Casamento no Céu?

Jesus respondeu: “Os filhos desta era casam-se e são dados em casamento, mas os que forem considerados dignos de tomar parte na era que há de vir e na ressurreição dos mortos não se casarão nem serão dados em casamento, e não podem mais morrer, pois são como os anjos. São filhos de Deus, visto que são filhos da ressurreição.

Lucas 20:34-36

Admito que esse trecho da Bíblia e outros semelhantes, nos outros evangelhos, são uns dos que considerava mais tristes até alguns dias atrás.É doloroso para alguém que gosta de romantismo imaginar que após a morte não poderá continuar amando da mesma forma a pessoa que ama agora ou que, no meu caso, se não conseguir se relacionar com ninguém aqui na Terra, terá de continuar assim na eternidade.

Recentemente, porém, com a ajuda de um irmão, comecei a ver essa passagem de forma diferente.Repare no que foi perguntado a Jesus antes dessa resposta:

“Mestre”, disseram eles, “Moisés nos deixou escrito que, se o irmão de um homem morrer e deixar mulher sem filhos, este deverá casar-se com a viúva e ter filhos para seu irmão.

Havia sete irmãos. O primeiro casou-se e morreu sem deixar filhos.

O segundo e o terceiro e depois também os outros casaram-se com ela; e morreram os sete sucessivamente, sem deixar filhos.

Finalmente morreu também a mulher.

Na ressurreição, de quem ela será esposa, visto que os sete foram casados com ela? “
Lucas 20:28-33

É óbvio que os saduceus não queriam realmente saber sobre relacionamentos na eternidade, visto que eles nem criam na ressurreição, mas apenas tentar pressionar Jesus sobre o cumprimento de uma lei que parecia impossível de cumprir, caso houvesse ressurreição.

Eles não perguntaram sobre amor, não perguntaram sobre a felicidade da mulher, mas apenas sobre o direito de tê-la como mulher.Se essa história foi verdadeira, pode ser que a mulher só tenha amado a um dos sete irmãos, ou talvez a nenhum!

Diante disso, a resposta de Jesus é libertadora:Lá será diferente!Lá uma pessoa não será obrigada a se unir a outra seja por qual motivo for!

A lei mencionada pelos saduceus, chamada de Levirato, foi criada porque, como não se cria ainda na ressurreição, pensava-se que a continuação de um homem seriam seus filhos e se um homem morria sem filhos, deveria haver uma continuação para ele, ainda que fosse por intermédio de um de seus irmãos.Até essa necessidade Jesus elimina, ao dizer que os ressuscitados “não morrerão”.

Eu acredito que as palavras de Jesus foram apenas para responder ao saduceus e para deixar claro que os ressuscitados somente se unirão a alguém se assim o quiserem, para o seu bem, livres de todas e quaisquer pressões e necessidades que hoje temos na Terra e as vezes fazem com que a gente se una a alguém sem amor.

No princípio, Deus não disse que o homem devia “casar” mas apenas “se unir”.

Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.
Gênesis 2:24

E, para quem acha que esse tipo de relacionamento seria desnecessário no Céu, lembrem-se que Adão tinha a companhia de Deus quando Deus disse:

“Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda”
Gênesis 2:18

Se antes era importante para o homem ter alguém além de Deus (e nessa passagem não se fala de filhos) porque é que no Céu será desnecessário?

Pense nisso.

Deus não tem que restaurar seu casamento

He is leaving

“Porque, de onde sabes, ó mulher, se salvarás teu marido? ou, de onde sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?”  (I Coríntios 7 : 16)

Um dos temas mais populares desse blog é divórcio e recasamento.Muita gente acha divórcio inaceitável, alegando que quem se divorcia não confia que Deus tenha poder de restaurar o casamento ruim.

Ora, eu acredito que o divórcio (seguido, na maioria das vezes, de outro casamento) seja necessário em muitos casos e acredito também que Deus poderia restaurar qualquer casamento, caso fosse essa sua vontade.

Mas não é.

Não que não fosse a vontade de Deus que todo homem e toda mulher se casassem apenas uma vez e fossem felizes.Ele apenas não força ninguém a isso.

Deus nos dá muitas coisas, entre elas a liberdade.E não dá para nos deixar livres e ao mesmo tempo impor sua Vontade em todo casamento.

Deus pode trabalhar na vida dos envolvidos para que ambos cheguem a conclusão de que devem buscar a cura do relacionamento mas para isso há um limite, que Deus não ultrapassará.

A Bíblia apresenta vários passagens que nos mostram que Deus não restaura todo casamento ruim:

“Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério.”  (Mateus 5 : 32)

“Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não esta sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz.”  (I Coríntios 7 : 15)

Jesus diz que em caso de infidelidade (ou seja qual for a outra tradução melhor para o termo) a pessoa não adulterava se se separasse e casasse de novo.Se Deus realmente estivesse interessado em restaurar todo casamento, porque é que Ele diria isso?Não deveria ele dizer que, mesmo em caso de infidelidade, os dois deveriam ficar juntos à espera da restauração?

Paulo diz que se uma irmã casada com alguém descrente, caso este não a queira mais devido à sua fé, está livre do casamento.Não deveria ele dizer que a irmã deveria permanecer em oração até Deus restaurar seu casamento, salvar seu marido e etc?

Não!A Bíblia não dá essas respostas fantasiosas e ilusórias.
Se você está num casamento ruim, deve se esforçar para salvá-lo e pode pedir ajuda a Deus nisso, mas não deve achar que Deus tem de fazer isso (mesmo que você tenha muita fé).

Casamentos são restaurados muitas vezes, mas nem todas.

Creative Commons License photo credit: h.koppdelaney

A cabana e o problema do sofrimento

Remembering The Past
Creative Commons License photo credit: Ian Sane

“E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.”  (Apocalipse 21 : 4)

“ …A confiança é fruto de um relacionamento em que você sabe que é amado. Como não sabe que eu o amo, não pode confiar em mim…”(trecho do livro)

Gostei muito do livro A Cabana, tanto pela história quanto pela forma como ensina verdades profundas de uma forma mais fácil de ser lida.

A Cabana não acerta em tudo o que diz (discordo em pelo menos dois pontos e tenho textos no blog que mostram minha forma de ver esses pontos) e nem é o livro mais profundo sobre o problema do sofrimento, mas é um livro que recomendo a qualquer pessoa que esteja sofrendo algum sofrimento muito grande.

Para quem quer se aprofundar mais no assunto do sofrimento, eu recomendo O Problema do Sofrimento, de CS Lewis. Não recomendo que se comece por esse porque sei que a maioria das pessoas acharia dificil ler um livro desse tipo.

Alguns não gostariam de ler um livro que falasse sobre sofrimento de maneira (aparentemente) distante e fria e por isso acho que  A Cabana ou Anatomia de uma dor: Um luto em observação (de CS Lewis também) são mais recomendados nesses casos (Lewis é mencionado no fim do livro A Cabana como um dos que deram ao autor estimulo criativo).

Há quem diga que A Cabana tenda ao Espiritismo mas eu não vi nada no livro que não seja cristão ou apenas ilustração da fé cristã.

E você? Já leu? O que achou?

Links relacionados:
Trechos do Livro:”A Cabana”

Atualização de 2016 : Saiu o trailer do filme que você pode conferir abaixo