Sansão, o Hulk da Fé

EW Avengers Hulk & Hawkeye cover

“Que mais direi? Não tenho tempo para falar de Gideão, Baraque, Sansão, Jefté, Davi, Samuel e os profetas,os quais pela fé conquistaram reinos, praticaram a justiça, alcançaram o cumprimento de promessas, fecharam a boca de leões,apagaram o poder do fogo e escaparam do fio da espada; da fraqueza tiraram força, tornaram-se poderosos na batalha e puseram em fuga exércitos estrangeiros.” Hebreus 11:32-34

“Será que não há mulher entre os seus parentes ou entre todo o seu povo? Você tem que ir aos filisteus incircuncisos para conseguir esposa? “

Sansão, porém, disse ao pai:

“Consiga-a para mim. É ela que me agrada”.

Seus pais não sabiam que isso vinha do Senhor, que buscava ocasião contra os filisteus; pois naquela época eles dominavam Israel.”Juízes 14:3-4

 

Sansão normalmente é visto como um mau exemplo, como alguém que se desviou dos planos que Deus tinha para ele e por isso acabou tendo sua vida destruída, tendo apenas “se arrependido” no fim da vida, o que fez com que Deus lhe ajudasse a fazer um último trabalho para Deus mas não impediu a sua morte.Por esse arrependimento tardio é que teria conseguido aparecer entre os “heróis da fé” de Hebreus 11.Pensam que Sansão poderia ter tido uma vida mais correta e que Deus faria obras ainda maiores com ele caso ele tivesse seguido o caminho certo.Isso, porém, não é o que a Bíblia afirma, a história de Sansão está cheia de referências ao plano de Deus que estava sim relacionado aos “erros” de Sansão.

Sansão nunca é descrito como alguém preocupado com a libertação de Israel do domínio dos filisteus e nem com fazer a vontade de Deus, ele apenas faz a obra movido por impulso: por amor, raiva, vingança e outros sentimentos humanos.Ele é alguém que se preocupa com seus próprios interesses e Deus usa essa passionalidade dele para levá-lo a fazer o obra de destruição dos filisteus e consequente libertação de Israel.Até mesmo no seu momento final, quando foi cegado e preso, Sansão não demonstra arrependimento pelas suas obras passadas ou desejo de fazer a vontade de Deus ou libertar seu povo, ele apenas quer se vingar uma vez mais,dessa vez pela visão perdida.

É aí que está a semelhança de Sansão com Hulk.Sansão é o homem mais forte da Bíblia, enquanto Hulk é um dos mais fortes das histórias em quadrinhos.Hulk é forte, porém não é muito racional e é extremamente passional.Hulk aparece (ao menos na versão atual) quando Bruce Banner (seu alterego) se irrita demais e perde o controle.A força de Sansão vem de forma semelhante, apenas com a diferença de que a força de Hulk vem dos raios Gama e a força de Sansão vem do Espírito Santo que o domina naquele momento (a única exceção é quando Sansão está preso e ora a Deus para que lhe dê mais uma vez forças).Hulk é visto como herói por ajudar a deter (ou deter sozinho) ameaças mas não é como os outros heróis que são quase que totalmente conscientes do que estão fazendo.Hulk irritado pode atacar um vilão mas também um herói, ele não tem uma ética tão complexa quanto os outros.Assim é Sansão também.

Não há como afirmar que Sansão nunca tenha pensado a fundo em Deus ou que não se preocupasse com a situação de seu povo mas isso é algo que o texto não diz, como diria de outros personagens.Sansão, assim como Hulk, é visto como herói por seus feitos e não pelas suas intenções ou pensamentos.Sansão pode não ser o exemplo de judeu mas Deus se agradou dele mesmo assim e é assim que quis o usar.

Como tirar lições de Sansão para nós?Certamente ninguém deve buscar cometer erros a fim de ser usado de forma especial por Deus como Sansão foi, mas creio que o fato de que Deus possa usar alguém que era como Sansão era deve nos alertar para o perigo de julgar o próximo.Se Deus usou Sansão mesmo sendo tão “desligado” e passional, porque é que não poderia usar aquele irmão que conhecemos e que tem defeitos parecidos?Como podemos julgar que eles não tenham a Deus na vida?Lembremos da fala do irmão Paulo:

“Quem é você para julgar o servo alheio? É para o seu senhor que ele está de pé ou cai. E ficará de pé, pois o Senhor é capaz de o sustentar.” Romanos 14:4

Sacrifício de uma filha – o caso de Jefté

E Jefté fez um voto ao SENHOR, e disse: Se totalmente deres os filhos de Amom na minha mão, aquilo que, saindo da porta de minha casa, me sair ao encontro, voltando eu dos filhos de Amom em paz, isso será do SENHOR, e o oferecerei em holocausto.

Vindo, pois, Jefté a Mizpá, à sua casa, eis que a sua filha lhe saiu ao encontro com adufes e com danças; e era ela a única filha; não tinha ele outro filho nem filha. (Juízes 11:30,34)

Ouvi dizer que alguém teria usado, numa pregação, a história de Jefté como exemplo de um homem que deu a Deus o melhor que tinha.Quem conhece a história sabe (ou tem a impressão) que não foi escolha de Jefté sacrificar a filha mas que ele realmente pretendia dar algo de valor para Deus em troca da vitória numa batalha.

Essa tentativa dele e de tantos outros do Antigo Testamento revela uma certo paganismo presente em vários homens da antiguidade que não faziam idéia  da existência da Graça de Deus.

Jefté era um homem de fé, inclusive sendo elogiado no livro de Hebreus ,no entanto, o fato de ser elogiado e estar na lista dos “heróis da fé”, não faz com que tudo o que Jefté tenha feito tenha sido correto.

Deus nada diz sobre o voto de Jefté, nem a favor nem contra, apenas atende ao pedido dele, o que não quer dizer que Deus exigiria o cumprimento do voto louco que ele fez.

A lei de Moisés condenava a prática de sacrifícios humanos, mas há grande chance de que Jefté não a conhecesse a fundo ou achasse que poderia abrir uma excessão, já que tinha se feito um voto e, supostamente, deveria cumpri-lo a todo custo.

Embora, aparentemente, Jefté não quisesse sacrificar a filha, pode ser que pretendesse sacrificar alguma pessoa, já que pretendia sacrificar alguém ou algo que viesse ao seu encontro.É de se imaginar que Jefté não pretendesse ver saindo de sua casa um animal do tipo que normalmente era sacrificado.Pode ser que ele pensasse num animal doméstico ou então uma pessoa que não fosse tão importante para ele, talvez um escravo que ele possuísse e que viesse lhe oferecer seus serviços na sua chegada.

Pode parecer chocante, mas os valores da época (aos olhos dos homens, mesmo os que criam em Deus) eram outros.

Não creio que o sacrifício da filha possa ter sido somente ela ter ficado virgem para sempre, servindo no tabernáculo.Jefté fala em holocausto, que era, quase sempre, uma oferta queimada.

Que todos tomem mais cuidado ao usar passagens do AT.Na dúvida, não usem, pois o Novo Testamento  já tem tudo o que precisamos.