  (Mateus 6 : 2-4)

Jesus diz que toda boa obra é recompensada de uma forma ou outra.

Há os que fazem e mostram que fizeram e são recompensados pelo louvor dos homens.

Recentemente o Google fez uma doação de 20 milhões de dólares para instituições de caridade.

Qual a recompensa deles?Segundo eles próprios, é presentear aos seus usuários.

Ou seja, ao invés de gastar com um presente direto aos usuários, os presenteia com a sensação de terem uma parte no bem praticado pela empresa a outros.

A recompensa dele é ser bem visto por seus usuários.

Essa é uma forma de ser recompensado pelo bem que faz, mas Jesus propõe que se escolha outro tipo de recompensa, a recompensa de Deus.

Para isso, ele recomenda que se faça o bem movido apenas por amor, sem contar para ninguém.

Não que o contar em si seja errado, mas é sempre uma tentação a que se faça as coisas pela motivação errada.

Jesus fez muitas boas obras enquanto estava em carne mas na maioria das vezes pedia para que não espalhassem, exemplificando seu ensino.

Houve um momento, porém, que pediu que contassem o que fazia a fim de animar um João Batista confuso:

E João, ouvindo no cárcere falar dos feitos de Cristo, enviou dois dos seus discípulos, a dizer-lhe:

És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro?

E Jesus, respondendo, disse-lhes:

Ide, e anunciai a João as coisas que ouvis e vedes:Os cegos vêem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho.(Mateus 11:2-5)

Nesse caso, por amor se deveria contar ao invés de esconder(ainda que o bem não tivesse sido feito apenas com a motivação de animar João).

Logo,não é o contar ou não contar que importa mas sim a motivação por trás da boa obra.

Cada um será recompensado de acordo com sua motivação.

Cada um escolha a recompensa que quer receber e não reclame depois.

João Alexandre – É proibido pensar

 

“ESTAI, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão.” (Gálatas 5 : 1)

João Alexandre nessa canção fala sobre vários modismos evangélicos que parecem coisas inofensivas, mas que acabam trazendo às pessoas conceitos anti bíblicos e medievais. Continue reading