Sacrifício de uma filha – o caso de Jefté

photo: leo.jeje

E Jefté fez um voto ao SENHOR, e disse: Se totalmente deres os filhos de Amom na minha mão, aquilo que, saindo da porta de minha casa, me sair ao encontro, voltando eu dos filhos de Amom em paz, isso será do SENHOR, e o oferecerei em holocausto.

Vindo, pois, Jefté a Mizpá, à sua casa, eis que a sua filha lhe saiu ao encontro com adufes e com danças; e era ela a única filha; não tinha ele outro filho nem filha. (Juízes 11:30,34)

Ouvi dizer que alguém teria usado, numa pregação, a história de Jefté como exemplo de um homem que deu a Deus o melhor que tinha.Quem conhece a história sabe (ou tem a impressão) que não foi escolha de Jefté sacrificar a filha, mas que ele realmente pretendia dar algo de valor para Deus em troca da vitória numa batalha.

Essa tentativa dele e de tantos outros do Antigo Testamento revela uma certo paganismo presente em vários homens da antiguidade que não faziam ideia  da existência da Graça de Deus.

Jefté era um homem de fé, inclusive sendo elogiado no livro de Hebreus ,no entanto, o fato de ser elogiado e estar na lista dos “heróis da fé”, não faz com que tudo o que Jefté tenha feito tenha sido correto.

Deus nada diz sobre o voto de Jefté, nem a favor nem contra, apenas atende ao pedido dele, o que não quer dizer que Deus exigiria o cumprimento do voto louco que ele fez.

A lei de Moisés condenava a prática de sacrifícios humanos, mas há grande chance de que Jefté não a conhecesse a fundo ou achasse que poderia abrir uma excessão, já que tinha se feito um voto e, supostamente, deveria cumpri-lo a todo custo.

Embora, aparentemente, Jefté não quisesse sacrificar a filha, pode ser que pretendesse sacrificar alguma pessoa, já que pretendia sacrificar alguém ou algo que viesse ao seu encontro.É de se imaginar que Jefté não pretendesse ver saindo de sua casa um animal do tipo que normalmente era sacrificado.Pode ser que ele pensasse num animal doméstico ou então uma pessoa que não fosse tão importante para ele, talvez um escravo que ele possuísse e que viesse lhe oferecer seus serviços na sua chegada.

Pode parecer chocante, mas os valores da época (aos olhos dos homens, mesmo os que criam em Deus) eram outros.

Não creio que o sacrifício da filha possa ter sido somente ela ter ficado virgem para sempre, servindo no tabernáculo.Jefté fala em holocausto, que era, quase sempre, uma oferta queimada.

Que todos tomem mais cuidado ao usar passagens do AT.Na dúvida, não usem, pois o Novo Testamento  já tem tudo o que precisamos.

Deus não habita em templos

San Bartolomé
Creative Commons License photo credit: sıɐԀ ɹǝıʌɐſ

 

“O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;”  (Atos 17 : 24)

“Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta:”  (Atos 7 : 48)

“Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?”  (I Coríntios 3 : 16)

Em primeiro lugar quero dizer que o termo “templos” usado no título do post usa a interpretação comum do que seria templo: um lugar onde Deus habita, lugar de adoração, lugar sagrado, etc.

A Bíblia, porém, nem sempre usa templo com o mesmo sentido que é usado hoje.

Hoje em dia qualquer prédio que tenha um rótulo escrito “igreja alguma coisa” ou então que tenha um formato que a nossa cultura associa a um “templo cristão” (normalmente chamado de igreja) é visto como um templo.

Na Bíblia, porém, havia um templo-prédio em todo o território de Israel, um “santo templo” que provavelmente se referia ao Céu e o Templo formado pelo grupo (Igreja) de Jesus.

O SENHOR está no seu santo templo, o trono do SENHOR está nos céus; os seus olhos estão atentos, e as suas pálpebras provam os filhos dos homens.”  (Salmos 11 : 4)

Embora apareçam todos esses tipos de templos na Bíblia, o templo-prédio não é algo que seja confirmado como algo a ser mantido no Novo Testamento e nem é um lugar onde possa se dizer que Deus em algum momento morou.

No Novo Testamento persiste o Templo Celeste e o Templo-Corpo, o templo é algo apenas mencionado como algo judeu e que vez ou outra foi usada pelos discípulos de Jesus assim como lugares ditos “pagãos” também o foram.

Deus nunca morou em construções humanas mas escolheu morar naquilo que Ele mesmo construiu: o homem.

Até mesmo Salomão, que construiu o primeiro templo para Deus, não cria que Deus fosse habitar ali:

“E eu te tenho edificado uma casa para morada, e um lugar para a tua eterna habitação.”  (II Crônicas 6:2)

“Mas, na verdade, habitaria Deus na terra? Eis que os céus, e até o céu dos céus, não te poderiam conter, quanto menos esta casa que eu tenho edificado.”  (I Reis 8 : 27)

Para que serviam os templos de pedra do Antigo Testamento, então?Serviam apenas como sombra das realidades que nos seria revelado no NT:

“Os quais servem de exemplo e sombra das coisas celestiais, como Moisés divinamente foi avisado, estando já para acabar o tabernáculo; porque foi dito: Olha, faze tudo conforme o modelo que no monte se te mostrou.”  (Hebreus 8 : 5)

Isso não quer dizer que seja errado ter um lugar fixo para reunir um grupo de crentes, apenas demonstra que para a adoração ocorrer não é necessário um local específico e que nenhum lugar tem importância por si mesmo mas só é importante enquanto ali houver pessoas que creiam em Deus.

“[…]crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai.
Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.”(João 4:21,23,24)

Quem pode batizar?

and were all made to drink of one Spirit

“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;”  (Mateus 28 : 19)

Jesus nunca disse que somente alguns cristãos especiais ou com algum dom deveriam batizar.

Ele diz a todos os que o seguem que, indo, preguem e batizem.

O pensamento de que somente pastores poderiam batizar não tem base em Jesus, nem no Novo Testamento e nem na Bíblia como um todo.

Provavelmente esse pensamento surgiu com base em interpretações erradas do Antigo Testamento como a de que o sacerdote no antigo testamento corresponde ao pastor no novo e por isso só o pastor pode executar ritos como batismo ou ceia.

No entanto, Apocalipse diz que todos somos sacerdotes, não somente os pastores:

“E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém.”  (Apocalipse 1 : 6)

“E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra.”  (Apocalipse 5 : 10)

“Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos.”  (Apocalipse 20 : 6)

Esse pensamento também pode ter surgido devido a pensamentos católicos que ainda existem nas mentes dos que se declaram reformados que, ao apenas tentarem “reformar” a coisa, acabaram deixando ficar coisas que não tem base bíblica.
Para quem quiser se aprofundar no assunto e verificar algumas passagens bíblicas recomendo o post do pastor Altair Germano chamado Quem pode batizar nas águas?A questão bíblica.

Creative Commons License Crédito da foto vanz