João Alexandre – É proibido pensar

 

“ESTAI, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão.” (Gálatas 5 : 1)

João Alexandre nessa canção fala sobre vários modismos evangélicos que parecem coisas inofensivas, mas que acabam trazendo às pessoas conceitos anti bíblicos e medievais.

Para quem conhece pouco esses conceitos pode parecer difícil pensar que tudo o que ele menciona direta ou indiretamente seja errado, mas se analisarmos a fundo veremos que são.
Shofar para quem não sabe é um instrumento que era usado pelo povo judeu, mas que foi adotado por algumas igrejas como instrumento profético (algo que não tem respaldo algum na Bíblia).
Recosturar o véu é recriar os sacerdotes que intercedem entre a pessoa e Deus e tapar novamente o livre acesso a Deus que agora temos coisa que acontece na maioria das igrejas em que se pensa que só o pastor pode fazer certas coisas por ser “ungido” (que na Graça todos somos).
Ressuscitar a lei e pisar na Graça é dizer para sermos salvos precisamos ter boas obras, sejam elas quais forem, e assim desprezar a salvação que o Senhor dá por Graça, sem que mereçamos.
Já o negociar com Deus é querer trocar qualquer coisa (dinheiro ou obras) pela bênção de Deus, coisa que acontece frequentemente na Universal e em tantas outras.

Ele cantou aquilo que acontece realmente, ainda que saiba que isso pode ter ofendido alguns dos que o apoiaram ou apoiam, como disse o Eliseu, o que me fez admirá-lo ainda mais.
Quem quiser ouvir mais músicas do João Alexandre, clique aqui.

(Visited 56 times, 1 visits today)
Tags , , , , , , , , , , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Roberto Donizeti Soares

Moro em Catiguá, interior de São Paulo. Sou psicólogo formado pelo Instituto de Ensino Superior de Catanduva (IMES Catanduva, antiga FAFICA) e trabalho em Catanduva, na Superintendência de Água e Esgoto de Catanduva. Li a Bíblia algumas vezes e continuo relendo e buscando um maior entendimento. Simpatizo com o movimento Caminho da Graça do pastor Caio Fábio de Araújo Filho. Gosto de teologia, sociologia, psicologia, antropologia, política, livros, filmes, música, gibis, jogos e brinquedos, entre outras coisas.

6 respostas para João Alexandre – É proibido pensar

  1. Eúde diz:
    Acho que é muito fácil se aproveitar da opinião de outro para tentar encontrar respaldo para nossas colocações. Não estou aqui querendo defender nenhum dos direta ou indiretamente mencionados nessa canção, a questão que venho ressaltar é que temos que nos abster dos legalismos criados ao longo da história cristã no Brasil por pessoas que permitiram que a letra os matassem esquecendo que a graça de Deus é multiforme e que não cabe a nenhum de nós querer julgar o nosso entendimento como o correto e acima de qualquer suspeita pois isto é hipocrisia. Nós falamos como se somente nos dias atuais existissem movimentos que alguns rotulam de “modismos evangélicos” porque já criamos um conceito disso através dos líderes que pregam tais coisas. Uma coisa é certa e não tenho dúvida Deus usou a cada um dos mencionados nesta canção isto não significa porém que os mesmos não tenham cometido alguns erros ou equívocos, afinal, quem de nós não já os cometeu, quem não é falho.
    E se os mesmos são perseguidos, é por que de alguma forma tem proclamados o nome de Cristo. Importa que sejamos perseguidos por causa do nome de Jesus.
    Só quero finalizar dizendo que já existem muitos movimentos que se levantam contra aqueles que confessam e pregam a Cristo seja qual for a estratégia ou visão que usem para o desenvolvimento do Reino, portanto vamos nos unir e aprendermos uns com os outros ao invés de nós mesmos tentarmos nos atacar. Graça e Paz.
  2. Robert diz:
    Creio que você não entendeu o que o cantor quis dizer.
    Não se trata apenas de formas diferentes de anunciar a Deus, mas também de formulas escravizantes e até antibíblicas.
    Se está contra a Palavra, não há como aplaudir
    E se você acha mesmo que ninguém deve ter certeza que está certo, não deveria ficar tão certo que foi Deus quem os usou nessas canções.
    Creio que sim que Deus possa os ter usado assim como a qualquer um, mas não creio que ele iria usar alguém em algo que vai contra sua própria Palavra.
    E não se engane pensando que porque alguém é criticado, significa que seja de Deus, afinal Paulo também repreendeu muita gente na sua época que queria ensinar Cristo misturado com modismos diversos.
    Isso você só verá quando ler a bíblia de forma pura, sem a olhar com os olhos da tradição evangélica.
    Graça e paz.
  3. Raone diz:
    Concordo com a Eúde disse, dizer que a letra mata é realmente verdade, mas quando se tem em mente que essa letra da qual ela se refere é a palavra de Deus é bom que pense antes de falar, pois a palavra de Deus é vida e direção pra quem serve ao Senhor… e quanto a mensionar que as pessoas ou movimentos mensionados na música foram usados por Deus… devemos lembrar que até uma jumenta e o próprio Faraó, como diz a palavra (que não é morta) de Deus… “meu servo faraó”. Concordo com a música, as pessoas n param pra pensar, não meditam mais na palavra, engolem tudo que lhes é conveniente e defendem isso com unhas e dentes porque é comodo pra elas acreditar e mais fácil que viver como Deus nos ordena.
  4. Day diz:
    Concordo com o João!!!!!
    sempre gostei do modo como ele escreve as músicas…

    do olhar crítico!
    doa a quem doer! heheh

    Deus abençoe o João!!

  5. suemar frota diz:
    bom dizer oq de João Alexandre o cara é fera msm, e mais a igreja no modo geral deveria rever o q anda acontecendo hoje em dia, as musicas são mais de auto-ajuda do q pra louvar a Deus “recebe isso, recebe aquilo…e por ai vai, e o verdadeiro evangelho vai ficando de lado por causa dessas novas “ondas” q surgem, e pior se prefirimos ficar com a Biblia somos caretas e antiquados, meu Deus tenha misericordia do teu povo pois realmente esta sendo destruido por falta de conhecimento..
    Q DEUS abençoe a todos..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mostrar um dos meus últimos posts

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.