Usos, costumes e doutrinas de demônios

“…o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;

Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência;

Proibindo o casamento, e ordenando a abstinência dos alimentos que Deus criou para os fiéis, e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças;”  (I Timóteo 4 : 1-3)

Eu acho interessante como Paulo chama de “doutrina de demônios” certos ensinos que em nossos dias muitos apenas consideram “doutrina de homens”.


Sim, pois se alguma igreja disser que é pecado comer determinado alimento apenas se dirá que a igreja está “exagerando” na sua fé, não que está sendo influenciada por demônios.

No entanto, Paulo dá a entender que o diabo não se interessa só em fazer grandes destruições mas também em ser um estraga-prazeres através de suas doutrinas.

Sim, pois, embora os versos acima falem mais especificamente sobre casamento e alimentos, não são só os alimentos que foram feitos para serem usados com ação de graças.

“Porque toda a criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças.”(I Timóteo 4:4)

Linda swimming
Creative Commons License photo credit: wili_hybrid

Tudo o que Deus criou é bom e também tudo o que é derivado da criação de Deus(como criações humanas que não façam mal por si só) podem ser usadas com ação de graças.

“Porque pela palavra de Deus e pela oração é santificada.” (I Timóteo 4:4)

Há muitos bons prazeres que temos o direito de desfrutar na terra e que o diabo tenta estragar usando supostos pastores para nos proibir.

Proibe-se Yoga,praia,uso de determinadas roupas, posições sexuais,boa música, filmes, TV e até brinquedos(Quando eu tinha 14 anos havia quem tenha me dito que geloucos eram do diabo).

No entanto nem todo costume estraga-prazer é doutrina de demônios, há também a abstinência voluntária de certas coisas para evitar escândalos aos fracos na fé.

“Por isso, se a comida escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize.”  (I Coríntios 8 : 13)

Você costuma se abster de bons prazeres?Faz isso pelos fracos ou por outros motivos?

Eva gerou filhos antes da queda?

It's her fault!
Creative Commons License photo credit: Eusebius@Commons

“E à mulher disse:

Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.”  (Gênesis 3 : 16)

Já faz algum tempo que ouvi pela primeira vez essa teoria de que Eva teria tido filhos no Éden antes de comer do fruto proibido, num tópico da comunidade da Assembléia de Deus no Brasil e já havia dado minha opinião por lá.

Daí ontém minha amiga Myllena Carneiro quis falar desse assunto comigo por MSN, o que acabou me fazendo pensar nele de novo e querer registrar o que penso sobre isso por aqui.

A base da teoria é o verbo “multiplicar” presente no verso acima e que, segundo eles, deixa subentendido que Eva já teria tido pelo menos um filho e sentido alguma dor, pois não haveria como multiplicar uma dor que ela nunca tivesse sentido antes.

O problema é que o relato não cita filho nenhum sendo citado no momento que Deus os amaldiçoa.

Se já houvessem filhos e eles não foram incluídos na maldição provavelmente o motivo era que eles não tivessem comido da árvore, o que faria com que os pais fossem expulsos e os filhos continuassem no Éden.

Poderia ter havido uma linhagem com pecado e outra sem?

Creio que não, pois contrariaria versos como esse:

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;”  (Romanos 3 : 23)

Eu poderia crer então que esse filhos que continuaram no Eden mais tarde também comeram do fruto e foram expulsos não fosse por esse outro verso:

“Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.”  (Romanos 5 : 12)

Logo, eu suponho que Adão tenha sido o primeiro a pecar e só depois disso gerou filhos, gerando-os já em pecado.

“Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.”  (Salmos 51 : 5)

Mas e o verbo multiplicar? Como fica?

Acredito que o uso do verbo “multiplicar” do verso inicial tenha a mesma explicação que o verso abaixo:milagre.

“Dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor.”  (Isaías 40 : 29)

E você?O que acha?