A parábola do trabalhador doente

 

“Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.”  (Romanos 4 : 5)

Estava conversando ontem com alguns amigos sobre a Graça e me veio à mente uma parábola que talvez a explique bem:

A salvação pela Graça é semelhante a um empresário que, encontrando um homem desempregado que por ser doente era incapaz de executar bem qualquer tarefa, o contrata, paga o salário que um trabalhador saudável, eficiente e eficaz receberia e providencia tudo o que é preciso para que esse homem possa ir se curando, demore o quanto demorar.

Sabemos que normalmente um empresário não iria querer um prejuízo desses, assim como muitos crentes não aceitam que Deus possa agir assim, mas é assim que é.

Todos temos a doença do pecado e não poderemos jamais sermos justos por nossa própria capacidade, de modo que Deus nos aceita como somos e vai nos ajudando a melhorar dia a dia.

Se alguém ainda não tiver entendido o que seja a Graça, talvez esse vídeo esclareça:

(Visited 84 times, 1 visits today)

2 comentários em “A parábola do trabalhador doente

  1. A PAZ DO SENHOR JESUS.

    ISTO É PARA A NOSSA REFLEXÃO. POR FAVOR! LEIA COM ATENÇÃO!

    “A Maravilhosa Graça de Deus”

    Alguns anos atrás, numa igreja na Inglaterra, o pastor notou um ex-assaltante se ajoelhando para receber a ceia do Senhor ao lado de um juiz da Suprema Corte da Inglaterra. O juiz era o mesmo que, anos antes, havia condenado o assaltante a sete anos na prisão.

    Após o culto, enquanto o juiz e o pastor caminhavam juntos, o juiz perguntou, “Você viu quem estava ajoelhado ao meu lado durante a ceia?”

    “Sim”, respondeu o pastor, “mas eu não sabia que você havia notado”.

    Os dois homens caminharam em silêncio por alguns momentos. Daí o juiz disse, “Que milagre da graça!”

    O pastor concordou. “Sim, que milagre maravilhoso da graça”.

    Daí o juiz perguntou, “Mas você se refere a quem?”

    O pastor respondeu “É claro, à conversão do assaltante.”

    O juiz falou “Mas eu não estava pensando nele. Estava pensando em mim mesmo.”

    “Como assim?” indagou o pastor.

    O juiz respondeu, “O assaltante sabia o quanto ele precisava de Cristo para salvá-lo dos seus pecados. Mas, olhe para mim. Eu fui ensinado desde a infância a ser um cavalheiro, a cumprir a minha palavra, fazer minhas orações, ir à igreja. Eu passei por Oxford, recebi meu diploma, fui advogado e eventualmente tornei-me juiz. Pastor, nada, a não ser a graça de Deus, podia ter me levado a admitir que eu era um pecador igual àquele assaltante. Levou muito mais graça para me perdoar por meu orgulho, minha confiança em mim mesmo, para me levar a reconhecer que não sou melhor aos olhos de Deus do que aquele assaltante que eu mandei à prisão.”

    E que maravilha a graça é. “Boas pessoas” só “não entram” no céu “porque seu orgulho” as impede de chegar ao Salvador.

    OS DOIS CAMINHOS (MATEUS 7:13-14)
    13. Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz a perdição, e muitos são os que entram por ela;
    14. E porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que leva a vida, E “POUCOS” HÁ QUE A ENCONTREM.

    CONCLUSÃO: VEJA QUE MARAVILHA DE GRAÇA: A LIBERDADE DE ESCOLHA ENTRE A PORTA QUE CONDUZ A VIDA ETERNA OU OUTRA PORTA QUE NOS CONDUZIRÁ A PERDIÇÃO ETERNA. ISTO É OU NÃO GRAÇA DIVINA, O LIVRE ARBÍTRIO DADO POR DEUS AO SER HUMANO?

    FIQUE COM A PAZ DE CRISTO.
    JESUS CRISTO VOLTARÁ!!!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.