Quando a ajudadora se torna uma "cruz"

“E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.” (Gênesis 2 : 18)

Alguém contou que numa aula de teologia em que se falava de divórcio, a professora disse que após se casar a pessoa não podia se separar em hipótese alguma, senão por adultério(conforme o entendimento popular de Mateus 5:32 ).

Segundo ela quem tivesse casado errado por outro motivo, tinha de permanecer junto mesmo assim, “carregando a sua cruz”.

Lembrei-me da história da formação da Eva em Gênesis, em que Deus, querendo ajudar o homem cria uma mulher para lhe fazer uma companhia.
Se aquela que deveria ser nossa auxiliadora for uma cruz, que será de nós?
Algumas pessoas continuam sem enxergar que a vontade de Deus com o casamento foi lhe fazer um bem e não lhe prender numa instituição.
Não sou a favor do divórcio banal, mas creio que quando a convivência não é mais suportável deva-se sim deixar a velha união e procurar uma nova.
Afinal, creio que assim como o sábado o casamento foi feito para o homem e não o homem para ele.
Que o Senhor nos faça crescer em sabedoria e misericórdia.

Para que ir à igreja?

 

Por quê precisamos ir à igreja?
Muitos acreditam que é necessário ir à igreja(uso o termo “igreja” nesse post da forma como ela é muito utilizada hoje, significando templo, um lugar físico para se adorar) para louvar a Deus, ouvir sua palavra e orar, porém esse não é o pensamento bíblico(pelo menos não o neotestamentario).
A bíblia no AT diz que o templo de Jerusalém era conhecido como casa de Deus e que lá era onde ele habitava,por isso era necessário ir ao templo para se adorar a Deus.

“ALEGREI-ME quando me disseram: Vamos à casa do SENHOR.” (Salmos 122 : 1)

Porém no NT Jesus nos mostra que a adoração acontece interiormente e não dependendo de um “lugar santo” (Jerusalém ou monte):

Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar.

Disse-lhe Jesus:
Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai.Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.
Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.(João 4:20,21,23,24)

Eliminando porém o motivo “divino” de se “ir à igreja”, sobre somente o motivo fraterno de nos reunirmos para compartilhar as experiências(sem necessidade de ser lá no “templo”).

E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras,
Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.(Hebreus 10:24,25)

Isso é importante para a vida cristã, mas não indispensável, por isso ninguém é menos crente por não ir as reuniões.
Portanto adoremos a Deus na vida e, se der vontade lá no “templo”, porque o verdadeiro templo somos nós.

“Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (I Coríntios 6 : 19)

O divórcio é da vontade de Deus?

“Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não esta sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz.”  (I Coríntios 7 : 15)

Diversos cristãos defendem de unhas e dentes que o divórcio é contra a vontade de Deus, fazem isso pensando que é o que a Bíblia diz.

Porém a maioria dessas pessoas não enxergam com profundidade o que os versos estão a dizer e os interpretam superficialmente,dando assim uma visão demasiadamente rígida ao que está escrito, sendo que na verdade não é assim. Continue reading