Escola Bíblica e Revolução

Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina.
2 Timóteo 4:2

Ele disse isso quando ensinava na sinagoga de Cafarnaum.
João 6:59

Todos os sábados ele debatia na sinagoga, e convencia judeus e gregos.
Atos 18:4

A Escola Bíblica é o meu tipo de reunião favorito em igrejas pentecostais há um bom tempo, por alguns motivos:

  • Não há a bagunça dos cultos públicos onde todos começam a falar em línguas e ninguém entende nada.
  • Há um mínimo de qualidade no ensino, coisa que nem sempre há nas pregações em cultos públicos
  • Há variedade de temas que talvez jamais seriam abordados nem em cultos públicos nem em cultos de ensino
  • Há a possibilidade de que os alunos tenham acesso a ensinos mais elevados do que os obreiros de sua igreja ensinam
  • Há a possibilidade de que mais pessoas participem, mesmo que não sejam obreiros nomeados
  • Em algumas igrejas há classes separadas, o que pode ajudar pessoas de diferentes idades a entender melhor o assunto do que se estivessem todas juntas, além de dar mais liberdade ao professor que não é tão vigiado

Como usar a Escola Bíblica para uma revolução do Evangelho?Basta aproveitar as oportunidades para dizer o que o Evangelho realmente diz, usando como gancho os temas propostos nas lições.

Se você é professor, pode procurar por conteúdos que estejam relacionados com os temas da lição, ainda que não tenham sido preparados para esse fim.Não é necessário procurar só subsídios feitos por pessoas da sua igreja ou da editora que produziu a revista.

Pode-se instruir os alunos a que leiam a revista em casa e assim não perder tempo da aula com a leitura dela mas apenas estudando os temas dela muito além do que a lição aborda, numa aula que pode ser aproveitada tanto pelos que tem a revista quanto pelos que ainda não a tem.

Se você é aluno, pode aproveitar as várias oportunidades dadas na aula para participações para fazer comentários que enriqueçam a aula, provoquem polêmica, questionamentos e que forçem professores e alunos a irem além no assunto e no Evangelho.

Esse tipo de abordagem usada na Escola Bíblica pode afetar a igreja inteira, tornando os membros mais maduros, menos suscetíveis a heresias e modismos modernos, mesmo que os obreiros em si não colaborem para isso.

É a chance para todo aquele que tem coisas a dizer mas se sente impedido de fazê-lo no púlpito.É a sinagoga moderna.

(Visited 39 times, 1 visits today)
Tags , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Roberto Donizeti Soares

Moro em Catiguá, interior de São Paulo. Sou psicólogo formado pelo Instituto de Ensino Superior de Catanduva (IMES Catanduva, antiga FAFICA) e trabalho em Catanduva, na Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura. Li a Bíblia algumas vezes e continuo relendo e buscando um maior entendimento. Simpatizo com o movimento Caminho da Graça do pastor Caio Fábio de Araújo Filho. Gosto de teologia, sociologia, psicologia, antropologia, política, livros, filmes, música, gibis, jogos e brinquedos, entre outras coisas.

2 respostas para Escola Bíblica e Revolução

  1. claudio diz:

    melhoramos muito nossa escola com livros mais aprofundados e debatmoes todos sentandos durante 3 horas todos os domingos melhrou bastante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.