A Bíblia exige o casamento civil?

marriage license

A Bíblia respeita e recomenda o casamento, mas nunca diz que Deus somente o considera válido se for oficializado em algum cartório.

Assim, pessoas que praticam o sexo antes do casamento civil, não estão necessariamente cometendo fornicação e nem outro tipo de pecado.

A lei de Moisés, que continha instruções tanto espirituais e simbólicas quanto de higiene e organização social, não ordenava que se fizesse algum tipo de certidão para comprovar que duas pessoas se casaram, embora houvesse uma certidão de divórcio:

“QUANDO um homem tomar uma mulher e se casar com ela, então será que, se não achar graça em seus olhos, por nela encontrar coisa indecente, far-lhe-á uma carta de repúdio, e lha dará na sua mão, e a despedirá da sua casa.”  (Deuteronômio 24 : 1)

A certidão de divórcio servia para proteger a mulher, para que ela pudesse ter a chance de se casar novamente assim como a certidão de casamento atual brasileira só serve para proteger as partes em caso de divórcio ou desarmonia.

Há quem tente provar biblicamente que devemos nos casar no civil baseado em passagens como essa:

“TODA a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus.”  (Romanos 13 : 1)

“Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam, e estejam preparados para toda a boa obra;”  (Tito 3 : 1)

No entanto, isso só provaria biblicamente a necessidade de casamento civil se o governo ordenasse que todas as pessoas unidas devem obrigatoriamente oficializar sua situação, o que não é o caso no Brasil, por exemplo.

Nem mesmo para proteger as partes no caso de separação o casamento civil é necessário mais, já que a justiça já reconhece as “uniões estáveis” que são “casamentos” na prática e podem ser comprovados por testemunhas, por exemplo.

Creative Commons License photo credit: billaday

A Bíblia não é a Palavra de Deus

some food

“E estava vestido de uma veste salpicada de sangue; e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus.”  (Apocalipse 19 : 13)

A própria Bíblia não se chama de Palavra de Deus mas sim de Escritura.

“Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;”  (II Timóteo 3 : 16)

“Por isso também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido.”  (I Pedro 2 : 6)

“Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.”  (II Pedro 1 : 20)

A Palavra de Deus é Cristo:

“O QUE era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida”  (I João 1 : 1)

“Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um.”  (I João 5 : 7)

“NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.”  (João 1 : 1)

“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.”  (João 1 : 14)

A Bíblia é inspirada por Deus e contém palavras de Deus em si, mas ela não é a Palavra e nem a Palavra se limita ao livro chamado Bíblia.

Se você resiste em crer que a Bíblia não seja  a Palavra de Deus, tente substituir Palavra ou Verbo (que no grego é sinonimo de Palavra) por Bíblia.

A Bíblia testifica no céu junto com o Pai e o Espírito no lugar de Jesus?A Bíblia se fez carne?A Bíblia estava com Deus no principio e era Deus?

“A Bíblia é o Livro.

A Escritura é o Texto.

A Palavra É!” (Caio Fábio)

Leia também: Quando a Bíblia faz mal

Creative Commons License photo credit: Rushay