Problemas de um mundo imperfeito

cuidado com os espinhos..

“E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida.Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo.
No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.”  (Gênesis 3 : 17-19)

Ao ler os primeiros capítulo de Gênesis vemos Deus criando diversas coisas e chamando-as de “boas”, até que o a partir do pecado de Adão ele anuncia que como parte da maldição pela desobediência dele, brotariam, dentre as coisas boas, coisas ruins também.

O surgimento de “espinhos e cardos” simboliza as coisas que surgiriam naturalmente, embora não mais da forma ideal e boa, conforme acontecia antes do pecado.

Qualquer um percebe que doenças e imperfeições não são o ideal da criação.

No entanto alguns parecem se esquecer disso em alguns momentos, utilizando relatos do Gênesis para validar coisas que possam ou não existir hoje, como, por exemplo,a discussão sobre se alguns gays podem ou não ter nascido assim.

Alguns argumentam que “Deus criou homem e mulher e não falharia criando um terceiro sexo”.

Independente da questão do homossexualismo de nascimento ser realidade ou não (eu creio que seja em alguns casos) é uma interpretação falha essa de que pelo fato de Deus haver criado homem e mulher não pode haver um homem que por um defeito genético acabe se sentindo como se fosse uma mulher ou vice versa.

Vivermos num mundo caído também acaba nos forçando a fazer escolhas não ideais, escolhas que ao invés de ser boas, são “menos ruins”.

Muitos não tem coragem de fazer essas escolhas e preferem se omitir, deixando que o que é pior aconteça, enquanto aguardam que um milagre altere a realidade permitindo-as escolher essa alternativa boa que no momento não existe.

Além disso, ao verem alguém que ousa escolher o “menos mal” o julgam como se fosse um amante do mal, como se tivesse deixado de lado a Palavra absoluta do Pai, quando na verdade ele apenas a aplicou da melhor maneira a realidade relativa dessa mundo.

A única maneira de aplicar a Palavra de maneira saudável às nossas vidas e de ensiná-la a outros é quando reconhecemos que a lei é boa mas nós somos maus; que a criação é boa, embora ainda tenha as conseqüências do pecado, tornando-a não tão boa quanto era no início;e que as vezes se tem que escolher algo ruim para evitar algo pior.

“Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes.”  (Mateus 12 : 7)

Pense nisso.