A fé sem obras é morta

The Gift of Unconditional Love, Calipso/El Regalo de Amor Incondicional, Calipso.
Creative Commons License photo credit: AmazonCARES

“Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.” (Tiago 2 : 26)

Ao contrário do que muitos pensam, Tiago não contraria Paulo, no seu ensino sobre a salvação pela fé, no verso acima, ele apenas aprofunda o ensino acerca da fé real.

Tiago não diz que as obras salvem alguém, apenas diz que algo que alguém chame de “sua fé” mas que não mude em nada seu modo de viver não é fé real e portanto não salvou tal pessoa.

A fé real faz com que se inicie um relacionamento com Deus através de Graça e esse relacionamento começa a nos transformar desde já, gerando obras.

Salvação não é algo que faça diferença só no fim dos tempos, ela começa aqui.

“Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.” (Tiago 2 : 18)

O que é a Graça de Deus?

Gift :D

“Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.”  (Romanos 3 : 24)

Você sabe o que é a Graça de Deus? Sabe para que ela serve?

Muitos provavelmente darão a resposta padrão: “Graça é favor imerecido”
Mas que favor é esse?
Em que esse favor não merecido afeta a minha vida?
Qual é esse favor que eu recebo sem merecer?

Ora, o favor imerecido de que Paulo fala é a salvação sem merecimento.

Sim, pela graça somos salvos sem merecer a salvação!

“Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.”  (Romanos 4 : 5)

É importante que se diga isso (mesmo sendo óbvio para muitos, ainda que só na teoria) pois ainda há quem pense que a graça nos salva mas não nos salva totalmente, pois ainda precisamos nos salvar por nossas obras.
É o que aprendi, de forma direta ou indireta, nas várias igrejas evangélicas por onde passei até conhecer o Caminho da Graça do pastor Caio Fábio.
Não que eu só tenha entendido a Graça através do Caio, mas, fora Paulo, ele foi um dos primeiros que eu achei que falou dela claramente.
Paulo diz diversas vezes que ou a pessoa se salva pela fé ou pelas obras(na verdade essa é uma impossibilidade, mas há quem tente), não há como ser metade pela graça e metade pelas obras.

“…o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.”  (Gálatas 2 : 16)

Como você entende a Graça de Deus?Foi ensinado de forma satisfatória em sua igreja acerca dela?

Esse post faz parte da blogagem coletiva sobre a Graça de Deus, promovida pelo blog Celebrai! na sua 2ª promoção.

Creative Commons License photo credit: MarcinMoga / Lolek

Deus não depende de pregadores para falar

Golden Light

Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.

Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; (Romanos 1:19,20)

“Mas digo: Porventura não ouviram? Sim, por certo, pois Por toda a terra saiu a voz deles, E as suas palavras até aos confins do mundo.”  (Romanos 10 : 18)

Paulo cria que era possível conhecer a Deus e crer nEle sem nunca ter ouvido uma pregação evangélica, apenas através da observação da natureza.

No verso acima ele cita um versículo do Salmo 19 para “basear biblicamente” seu pensamento.

O salmo 19 tem vários versos que falam sobre a pregação da natureza:

Os céus declaram a glória de Deus

e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.

Um dia faz declaração a outro dia,

e uma noite mostra sabedoria a outra noite.

Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz.

A sua linha se estende por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo.

Neles pôs uma tenda para o sol, o qual é como um noivo que sai do seu tálamo, e se alegra como um herói, a correr o seu caminho.A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até à outra extremidade, e nada se esconde ao seu calor.(Salmo 19:1-6)

Podemos ver, então, que não é bíblico o pensamento de que toda pessoa que nunca ouviu uma pregação pela boca de um crente vai para o inferno.

Deus fala de diversas formas e não há quem nunca o tenha ouvido de uma forma ou outra, de modo que a pessoa sempre poderá escolher crer ou não.

É claro que quem conhecer a Deus através da criação não terá os detalhes que nós temos através da Escritura, mas terá o suficiente para ser crer e ser salvo.

Isso não torna inútil o trabalho dos pregadores, apenas mostra que eles tem o privilégio de colaborar com a obra de Deus embora Deus não dependa deles para salvar ninguém.

Aprenda mais sobre esse assunto na mensagem O fenômeno da comunicação divina, do pastor Caio Fábio.

Esse texto serve como introdução à nova categoria imagens que conterá, a principio, imagens da criação citadas em textos bíblicos como sendo imagens que ensinam coisas.

Deixo uma pergunta aos leitores teólogos:Paulo fez bom uso da hermenêutica ao fazer a interpretação que fez sobre o Salmo 19?

Creative Commons License photo credit: Paulo Brandão