Santa Ceia e comunidade


Olive oil presentationE disse-lhes: Desejei muito comer convosco esta páscoa, antes que padeça; Porque vos digo que não a comerei mais até que ela se cumpra no reino de Deus. Lucas 22:15,16

Fazer refeições juntos, é algo que ajuda na união de pessoas. Podemos pensar que a Santa Ceia, além de propiciar um momento de reflexão acerca do sacrifício de Cristo, também possibilita um momento de maior proximidade da comunidade da fé.

O Novo Testamento incentiva a união da igreja, indo contra a ideia do isolamento, de modo que a Santa Ceia pode ser um instrumento para ajudar no congregar e na interação humana, além das outras atividades que já acontecem em reuniões cristãs (oração, canto, profecia, etc.).

Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. Hebreus 10:25

E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. Atos 2:42

No entanto, não podemos inverter as coisas e pensar que alguém tenha que ser obrigado a conviver com uma comunidade com quem não se sente confortável apenas para poder realizar um rito que o faça refletir ou alimentá-lo espiritualmente. Nesse caso, pode ser mais saudável que a pessoa fique sozinha ou num grupo menor até que consiga encontrar um outro grupo com que se dê melhor.

Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão. Gálatas 5:1

Sabemos que Jesus e os apóstolos, embora vivessem normalmente cercados de pessoas, não estavam juntos com qualquer grupo. Isso evidencia que não precisamos estar presos a uma denominação só por precisarmos de companhia, ou  praticar um ritual que não é um fim em si mesmo.

E foram ter com ele no templo cegos e coxos, e curou-os. Vendo, então, os principais dos sacerdotes e os escribas as maravilhas que fazia, e os meninos clamando no templo: Hosana ao Filho de Davi, indignaram-se, e disseram-lhe: Ouves o que estes dizem? E Jesus lhes disse: Sim; nunca lestes: Pela boca dos meninos e das criancinhas de peito tiraste o perfeito louvor?

E, deixando-os, saiu da cidade para Betânia, e ali passou a noite. Mateus 21:14-17

Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo, passando pelo meio deles, e assim se retirou. João 8:59

E, como ouviram falar da ressurreição dos mortos, uns escarneciam, e outros diziam: Acerca disso te ouviremos outra vez.E assim Paulo saiu do meio deles. Atos 17:32,33

Como identificar um idólatra?

Obeisance

 

disse Naamã: […] nunca mais oferecerá este teu servo holocausto nem sacrifício a outros deuses, senão ao Senhor.

 

Nisto perdoe o SENHOR a teu servo; quando meu senhor entrar na casa de Rimom para ali adorar, e ele se encostar na minha mão, e eu também tenha de me encurvar na casa de Rimom; quando assim me encurvar na casa de Rimom, nisto perdoe o SENHOR a teu servo.

 

E ele lhe disse: Vai em paz.

 

2 Reis 5:17-19

 

É comum que algumas pessoas classifiquem outras como idólatras, como se houvesse uma forma precisa de se classificar alguém assim mesmo que ela mesma não admita e até negue.É como se houvesse uma maneira de descobrir isso só olhando superficialmente ou descobrindo certas crenças ou rituais que a pessoa pratica.

 

A intenção desse texto não é dar uma receita de como identificar um idolatra, mas apenas mostrar quão falha é a tentativa de julgar esse tipo de coisa.

 

A idolatria, assim como a adoração, são coisas que acontecem no coração das pessoas e não há como ser constatada através da observação apenas.Um idólatra real pode se comportar da mesma forma que um adorador real.

 

Um exemplo de como uma prática não prova que alguém é idólatra é o trecho da história de Naamã que foi citado no início desse texto.

 

Você já imaginou um homem que se curva diante de um ídolo e não o está idolatrando?Consegue imaginar algo assim?Se não consegue, então talvez você não entenda o que o próprio Deus e Eliseu entenderam.

 

Dali em diante, depois que Naamã voltou à sua terra, ele e o rei se encurvavam num templo pagão, o rei por idolatria (provavelmente) e Naamã apenas por não querer desagradar o rei.Naamã curvava o corpo diante do ídolo mas não o espírito, pois este já estava curvado diante do Deus verdadeiro.

 

Por outro lado, alguém pode jamais se curvar diante de um ídolo e ainda assim ser idólatra diante de Deus ao amar algo ou alguém acima de Deus, como, por exemplo, o dinheiro.

 

Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra:

a fornicação, a impureza, a afeição desordenada, a vil concupiscência, e

 

a avareza, que é idolatria; Colossenses 3:5

Dízimo é bíblico?

21  The Coins of the Money Changers

“Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.”  (Malaquias 3 : 10)

Uma afirmação comum na boca de pessoas que conhecem um pouco da Bíblia é que o dízimo seja bíblico.

Dizem isso porque a Bíblia menciona o dízímo em seu texto, porque fazia parte da lei de Moisés e porque Malaquias tem promessas para quem o trouxesse ao templo da época.

“… Abrão deu-lhe o dízimo de tudo.”  (Gênesis 14 : 20)

“No tocante a todas as dízimas do gado e do rebanho, tudo o que passar debaixo da vara, o dízimo será santo ao SENHOR.”  (Levítico 27 : 32)

Mas o que faz com que algo seja bíblico?É a menção?É o fato de fazer parte de uma lei que a própria Bíblia diz que acabou?É estar ligado a uma benção que funcionava dentro da vigência da lei que agora já acabou?

O dízimo na lei estava ligado ao templo ou ao tabernáculo, não era entregue em outro lugar.Hoje em dia não existem mais nem o templo e nem o tabernáculo físicos, Jesus não manda construir templos e nem diz que quem os construir estará fazendo algo equivalente ao templo físico do antigo testamento.

Em Israel, não havia um templo por cidade.

Além do mais, recebemos revelação de que o templo era um símbolo de nós mesmos como casa de Deus.Se somos casa de Deus, onde fica a casa do tesouro?Deveriamos continuar dando o dízimo distribuindo-o entre as pessoas da igreja?

“Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?”  (I Coríntios 3 : 16)

A Bíblia fala do dízimo e parte dela ensina que se deve dar o dízimo, mas é uma parte que pertence ao passado, que apenas trabalha encima de um povo que tinha um governo totalmente diferente do nosso.

O dízimo em Israel era uma espécie de imposto usado para manter um sistema religioso que não tem nada a ver com o que Jesus veio ensinar depois e nem com o que temos hoje.

Levitas e sacerdotes não equivalem aos nossos obreiros, pastores e cantores atuais.Levitas e sacerdotes trabalhavam no pesado, faziam trabalho de açougueiro e diversos rituais que não passam nem perto do que a maioria das religiões fazem hoje.

“Mas tu põe os levitas sobre o tabernáculo do testemunho, e sobre todos os seus utensílios, e sobre tudo o que pertence a ele; eles levarão o tabernáculo e todos os seus utensílios; e eles o administrarão, e acampar-se-ão ao redor do tabernáculo.”  (Números 1 : 50)

“Depois degolará o bezerro perante o SENHOR; e os filhos de Arão, os sacerdotes, oferecerão o sangue, e espargirão o sangue em redor sobre o altar que está diante da porta da tenda da congregação.”  (Levítico 1 : 5)

Havia uma tribo inteira que dependia dos dízimos das 11 tribos para ser sustentada.11 tribos doando 10% dariam a tribo de Levi pouco mais do que cada tribo produzia para si (110%).

“E eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, pelo ministério que executam, o ministério da tenda da congregação.”  (Números 18 : 21)

Se 11 tribos eram necessárias para sustentar uma tribo que não produzia sustento para si (mas trabalhava bastante) não seria exagero exigir que uma igreja com mais de 100 membros dê o dízimo?

O dízimo nos moldes atuais, sendo entregue na tesouraria de um local de culto para sustento do pastor, construção de imóveis e outros motivos não é bíblico.Há um dízimo bíblico que não é o que se prega hoje em dia e nem  mesmo o Novo Testamento insiste nele.

Isso não quer dizer que seja errado dizimar ou que não devamos doar mais nada, apenas nos livra da obrigatoriedade de doar 10% (caso não possamos fazê-lo) e da obrigatoriedade de entregar tudo isso num local só.

“Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.”  (II Coríntios 9 : 7)

Doar é bom e não é bom ser apegado ao dinheiro mas isso não justifica que se minta dizendo que é bíblico algo que não é.

“Vendei o que tendes, e dai esmolas. Fazei para vós bolsas que não se envelheçam; tesouro nos céus que nunca acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói.”  (Lucas 12 : 33)

“E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui.”  (Lucas 12 : 15)