É possível sempre conciliar todos os versos num estudo bíblico?

Bible Study 2

“Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;”  (I Coríntios 13 : 9)

O Carlos Eduardo do extinto blog Ecos do Verbo dizia não concordar com o uso de um versículo em detrimento de outro.

Eu creio que mesmo que certos versos se complementem, pode levar algum tempo para que entendamos como é que eles se encaixam e até lá é normal nos identificar mais com um ou com outro.

Um exemplo disso é que há versos na Bíblia que dão a entender que todos serão salvos, enquanto há muitos que parecem dizer que alguns não serão.

Eu acredito que ambos se complementem mostrando que todos serão salvos, mas alguns dirão que a Bíblia diz que alguns serão condenados a perdição eterna.

Quem diz que alguns serão condenados é obrigado a ignorar ou reinterpretar versos que falam da salvação geral e quem diz que todos serão salvos acaba sendo obrigado a fazer o mesmo com os versos que falam sobre a punição dos ímpios.

E o mesmo acontece com diversas interpretações de diversas passagens bíblicas, por isso há tantos debates cristãos que não acabam nunca, já que ambos tem “bons argumentos bíblicos”.

Acredito então que, enquanto só conhecermos a Verdade em parte, acabaremos vez ou outra usando uma passagem “em detrimento” de outra, embora devamos buscar em Deus a sabedoria para saber como conciliar versos que parecem ter ensinamentos opostos entre si.

Além disso creio que a Palavra é Cristo e que se algum verso da Escritura contradiz o que Ele ensinou ou viveu, esse verso sim deve ser ignorado, pois o que não combina com Cristo não é Palavra.

E você?

Consegue defender todos as suas interpretações da Bíblia conciliando todos os versos de modo que nenhum nem mesmo pareça o contradizer?

(Visited 62 times, 1 visits today)
Tags , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Roberto Donizeti Soares

Moro em Catiguá, interior de São Paulo. Sou psicólogo formado pelo Instituto de Ensino Superior de Catanduva (IMES Catanduva, antiga FAFICA) e trabalho em Catanduva, na Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura. Li a Bíblia algumas vezes e continuo relendo e buscando um maior entendimento. Simpatizo com o movimento Caminho da Graça do pastor Caio Fábio de Araújo Filho. Gosto de teologia, sociologia, psicologia, antropologia, política, livros, filmes, música, gibis, jogos e brinquedos, entre outras coisas.

11 respostas para É possível sempre conciliar todos os versos num estudo bíblico?

  1. Eu não tenho certeza disso, já fui ownado biblicamente (risos), mas depois de ler Albert Barnes dentre tantos bons intérpretes da bíblia ela vai se esclarecendo.

    É até prazeiroso investigar, a cada leitura dá para visualizar novos detalhes.

    O que você deve ter visto é um debate de leigos, mas confesso que já ri de debate de pessoas “instruídas”, pois ignoram a instrução da teologia e partem para o fundamentalismo umbiguista contorcendo os textos.

    Tentam adequar as Escrituras ao grupo, e não o contrário infelizmente…

    Último post de Charles Fernando:I Watched “Watchmen”

  2. ricco diz:

    Oi Roberto!

    Não existe contradição na Bíblia, você mesmo matou a questão quando diz “pode levar algum tempo para que entendamos como é que eles se encaixam e até lá…”. Este é grande x da questão, quanto tempo dedicamos a Palavra de Deus, ao estudo e a meditação. Com leitura breve e comparações rasas teremos enormes brechas para discordâncias. Como ouvi de alguém estes dias, estamos mais acostumados a ler sobre a Palavra (livros e mais livros) do que ler a Palavra (Bíblia pura). E com isso vamos construindo idéias em cima de idéias de outros, quando juntamos com pouco tempo de estudo da Palavra, fica fácil se perder.

    Como disse T.L. Osborn: Duvide da sua dúvida, mas não duvide da Palavra.

    Não creio que exista algo na Bíblia que seja contrário a Cristo e seus ensinamentos. Creio que “este verso deve ser ignorado” é um perigoso caminho para estudar a Palavra. O melhor seria, “este verso deve ser estudado por longo tempo”. Pode me dar um exemplo de algum verso que contradiz a vida e ensinos de Cristo? Não me lembro de nenhum.

    Boa dica o blog do Carlos Eduardo, ja assinei também. Valeu e até!

    • Bom, em primeiro lugar eu não vejo Palavra e Escritura como sinônimas, para mim a Palavra é Cristo e a Escritura contém a Palavra, embora possa ter coisas que não sejam Palavra.

      Quando eu digo que se houver algo contrário ao que Cristo ensinou deve ser ignorado não estou dizendo que exista mesmo mas, caso exista, deveria sim ser ignorado ou ao menos reinterpretado em Cristo.

      Há alguns salmos em que se amaldiçoa pessoas, isso é um comportamento que, diante do que Cristo ensinou, não deve ser considerado exemplar, já que ele mandou abençoar e amar até mesmo os que nos perseguem.

      “Não odeio eu, ó SENHOR, aqueles que te odeiam, e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti?Odeio-os com ódio perfeito; tenho-os por inimigos.” (Salmos 139 : 21,22)

      Entende o que eu quero dizer?

  3. ricco diz:

    @Roberto Donizeti Soares

    Não é um grande problema achar que as Escrituras contenham a Palavra e não seja a Palavra. O problema começa quando achar que as Escrituras, sendo ou contendo a Palavra, não foram inspiradas por Deus. Porém este caminho é muito perigoso, pois assim poderia pensar que muitas coisas ditas na Bíblia não são para nós hoje, como alguns teólogos afirmam. Afinal, por exemplo, a carta aos Romanos foi escrita originalmente aos Romanos e não para nós (e assim por diante, mais com as epístolas e não tanto com os históricos). Desta maneira deveríamos ter uma nova Bíblia a cada período que considerássemos contemporâneo.

    A Bíblia contém uma mensagem central e é homogênea no que quer comunicar, e é inspirada por Deus. Mas claro que lá tem histórias de homens maus e suas maldades, falas de homens mundanos e rebeldes contra Deus. E tudo isso faz parte do que Deus quer nos comunicar.

    Digo que isto é perigoso, pois é difícil dizer o que é certo e errado. Mas com estes achismos, a mensagem central pode se corromper. A Bíblia Siríaca, uma das primeiras a ser compilada como Bíblia juntando os livros, não continha 2 Pedro, 2 e 3 João, Judas e Apocalipse. A Bíblia Etíope, também umas das primeiras continha 1 Enoque e o Livro dos Jubileus. A Bíblia Católica tem vários livros considerados apócrifos. A Igreja Luterana até reconhece os apócrifos como exemplo de instrução mas não como estabelecimento de qualquer doutrina. Martinho Lutero considerava o livro de Tiago apócrifo, pela sua forte refutação as indulgências (obra) e crença na salvação pela fé. E por ai vai…
    “não estou dizendo que exista mesmo mas, caso exista”. He He, isto é meio confuso, existe ou não?

    Usar o AT para combater os ensinos e vida de Cristo não rola, pois se fosse assim, nem precisava chegar em Salmos. Bem antes existem ordens divinas de destruição (de cidades e pessoas) que não condizem com a vida de Cristo. Mas Lei é uma coisa e Graça é outra. E só um homem CHEIO de Graça poderia cumprir TODA a Lei. Mas ai já é outra longa história.

    Valeu e até

    • Eu creio que a Escritura seja inspirada, somente não creio que tudo o que há lá eu devo pegar e colocar em prática, pois como você disse Lei é uma coisa e Graça é outra, logo na minha vida eu acabo tendo de deixar os versos da Lei em segundo plano e abraçar a Graça.

      E eu creio que a mensagem central é Cristo, o que não combinar(se houver algo) com ele é “história de gente má e suas maldades”.

      Quando eu digo “se”, apenas estou dizendo que se houver isso não abalará minha fé, pois para mim o Evangelho basta.

      E não acho que seja perigoso pensar assim desde que se ande em fé, pois quando se anda em fé se agrada a Deus e Deus nos guia.

      Não acho que determinar uma lógica inquebrável em torno da Escritura(como acreditar em tudo literalmente) torne mais seguro as coisas, pois a gente é chamado a viver por fé e não por sabedoria humana.

      Fé sempre tem riscos, humanamente falando.

      Até logo.

  4. ricco diz:

    @Roberto Donizeti Soares
    Este é o papo que estou com o Carlinhos do Ecos do Verbo. Viver pela fé é lindo. Mas a fé vem pelo ouvir e o ouvir da Palavra de Deus. Então viver pela fé é viver pela Palavra, tem uma base.

    É lógico mano que não é tudo que esta la que deve por em prática. Testamento no original é Pacto. E um pacto você diz o que vale e o que não vale, e claro que devemos fazer só o que vale no pacto. No Novo Pacto, que sobrescreveu o Antigo Pacto. É que nem regras de futebol, o livrinho de regras diz: “o jogador não pode por a mão na bola”, e se lermos a história do futebol veremos que vários quebrou esta regra. Mas o modelo é o pacto/regra (A Palavra) e não a prática!

    Não podemos esquecer que a Bíblia conta parte da história da humanidade, de homens. E mesmo os mais santos foram pecadores, que se dirá dos rebeldes.

  5. Teo diz:

    Guerrinha de versículos não é teologicamente saudável. A divisão de versículos é para referência, não para contabilizar menções a ideias que alguém defenda. Para conceitos teológicos deve-se usar um texto completo, contextualizado e analisado, não uma divisão arbitrária.

    Último post de Teo:E as pessoas?

  6. Excelente blog!

    A fé é vivenciar o inprescendível. Pisteo : Fé no sentido de crença. Pistis: Fé no sentido de crer,convicção e certeza.
    Acesse meu blog. http://www.vivendoteologia.blogspot.com

    Último post de danilo lemos:TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO.

  7. Excelente postagen.
    Fé – Pistis: crer,convicção,acreditar.
    Pisteo:crença.
    O inprescendível tornando realidade.
    Acesse meu blog. http://www.vivendoteologia.blogspot.com

    Último post de danilo lemos:TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.