O divórcio é da vontade de Deus?

“Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não esta sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz.”  (I Coríntios 7 : 15)

Diversos cristãos defendem de unhas e dentes que o divórcio é contra a vontade de Deus, fazem isso pensando que é o que a Bíblia diz.

Porém a maioria dessas pessoas não enxergam com profundidade o que os versos estão a dizer e os interpretam superficialmente,dando assim uma visão demasiadamente rígida ao que está escrito, sendo que na verdade não é assim.


photo credit: paulaloe

Sobre a intenção original de Deus, creio que seja realmente que seus filhos se casem com alguém que amem e vivam unidos até o fim, porém, é preciso entender que nada mais é perfeito desde o pecado original, fazendo com que as coisas possam se tornar feias no casamento e necessite ser desfeito.

Na verdade creio que o casamento quando fica “feio demais”, muitas vezes, nem mais existe.

Isso baseado na crença que casamento é a união de duas pessoas que se amam e não na que casamento é a assinatura de papeis.

Portanto embora não seja da vontade de Deus originalmente, creio que é uma concessão dEle para que um mal pior possa ser desfeito.

E aqueles que ainda acham que Deus não aceita de jeito nenhum o divórcio fica a concessão de Jesus:

“Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.” (Mateus 19 : 9)

Esse versículo diz mais do que a maioria enxerga.

Além de permitir o divórcio no caso de traição, ele demonstra que Deus se importa com aqueles que sofrem nessa instituição que deveria ser boa, mas nem sempre dá certo,permitindo o divórcio quando não dá mais para continuar.

Isso é um pouco do que penso sobre divórcio, com o tempo colocarei mais pensamentos meus sobre os assuntos.

Caso discorde, comente.

Sobre Roberto Donizeti Soares

Moro em Catiguá, interior de São Paulo.Estudo Psicologia no Instituto de Ensino Superior de Catanduva (FAFICA) e trabalho em Catanduva, na SAEC.Simpatizo com o movimento Caminho da Graça do pastor Caio Fábio de Araújo Filho.Gosto de gibis, jogos e brinquedos.Li a Bíblia algumas vezes e continuo relendo e buscando um maior entendimento.
Marcado , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

190 Responses to O divórcio é da vontade de Deus?

  1. Clênio diz:
    Preta o próprio Jesus declara que o “Pai é maior que eu” sendo assim já esta respondido a tua pergunta. Te auxiliando na resposta Jesus não é acima de qualquer pecado e nem acima de qualquer condenação. Jesus é o filho de Deus que venho para nos libertar do jugo do pecado.( pois o pecado nos leva a morte e Jesus através das boas novas nos leva a vida eterna.)
    • Preta diz:
      Ótimo, então você vive em pecado, né? Como declarou logo acima…E como vc vive em pecado, sabendo que Jesus veio pra nos libertar do jugo do pecado? A opinião vem de Matheus e não vem de Deus? também não entendi…Poderia explicar por favor?
      Obrigada!
  2. Ester Gonçalves da Silva diz:
    Ô Seu santo Clênio, eu não sei se você é solteiro, casado, viúvo ou divorciado. Mas não queira estar na pele de quem foi casado e teve que se separar. Não queira estar na pele de alguém que sente falta de companhia e de sexo. Por que se você cair numa situação dessas, você terá que se castrar, virar eunuco, sei lá. Ou virar padre, rsrs.
    • Clênio diz:
      Ester eu disse que sou divorciado e fiquei quatro anos sozinho esperando que a maluca da minha ex mulher mudar. Ela nunca mudou então me casei com outra. ( o que quis dizer é que assumi a responsabilidade de estar contrariando a palavra de Deus pois divórcio é um pecado incontestável e não vou me enganar e nem enganar ninguém cada um tem que saber sobre a verdade e assumir a sua falha e parar de achar que Deus tem duas palavras. Casamento diante de Deus só vale o primeiro.)A palavra diz que quem se divorciar e quem casar com divorciada(o) é ADULTERO SIM.
      • Ika diz:
        Será que alguém pode me esclarecer uma dúvida?
        Eu fui casada com meu primeiro namorado, com quem tive um filho eu era catolica e infelizmente o inimigo conseguiu nos separar me divorciei de meu marido, depois de muito sofrer me converti a Cristo e me casei novamente na igreja, hoje me arrependo muito do meu divorcio e penso muito que se houvesse uma forma eu retomaria meu primeiro casamento, sofro muito desde que casei a segunda vez, não entendo, é como se realmente meu primeiro marido fosse a pessoa certa para mim, alguém pode me dizer o que devo fazer? Obrigado
      • jb diz:
        n~~ao penso assim.voce acha que divorcio é pecado sem perdão?saiba porem isto:que
        Deus há de julgar tada injustiça,tanto no matrimonio como na vida social de cada um.
  3. Davi diz:
    Clênio,vc é um homem muito contraditório,creio que participar num assunto onde vc não é exemplo também seja hipocrisia,o conhecimento intelectual puramente è tolice.Os teólogos a quem vc recorre para dissertar vão além das coisas que estão escritas tanto quanto aqueles que faltam conhecimento.O que Jesus disse foi dito e muitos estão colocando palavras adicionais.A bíblia é clara sim em mostrar que existe uma única base para o divórcio,mas,que ninguem ouse enganar a Deus usando esta base como desculpa enganosa.E para vc que gosta de teologia estude o assunto em base neutra com teólogos conceituados e notará o que te falo.Mas,torno a repetir a teologia vai além do que está escrito.
    • Clênio diz:
      Davi me sinto exemplo sim pois sou divorciado não que eu pedi o divórcio mas, a minha ex que decidiu divorciar, esperei quatro anos e ela nunca voltou atrás então me casei novamente SÓ QUE SEI QUE ESTOU EM PECADO POIS ESTOU CONTRARIANDO A PALAVRA DE DEUS QUE DEIXA CLARO QUE ABOMINA O DIVÓRCIO.( NÃO EXISTE NENHUMA BASE BÍBLICA PARA DIVÓRCIO FOI A INTERPRETAÇÃO DADA POR MATEUS QUE INFORMOU QUE PODERIA SE DIVORCIA NO CASO DE ADULTÉRIO … SÓ QUE ADULTÉRIO TANTO NO ANTIGO TESTAMENTO COMO NO NOVO TESTAMENTO SIGNIFICA PORNÉIA E A TRADUÇÃO DE PORNÉIA É CASAMENTO FALSO. A palavra grega que aparece em Mateus 19:9 para “adultério” no original é porneia (porneia) Esta palavra pode ser traduzida por diferentes palavras, …
      O que o Senhor Jesus disse a respeito do divórcio?

      Baseadas nos textos de Mateus 19:3-12; Marcos 10:2-12; Lucas 116:18):

      • Porque os fariseus tinham dúvidas sobre o divórcio e experimentaram Jesus perguntando se era lícito… se Moisés permitiu é porque foi Deus quem ordenou a Moisés. Ou os fariseus não concordavam com Moisés?

      • Porque Jesus diz que o que Deus ajuntou não separe o homem? Quem é esse homem que Jesus se refere? Será que é o profeta Moisés que permitiu o divórcio? Com essa resposta Jesus quis dizer que o casamento é indissolúvel?

      • Porque afirma Jesus em Mateus 19:3-12… Se Moisés permitiu o divórcio, porque Jesus não?

      • Em Mateus 19:9 Jesus permite o divórcio em caso de relações ilícitas. O que são relações ilícitas? Em outra versão diz que o divórcio é permitido em caso de fornicação. O que é fornicação?

      • Se a separação foi por outro motivo e se o homem ou mulher passar a viver juntos com outra pessoa, eles estão em adultério?

      • Se caso um era solteiro e outro casado e passam a viver juntos, quem está em adultério?

      Estas perguntas são muito interessantes e merecem estudo e reflexão.

      O objetivo dos fariseus ao experimentar Jesus era “arranjar um motivo pelo qual pudessem acusar a Jesus” para poder matá-lo. Eles queriam que o Senhor Jesus ‘tropeçasse’ na interpretação da lei, pois assim, teriam “com o que” acusa-lo. Eles estavam a um bom tempo tentando fazer isto, mas não conseguiam.

      Jesus disse que nunca foi o propósito de Deus que o casal se separasse. Ele apoiou seu ensino com os versos Bíblicos de Gênesis 1:27; 5:2 e 2:24.

      O detalhe é que os fariseus não aceitavam esta interpretação, pois não entenderam o verdadeiro significado da “permissão de Moisés acerca do divórcio”. Vejamos:

      A orientação de Moisés está registrada em Deuteronômio e é mencionada também em Mateus:
      “Se um homem tomar uma mulher e se casar com ela, e se ela não for agradável aos seus olhos, por ter ele achado coisa indecente nela, e se ele lhe lavrar um termo de divórcio, e lho der na mão, e a despedir de casa; e se ela, saindo da sua casa, for e se casar com outro homem; e se este a aborrecer, e lhe lavrar termo de divórcio, e lho der na mão, e a despedir da sua casa ou se este último homem, que a tomou para si por mulher, vier a morrer, então, seu primeiro marido, que a despediu, não poderá tornar a desposá-la para que seja sua mulher, depois que foi contaminada, pois é abominação perante o SENHOR; assim, não farás pecar a terra que o SENHOR, teu Deus, te dá por herança”. (Deuteronômio 24:1-4).

      “Também foi dito: Aquele que repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio”. (Mateus 5:31).
      Analisando o contexto externo do texto (histórico, cultural, etc), iremos ver que Jesus não estava em conflito com Moisés.

      Nunca foi parte do plano original de Deus; ele “foi aprovado transitoriamente na lei de Moisés devido a “dureza” do coração dos homens (cap. 19: 7-8)” .

      “Deve destacar-se que a lei de Moisés não instruiu o divórcio. Por ordem divina, Moisés tolerou o divórcio e o regulamentou a fim de evitar abusos” .

      As mulheres não tinham direitos; e, para protegê-las, Deus permitiu que Moisés criasse esta lei, a fim de que as mulheres tivessem uma nova chance.

      Qual era a natureza e o propósito da lei de Moisés no que diz respeito ao divórcio? Texto base: Dt 24:1-4.

      Vejamos o que diz o seguinte comentário bíblico:

      *Coisa indecente.
      Literalmente, “desnudes”; figuradamente, como aqui: “algo vergonhoso”, “uma desonra”. Não podia tratar-se de adultério, porque isto devia ser castigado com a morte (Deut. 22: 22; cf. Mat. 19: 9). Devia tratar-se de alguma maneira de atuar considerada imprópria pelo marido. Os judeus entendiam que este preceito mosaico permitia a um homem divorciar-se de sua mulher quase por qualquer motivo (Mat. 19: 3, 7). Sem obstáculos, Cristo explicou que não era a vontade de Deus que se obtivesse tão facilmente o divórcio (Mat. 19: 4-6), e que esta legislação só havia sido dada por causa da “dureza” dos corações deles (Mat. 19: 8).

      *Carta de divórcio.
      Literalmente, “uma nota de separação”.

      *Lhe entregará.
      Isto devia fazer-se formalmente, provavelmente perante testemunhas, a fim de que tivesse validez legal e fosse incontestável .

      *A despedirá.
      Novamente um ato formal. Provavelmente o esposo estava obrigado a despedi-la provida, pelo menos, com os meios suficientes como para chegar bem até a casa de seu pai (Gén. 21: 14; cf. Deut. 15: 13).

      *Poderá ir.
      Sua partida formal era um anúncio público de que já não era mais a esposa desse homem e que por tanto estava livre para casar-se de novo. A “nota de separação” ou “nota de corte” dissolvia por completo o matrimônio.
      A consumação do matrimônio com um segundo marido a tornava “vil” para o primeiro. Se alguma vez ele tornava a toma-la por mulher, cometia adultério. Ela lhe era ilícita como esposa (ver Jer. 3: 1).

      *Perverter a terra.
      … Se bem que Deus tolerou algumas coisas as quais certamente não podia dar sua aprovação, havia limites mais além dos quais o homem não podia passar. Muitas vezes a “terra” aparece personificada, como si pudesse atuar e sentir (ver Lev. 18: 25; Isa.24:5).

      Algumas pessoas hoje se referem a Deut. 24:1-4 como base do que chamam “divórcio cristão”. Porém, na realidade, estes versículos nos revelam a vida doméstica dos judeus, na qual ao tomar uma esposa equivalia a adquirir uma propriedade. A autoridade do esposo sobre sua mulher era quase absoluta. O propósito da lei aqui enunciada era melhorar a sorte da mulher hebréia. Esta lei, longe de estabelecer uma baixa norma moral, ou de aprovar uma norma tal, representava uma norma muito mais elevada que a reconhecida pelos cruéis costumes daquele tempo.

      A lei garantia à mulher divorciada certos direitos, e na realidade a protegia de ser considerada adúltera ou rejeitada pela sociedade. Deixava a casa de seu primeiro marido como mulher livre e respeitada pela sociedade, apta para contrair um matrimônio honroso.

      A carta de divórcio estabelecia que seu primeiro esposo já não tinha mais jurisdição legal sobre ela e que ela não tinha nenhum tipo de obrigação para com ele, senão que estava livre para ser esposa de outro homem. Ao voltar a casar, não se fazia culpada de adultério, nem se violavam os direitos de seu primeiro marido.

      A lei mosaica sobre o divórcio não foi dada para anular os ideais do matrimônio instituído por Deus na criação, senão a causa da “dureza” dos corações humanos (Mat. 19: 8). A sorte de uma mulher só e desprezada era deplorável. A carta de divórcio aliviava seu infortúnio. Esta lei simplesmente reconhecia a situação existente e buscava melhora-la. Esta era uma lei de permissão, e não de obrigação. Estas mesmas restrições tinham por objetivo eliminar o fácil processo de divórcio que evidentemente os hebreus haviam aprendido em sua associação com os povos pagãos.

      Cristo falou enfaticamente contra o conceito de ter uma esposa como propriedade (Mat. 5: 27-32; 19: 3-9). Essa prática havia acarretado muita desgraça e injustiça às mulheres judias. A escola de Hillel, que sustentava a filosofia religiosa popular judia nos tempos de Cristo, interpretava como “coisa indecente” (Deut. 24: 1) qualquer coisa que lhe resultara desagradável ao marido. A escola de Shammai, mais estrita e menos popular, definia como “coisa indecente” algum ato comprovado de falta de pudor ou adultério. Nos tempos de Cristo, a escola de Hillel permitia o divórcio por pequenas coisas como a exibição do braço de uma mulher em público, ou que a esposa queimasse a comida de seu marido, ou quando o esposo encontrava outra mulher mais atraente. Desta atitude escreveu Josefo: “O que deseja divorciar-se de sua mulher por qualquer coisa (e muitas causas tais se dão entre os homens), que dê por escrito a certeza de que nunca mais a usará como sua mulher, porque assim ela estará livre de casar-se com outro marido, se bem que antes de dar-se esta carta de divorcio, não deve permitir-se-lhe faze-lo” (Antiguidades, iv. 8. 23).

      A lei de Deut. 24: 1-4 não instruiu o divórcio, senão que o tolerou em vista das imperfeições da natureza humana e aos baixos conceitos morais do povo de deus nesse tempo. Para conhecer a opinião de Deus a respeito do matrimônio é preciso não se deter em Deut. 24: 1-4, senão, como o fizera Jesus, hoje se remontar a Gen. 1: 27 e 2: 24 (Mat. 5: 27-32; 19: 3-9). O conselho escrito por Moisés para a gente de seus dias deve interpretar-se à luz dos costumes de sua época, e não da nossa, e sempre tendo em vista o ideal divino. Uma vez mais Cristo elevou à vista dos homens esse divino ideal ordenado no Éden. Esse primeiro matrimônio nos proporciona o modelo dado por Deus para seu povo de hoje.

      Em Mateus 19:9 Jesus permite o divórcio em caso de relações ilícitas. O que é relações ilícitas? Em outra versão diz que o divórcio é permitido em caso de fornicação. O que é fornicação?
      Relações sexuais ilícitas é a toda prática sexual ilícita, ou seja, que não é conforme o plano de Deus. Neste verso, refere-se especificamente ao “adultério”.
      Na outra versão bíblica, (Versão Figueiredo), há a expressão “fornicação” ao invés de “adultério”. Por que?

      A palavra grega que aparece em Mateus 19:9 para “adultério” no original é porneia (porneia) Esta palavra pode ser traduzida por diferentes palavras, tais como:

      - Adultério;
      - Fornicação;
      - Homossexualismo;
      - Lesbianismo;
      - Bestialidade.
      - Etc.

      Tanto uma quanto a outra está correta; mas, de acordo com o contexto do verso, “porneia” é melhor traduzida por “adultério”, ou seja, “relações sexuais ilícitas”.
      Fornicação é “o ato sexual praticado fora do casamento”.

      Se a separação foi por outro motivo e se o homem ou mulher passar a viver juntos com outra pessoa, eles estão em adultério?
      Sim. A pessoa ao separar-se por qualquer motivo e casar-se com alguém, comete adultério.
      Isto não quer dizer que Deus não possa ajudar tal casal; Ele tem o desejo de ajudar a todos estes casais que não estão ainda com sua situação conjugal acertada.
      É importantíssimo que o casal recorra a Deus a fim de ter solucionado sua situação.

      Se caso um era solteiro e outro casado e passam a viver juntos, quem está em adultério?
      Os dois estão adulterando, pois “ambos estão envolvidos na prática sexual errada”.

      • Davi diz:
        Clênio,Clênio…,desculpe pela questão de ser ou não exemplo pois não tenho o direito de julgar você.Mas,o seu estudo sobre as palavras de Jesus a respeito do divorcio está totalmente equivocado.Vamos fazer o seguinte: reveja seu texto com cuidado sobre a palavra grega ‘porneia”,retire os excessos,esqueça Moises,pois cristo é o fim da lei e é maior do que Moisés e tenho certeza que vc chegará à conclusão de que seu casamento já se tornou honrroso há muito tempo para Deus e que vc está com a consciencia pesada há tanto tempo sem necessidade.Caso vc ainda assim não entenda eu poderei te ajudar,mas não com objetivos acadêmicos mas simplesmente porque quero ver as pessoas felizes,e tenho prazer em estudar para isso.Vc já tem uma boa base,só precisa colocar as pesquisas em ordem,organizar as idéias e recorrer a fontes seguras e eliminar as contradições que confundem tudo.Fica bem.
        • jaci diz:
          eu sou divo ciada e me casei tb com uma pessoa que e divo ciada tb meu ex marido ja esta com outra peso-a tb isso sanguifica que vo para o inferno meu casamento não e valido para deus
  4. Ester Gonçalves da Silva diz:
    Clênio, me desculpe eu havia entendido que você não concorda com o divórcio e que não se casaria novamente se passasse por uma situação assim. Mas, acho que você não deve viver em paz pensando que em adultério, não é? Eu estou divorciada e por muito tempo esperei a volta de meu ex-marido, mas ele se casou novamente. Mas, pretendo me casar de novo, por que acho muito difícil ficar sozinha, considerando que ainda estou nova.
    • Clênio diz:
      Uma hora a gente aprende né…

      DIVÓRCIO e RECASAMENTO,
       à luz da Palavra de Deus
       
       
      1) Que Diz DEUS a Quem Quer se Divorciar ou Recasar?
       
      Gênesis 2:23,24 Então disse o homem: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne (a) ; ela será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada. (24) Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão UMA só carne.(a)
      a) O plano de Deus é o casamento ser indissolúvel. Quem se divorcia sofre como se dilacerasse seu próprio corpo.
       
      Deuteronômio 24:1-4 1 Quando um homem (b) tomar uma mulher e se casar (c) com ela, se ela não achar graça aos seus olhos por haver ele encontrado nela coisa vergonhosa (d), far-lhe-á uma carta de divórcio e lha dará na mão, e a despedirá de sua casa.
      b) Note, em todos os textos deste estudo, e em toda a Bíblia, que Deus nunca expressamente declarou aceitar, mesmo com desgosto, que a mulher (mesmo que “inocente” e o marido culpado) se divorcie!!!… Talvez aceite-com-desgosto, como o faz para com o homem “inocente”, mas ninguém pode ter esta certeza!… A Bíblia também não trás nenhum exemplo de uma mulher crente se divorciando do seu marido, mesmo que mau. Então, sem preceito e sem exemplo bíblicos, o melhor é a mulher realmente crente ir pelo lado da segurança… Isto é, reconhecer que Deus pode nem sequer aceitar-com-desgosto que uma mulher se divorcie, por motivo algum!…
      c) Para o judeu, o casamento tinha duas fases: a primeira, já indissolúvel (exceto por pecado sexual da mulher) ia da pública-e-oficial troca de juras de “viverem juntos até a morte”, até o dia de irem morar juntos; a segunda fase ia daí em diante. Compare Mt 1:18,19 (José e Maria estavam casados, mas não tinham cohabitado).
      d) Que é esta “coisa vergonhosa”, o ÚNICO motivo expressamente aceito-mesmo-com-desgosto por Deus para o divórcio? (“Tolerado”, não ordenado! “Com desgosto”, não com aprovação e prazer!). Vejamos:
      - Quanto aos dias de Israel: era um pecado na área moral-sexual, grave, mas bem menor que adultério, lesbianismo, bestialismo, etc., pois estes deviam ser punidos por apedrejamento. Alguns motivos válidos para o divórcio poderiam ser, por exemplo: “brincadeiras sexuais” da mulher com outro homem, antes do casamento; recusa definitiva de cohabitar com o marido; etc.
      - Quanto aos dias de hoje, onde não há apedrejamento: não se refere ao homem ter “deixado de vibrar” pela esposa, não se refere à “incompatibilidade de gênios”, nem às dezenas de outras desculpas esfarrapadas e semvergonhas de hoje: refere-se a pecado grave na área moral-sexual. Além dos exemplos anteriores, podemos adicionar: adultério, lesbianismo, bestialismo, etc.
      - Compare Mt19:3-9, abaixo.
      2 Se ela, pois, saindo da casa dele, for e se casar com outro homem,(3) e este também a desprezar e, fazendo-lhe carta de divórcio, lha der na mão, e a despedir de sua casa; ou se este último homem, que a tomou para si por mulher, vier a morrer;(4) então seu primeiro marido que a despedira, não poderá tornar a tomá-la por mulher, depois que foi contaminada; pois isso é abominação perante o Senhor. Não farás pecar a terra que o Senhor teu Deus te dá por herança. (e)
      e) Este trecho (1-4) é cheio de condicionais, e não está ordenando nem aprovando o divórcio, só está limitando o mal de uma prática da época: SE um homem descobrir “coisa vergonhosa” na sua esposa, SE ele não puder perdoá-la, e SE ele a repudiar, ao menos dê-lhe carta de divórcio, e saiba (aquí está o mandamento!) que, SE ela vier a ser divorciada ou se tornar viúva de casamento posterior, jamais poderá ser aceita por esposo anterior (aquí está o mandamento!).
       
      Oséias 3:1-3 Disse-me o Senhor: Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, e adúltera (f), como o Senhor ama os filhos de Israel, embora eles se desviem para outros deuses, e amem passas de uvas. (2) Assim eu comprei para mim tal mulher por quinze peças de prata, e um hômer e meio de cevada; (3) e lhe disse: Por muitos dias tu ficarás esperando por mim; não te prostituirás, nem serás mulher de outro homem; assim também eu esperarei por ti.                  Oséias 2:7, 14-16 Ela irá em seguimento de seus amantes, mas não os alcançará; buscá-los-á, mas não os achará (f); então dirá: Irei, e voltarei a meu primeiro marido, porque melhor me ia então do que agora (f)  (14) Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração. (f) (15) E lhe darei as suas vinhas dali, e o vale de Acor por porta de esperança; e ali responderá, como nos dias da sua mocidade, e como no dia em que subiu da terra do Egito. (16) E naquele dia, diz o Senhor, ela me chamará meu marido; e não me chamará mais meu Baal.(f)                 Oséias 14:8 Efraim dirá: Que mais tenho eu com os ídolos? Eu o tenho ouvido e isso considerarei; eu sou como a faia verde; de mim é achado o teu fruto.(f)
      f) O ideal de Deus é o cônjuge inocente mostrar graça, perdão, misericórdia, compaixão, amor. Oséias tipificou este amor perdoativo de Deus, quando o Senhor o mandou procurar e casar com uma prostituta, ela, depois de certo tempo, começou a traí-lo repetida e nauseantemente, mas ele misericordiosamente cuidou dela nos seus terríveis sofrimentos, pacientemente a esperou e perdoou, até que ela realmente se arrependeu e aprendeu a amá-lo!
       
      Malaquias 2:14-16. Todavia perguntais: Por que? Porque o Senhor tem sido testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade, para com a qual procedeste deslealmente sendo ela a tua companheira e a mulher da tua aliança.(15) E não fez ele somente um, ainda que lhe sobejava espírito? E por que somente UM? Não é que buscava descendência piedosa? Portanto guardai-vos em vosso espírito, e que ninguém seja infiel para com a mulher da sua mocidade. (16) Pois eu detesto o divórcio, (g) diz o Senhor Deus de Israel, e aquele que cobre de violência o seu vestido; portanto cuidai de vós mesmos, diz o Senhor dos exércitos; e  não sejais infiéis.
      g) Esta é a chave de toda a questão: Deus ODEIA o divórcio, a quebra do juramento “até que a morte nos separe”. Como o homem tem o coração duro e não perdoa como Deus nos perdoa, Deus com desgosto DISCIPLINOU o divórcio já praticado pelo homem, para limitar seu mal. Mas amar & perdoar são os ideais perfeitos de Deus para os nossos casamentos, mesmo se nossos cônjuges nos traírem: Deus ODEIA o divórcio! Há algo mais claro do que isto???…
       
      Mat 5:31-32. 31 Também foi dito (h): Quem repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio. (32) Eu, porém, vos digo que todo aquele que repudia sua mulher (b), a não ser por causa de infidelidade (i,k), a faz adúltera; e quem casar com a repudiada, comete adultério.(i,j)
      h) É dito dos homens, não de Deus, de modo algum: “O homem que quiser, divorcie-se de sua mulher, por qualquer motivo que alegue, desde que lhe dê carta de divórcio, para ela também ficar livre para re-casar.”
      i) Deus somente expressou aceitar-mesmo-com-desgosto um divórcio iniciado por um homem cuja esposa esteja em grave pecado moral-sexual.
      Quanto ao re-casamento, isto é, casamento após o divórcio:
      - Somente no caso do homem ser totalmente inocente (como isto é raro!) e a mulher ser culpada de grave pecado moral-sexual, Deus aceita-com-desgosto que a parte inocente  volte a se casar (mas não com esposa que ele já divorciou e foi depois de outro homem, ver [e]).
      - Deus expressou não tolerar que a mulher culpada volte a se casar.
      - Deus não expressou aceitar-mesmo-com-desgosto que a mulher divorciada e totalmente inocente (que coisa rara!) volte a se casar. Talvez aceite-com-desgosto, como para com o homem inocente, mas ninguém pode ter esta certeza. A Bíblia também não trás nenhum exemplo de uma mulher crente, mesmo injustamente divorciada pelo seu marido, voltando a se casar com outro homem. Então, sem preceito e sem exemplo bíblicos, o melhor é a mulher realmente crente ir pelo lado da segurança… Isto é, reconhecer que Deus pode nem sequer aceitar-com-desgosto que uma mulher divorciada se case com outro homem, estando seu ex-marido vivo!… Ademais, há o terrível risco de que Rm 7:3 (abaixo) também se aplique à mulher divorciada (mesmo que seja  absolutamente inocente), ninguém tem certeza de que não… Compare também 1 Co 7:39-40, abaixo.
      j) “Comete adultério” não está no tempo contínuo, exprime apenas um ponto no tempo, não que o re-casamento é um adultério contínuo. Por isso, não podemos exigir que um re-casado, crente ou não, interrompa seu atual casamento.
       
      Mateus 19:3-12. 3 Aproximaram-se dele alguns fariseus que o experimentavam, dizendo: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo?(h) (4) Respondeu-lhe Jesus: Não tendes lido que o Criador os fez desde o princípio [um] homem e [uma] mulher (a), (5) e que ordenou: Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois UMA só carne?(6) Assim já não são mais dois, mas UMA só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem (a). (7) Responderam-lhe: Então por que mandou (g,h) Moisés dar-lhe carta de divórcio e repudiá-la?(8) Disse-lhes ele:Pela dureza de vossos corações Moisés vos permitiu (g,h) repudiar vossas mulheres; mas não foi assim desde o princípio. (9) Eu vos digo porém, quequalquer que repudiar sua mulher (b) , a não ser por causa de FORNICAÇÃO (k), e casar com outra, comete ADULTÉRIO; e o que casar com a repudiada também comete adultério. (i3,j). (10) Disseram-lhe os discípulos: Se tal é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar.(d)  (11) Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem aceitar esta palavra, mas somente aqueles a quem é dado. (12) Porque há eunucos que nasceram assim; e há eunucos que pelos homens foram feitos tais; e outros há que a si mesmos se fizeram eunucos por causa do reino dos céus. Quem pode aceitar isso, aceite-o.
      k) “Porneia”, em Grego, abrange qualquer pecado sexual: fornicação (mulher solteira), ou adultério (mulher casada), ou prostituição (mulher paga), etc.
       
      Rom 7:3. De sorte que, enquanto viver o marido, será chamado ADÚLTERA, se for de outro homem; mas, se ele morrer, ela está livre da lei, e assim não será adúltera se for de outro marido (i3) .
       
      I Coríntios 7:10-15, 27, 39-40. Todavia, aos casados, mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido; (11) se, porém, se apartar (l), que fique sem casar, ou se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher. (12) Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher incrédula, e ela consente em habitar com ele, não se separe dela. (13) E se alguma mulher tem marido incrédulo, e ele consente em habitar com ela, não se separe dele.  (m) (14) Porque o marido incrédulo é santificado pela mulher, e a mulher incrédula é santificada pelo marido crente; de outro modo, os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos. (15) Mas, se o incrédulo se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou a irmã, não está sujeito à servidão; pois Deus nos chamou em paz. (27) Estás ligado a mulher? não procures separação. Estás livre de mulher? não procures casamento. (39) A mulher está ligada enquanto o marido vive; mas se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor. (i3) (40) Será, porém, mais feliz se permanecer como está, segundo o meu parecer, e eu penso que também tenho o Espírito de Deus.
      l) Em Grego, o verbo está na voz passiva, devia ser traduzido “for apartada”. Na Bíblia, a mulher pode sofrer a ação do marido dela se apartando, mas nunca pode praticar a ação de se apartar, divorciar-se do marido!
      m) Deus não tolera, mesmo com desgosto, que o crente (homem ou mulher), mesmo que casado com descrente, tome a iniciativa do divórcio (exceto o marido [inocente] de esposa em grave pecado sexual).
       
       2) Como Tratar um Divorciado? (mesmo que tenha, para sua infelicidade, desobedecido todas as intruções do Senhor).
       
      2.1. Com amor.
      João 4:10 Respondeu-lhe Jesus [à Samaritana]: Se tivesses conhecido o dom de Deus e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe terias pedido e ele te haveria dado água viva. 1 Tessalonicences 5:14 Exortamo-vos também, irmãos, a que admoesteis os insubordinados, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos. 2 Timóteo 2:24,25 e ao servo do Senhor não convém contender, mas sim ser brando para com todos, apto para ensinar, paciente;(25) corrigindo com mansidão os que resistem, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade,
       
      2.2. Se ele e seu cônjuge não tiverem feito re-casamentos: aconselhá-los a se arrependerem, se perdoarem, reunirem-se.
      Provérbios 10:12 O ódio excita contendas; mas o amor cobre todas as transgressões. Oséias 3:1-3; 2:14-15; 2:16;14:8 (bem acima).Exortá-los a, além de pôr em 1o. lugar o temor e a glória de Deus, em 2o. as suas felicidades reais e eternas, devem também pensar nos filhos. Não queremos dizer que bons e felizes casais que são também bons pais tenham total garantia de que seus filhos serão salvos, bons e felizes. Mas  o pecado tem repercussões até a 3a. e 4a. gerações (Ex 34:7), e TODAS as pessoas que NÓS conhecemos e que são profundamente incapazes de um casamento feliz (ou são homossexuais, lésbicas, sadoquistas, masoquistas, ou pervertidos em geral), são filhos de um casamento desfeito e profundamente infeliz, são filhos profundamente amargurados e que odeiam ao menos um dos pais. QUE APROVEITA A VOCÊ, PAI OU MÃE, GANHAR “O MUNDO INTEIRO”, E VER SEU FILHO PERDIDO???
       
      2.3. Se ele ou seu cônjuge estiver casado com outra pessoa: aconselhá-los a se perdoarem
      Provérbios 10:12 (acima).
      e a manterem seus atuais casamentos (Deus nunca ordenou que devam romper ou prejudicar o atual casamento. Em Grego, “comete pecado [contra a repudiada]”, de Mt 5:32 e 19:9 [acima] não está no tempo contínuo. O se re-casar do homem culpado [ou da mulher em geral] foi um pecado, sem dúvida, mas manter o atual casamento não é um pecado contínuo!).
       
      2.4. Se o divorciado se arrepender de todos os seus pecados:
      a) Pode ser salvo, crendo. João 4:10,18, 42 Respondeu-lhe Jesus [à Samaritana] : Se tivesses conhecido o dom de Deus e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe terias pedido e ele te haveria dado água viva. (18) porque cinco maridos tiveste, e o que agora tens não é teu marido; isso disseste com verdade. (42) e diziam à mulher: Já não é pela tua palavra que nós cremos; pois agora nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo.
      b) Pode ser batizado e ser membro atuante de uma igreja local. Se o divorciado demonstra arrependimento sincero, se não vive de modo que seria disciplinado se fosse membro da nossa igreja local, se foi salvo e aceito por Cristo, por que seria recusado por nós? Atos 8:36,37 E indo eles caminhando, chegaram a um lugar onde havia água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? (37) E disse Felipe: é lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.Ver 2.3b, acima.
      c) Só não pode ser pastor nem diácono. 1 Timóteo 3:2,12.É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar; (12) Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas.

    • Andréa diz:
      Não concordo com você porque sou uma pessoa separada porém com minha fé em Deus e te falo diante daquele que é e que há de vir…quando Deus esta no controle ele domina sobre a tua carne e vc não tem vontade de fazer coisas que desagradam a Ele ..sou feliz com meus filhos e não tenho necessidade nenhuma de contato fisico com outra pessoa no momento tenho outras prioridades meus filhos minha vida….
  5. Preta diz:
    Olá..Boa tarde,

    Gente, não podemos esquecer que o Diabo conhece muito bem a palavra de Deus e ainda que nos últimos dias, satánas estaria a rodear e poderia enganar até mesmo os escolhidos…

    Indepentende de qualquer coisa que digam aqui em realçao ao divórcio, nunca podemos esquecer que nosso alvo é a Glória e nenhum pecado deixado por nós Jesus nos condenará…

    Jesus com seu sangue nos comprou, nos lavou, nos deu livre árbitrio de viver na presença dele sem julgo de homens e do capeta, (rasgou o véu) que a cada dia tenta nos enganar e nos deixar confusos…

    A palavra de Deus é clara quando diz: (Gl 5:19-21.) Se ele diz que tudo isso é pacado e não nos levará para a glória se CONTINUARMOS a comete-los é porque se deixarmos a tal prática, seremos perdoados e alcançaremos missericórdia..O Diabo não tem mais brecha e nem poder sobre nós…

    Então não adianta vir pessoas que se dizem cheia de conhecimento e que usam palavras isoladas para fazer outras pessoas se sentiram sempre culpadas por aquilo que cometeu mais que se arrependeu…(não existe confusão em Cristo Jesus, se se arrependeu e deixou o pecado, já era pra Satanás…Diz Jesus a mulher Adúltera: Eu não a Condeno, Vá e não peques mais….(Jo 8,1-11)

    Mais tem pessoas que dizem que essas palavras são de Homens e não de Deus..
    Então meus amados irmão…Cuidemos para que nesses últimos, o inimigo de nossas almas, não nos engane com suas arte manhas sem noção.

    *Podem ter certeza que quem traz confusão é o Diabo camuflado nesses últimos dias usando a palavra de Deus para que se pareça ainda mais real seus ocultismos…

    Precisamos nos preocupar mais com nossa salvação que é individual e com a salvação de almas para o reino de Deus…

    Diz o trecho de Romanos 14:23: “E tudo que não provém de FÉ é pecado”. Muitos cristãos limitam o uso que DEUS faz deles devido ao pecado da incredulidade. …

    “O temor saudável provem da fé, o temor errôneo provem da dúvida.”
    “Ele (Deus) é o dono de tudo. Devo a Ele a oportunidade de me arrepender e não permitir que ninquém se intromenta nessa intimidade..

    Paz e Graça..

    • Clênio diz:
      Parte-se da premissa de que o casamento é indissolúvel, pois “o que ajuntou Deus não separe o homem”, conforme Gênesis 2.18,24.

      Se o casamento não for bom, e trouxer infelicidade, Deus ainda assim se alegra dele e exige que haja continuidade?
      O casamento para Deus só tem sentido quando faz bem ao homem?

      O casamento não é um parque de diversões no qual você entra para se divertir e sai quando perdeu a graça, mas um contrato, uma aliança irrevogável entre duas pessoas. Como diz a Escritura, os dois se tornam uma só carne. É a aliança mais íntima que existe nesta terra, superada em importância e valor apenas pela aliança de cada cristão com Deus.
      Por isso é de vital importância escolher bem a pessoa com a qual você passará o resto de sua vida.

      Ainda que existam problemas (e a história mostra que todos casamentos tem problemas em maior ou menor grau), nenhum deles invalida essa união. Mesmo que, por exemplo, ocorram coisas gravíssimas como agressões, não é certo divorciar. Vou explicar com um exemplo.

      Imagine uma mulher que tem um marido violento e agressivo, mas apesar disso ele é fiel. Será que é justo ela se divorciar? Não. Ela pode apenas, como último recurso, se separar dele, mas continuará a vida toda ligada a ele. E caso ela case ou tenha relacionamento com outro homem, ela estará adulterando.

      Jesus deixou bem claro. Muitos não entendem assim e não aceitam mas foi como Ele disse “Quem puder, que aceite este ensinamento.” Quem não puder que siga o outro caminho. Jesus nunca deixou nada a escuras nem disse que seria fácil segui-lo.

      O DIVÓRCIO À LUZ DA BÍBLIA SAGRADA

      Tão antigo quanto o mundo, o divórcio é um desses assuntos que geram acirrada controvérsia nos círculos religiosos. E isto é por causa da relutância do ser humano em aceitar o ensino a respeito do mesmo, exatamente como é dado pelas Escrituras Sagradas.
      Portanto, empenho-me em expor, de forma simples e breve, aos corações sedentos de retidão, o divórcio à luz da Bíblia Sagrada, a Palavra Viva e Eficaz (Hb.4:12) do Senhor nosso Deus.
      E anelo aqui tecer este esclarecimento estribado tão-somente nas Escrituras Sagradas, porque é nelas que eu procuro diligenciar a minha vida.
      De início, lemos esta informação bíblica: “Pois EU DETESTO O DIVÓRCIO, diz o Senhor Deus de Israel,” (Ml.2:16)
      Acaso não seria um bom alvitre amarmos tudo o que o Senhor Deus ama, e detestarmos tudo o que Ele detesta?
      O Apóstolo Paulo ensina-nos: “A mulher está ligada enquanto o marido vive; mas se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor.” (1Co.7:39). “Ou ignorais, irmãos (pois falo aos que conhecem a lei), que a lei tem domínio sobre o homem por todo o tempo que ele vive? Porque a mulher casada está ligada pela lei a seu marido enquanto ele viver; mas se ele morrer, ela está livre da lei do marido. De sorte que, enquanto viver o marido, será chamada ADÚLTERA, se for de outro homem; mas, se ele morrer, ela está livre da lei, e assim não será ADÚLTERA se for de outro marido.” (Rm.7:1-3)
      Penso que o ensino aqui está bem claro, e dispensa quaisquer interpretações.
      Pela Lei (Mandamento de Deus – Cartório – Tabelionato – Certidão de Casamento) estou ligado à minha esposa enquanto ela viver. E se – olha a condicional se! – se ela morrer, somente se ela morrer, eu fico livre desta Lei. De sorte que, enquanto a minha esposa viver, serei chamado ADÚLTERO, se for de outra mulher…
      Bem, talvez seja o momento de se perguntar: Mas, e o divórcio, não resolve o imbróglio? Não é o divórcio uma coisa legal, que me dá a liberdade necessária para contrair novo matrimônio, ou a cognominada “união estável” com outra pessoa?
      Voltemos à Palavra de Deus! Ouçamos o Senhor Jesus Cristo falar: “Ao que lhes respondeu: Qualquer que repudiar sua mulher e casar com outra, comete ADULTÉRIO contra ela; e se ela repudiar seu marido e casar com outro, comete ADULTÉRIO.” (Mc.10:11,12)
      Jesus está explicando aos seus discípulos que, qualquer que repudiar, ou seja, divorciar-se de sua mulher e casar com outra, comete ADULTÉRIO contra ela; e vice-versa.
      Percebe-se, então, que a coisa é muito mais séria do que imaginamos!
      Tanto é que, por entenderem perfeitamente o rigor das Palavras de Jesus, “Disseram-lhe os discípulos: Se tal é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar. Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem aceitar esta palavra, mas somente aqueles a quem é dado.” (Mt.19:10,11)
      Nem todos, caros leitores, podem aceitar a Palavra de Jesus, mas somente aqueles a quem é dado, isto é, dado por Ele, Jesus, aceitá-la.
      Como se vê, sob a ótica Divina o divórcio simplesmente não existe. Não possui valor nenhum para Deus. É uma obra meramente humana! (Mt.19:8)
      Nos textos aqui transcritos, eu maiusculizei os vocábulos ADÚLTERO e ADULTÉRIO, visando mostrar os seguintes textos: “Não sabeis que os injustos NÃO HERDARÃO o reino de Deus? Não vos enganeis: Nem os devassos (…) NEM OS ADÚLTEROS (…) herdarão o reino de Deus.” (1Co.6:9,10). “Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, OS ADÚLTEROS…” (Ap.22:15). “Honrado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; pois aos devassos e ADÚLTEROS, Deus os julgará.” (Hb.13:4)
      Quanto à decantada “incompatibilidade de gênios”, bandeira assaz arvorada por casais pró-desmantelamento familiar, a Palavra de Deus também ensina como superá-la, em Cl.3:18,19.
      Concluindo, quero dizer que, não obstante as leis humanas sofrerem tantas mutações com o passar do tempo, a Lei Soberana do Senhor Deus, por ser Eterna e Imutável, para sempre permanecerá! (Is.40:8)
      Ao ensejo de mais um triste avanço no processo divorcista brasileiro, entrego mais este artigo, rogando a Deus que nos abençoe, para aceitarmos, sem parcialidades, a sua Santa, Bendita, Inerrante, Eterna e Imutável Palavra!

      • Preta diz:
        Clênio, Por gentileza, me responda algumas perguntas:?

        Podemos dirvorciar somente quando nosso parceiro morrer…?
        Então podemos mata-los(as)?

        Seria mais viável, divorciar e ser perdoado?????

        Ou matar o ex e ser perdoado?????

        Pois ambos os pecados são perdoados, certo, ou errado?

        De acordo com a palavra, missericórdia quero e não sacrifício….
        Não adianta viver fazendo sacrificios de tolo, Deus conhece o coração.
        A igreja ainda não subiu, exatamente porque não está preparada, e ainda sim, muitos iram para o fogo eterno, pois Deus somente perdoa aqueles que se arrependem verdadeiramente…certo ou errado?

        Deus casará com sua noiva se ela não cumprir seus princípios?
        Se a noiva o abandonar e não quiser mais ama-lo e servi-lo, subirá para o casamento eterno?

        Se a noiva (igreja) não fazer a vontade de Deus o Noivo, ela será sua eterna esposa na glória, ela subirá?

        Bom, se nem Deus aceita agente de qualquer jeito, devemos aceitar nos parceiros até a morte de qualquer jeito, sem separação, – repito, (não estou falando de parque de diversões, estou falando de principios, de amor, certo?)

        Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea? e se ela a deixa só em um casamento? durma separados, não se falam mais direito? iai? o que fazer? se ambos não se amam mais? sem amor??? Tem como continuar? Não falo de felicidade e nem de parque de diversões, falo de amor…ok?

        Jeremias 3:8

        8 E vi que, por causa de tudo isto, por ter cometido adultério a rebelde Israel, a despedi, e lhe dei a sua carta de divórcio, que a traiçoeramente Judá, sua irmã, não temeu; mas se foi e também ela mesma se prostituiu.( mais ela não morreu???, porque Deus deu a carta de divórcio, Clênio?

        Alguns raciocinam que o adultério não quebra o voto matrimonial feito entre marido e mulher, mas isso é um engano, e muitas ideias errôneas existem a respeito, assim como existiam no passado..Certo? ou errado?

        Cristo veio para corrigir esses males, e Seu primeiro milagre foi realizado por ocasião de um casamento. Assim anunciou Ele ao mundo que o casamento, quando puro e enobrecido, é uma sagrada instituição, quando não é puro e enobrecido (amor verdadeiro) onde não há mais verdade. será justo permancer?

        Então porque Deus não permite que sua igreja viva em adultério? Os humanos devem permitir?

        maridos amai vossas esposas… e aqueles que não amam mais suas esposas?
        Sem amor? O que acontece mesmo? Não estou falando de parque de diversões..estou falando de amor..sem o qual nada adiantaria.

        o que Deus uniu não separe o homem? e porque existem separações sem o impedimento de Deus?.

        Eu acredito que é porque o casamento verdadeiro em Deus não separa o homem,
        os que separam, é porque não é de Deus, porque não se pode separar o que Deus uniu…

        então..se há separação é porque não foi Deus que uniu e sim mãos de homens…? certo? ou errado?

        Eu acredito que é da mesma forma que uma igreja não pode ser fechada aonde abita Deus, um casamento não será jamais desfeito…

        Como qualquer coisa que Deus faz, Deus diz que dura para sempre, então, concorda que o que se desfaz Deus não uniu verdadeiramente e sim homens, em época de ignorância e sem conhecimento? è como se fosse firmado na areia e não na rocha que é o nosso Deus…certo?

        No principio Deus criou a mulher para ser ajudadora e o homem o cabeça para ama-la e cuidar dela…Se isso não mais existir no patrimônio por muitos e muitos anos? como poderá então, esse casal falar de casamento para os noivos que estão prestes a se casar???,que o casamento é bom?.????.Ou seja, não podemos deixar de vivermos o princípio de tudo que é a versão exata do matrimonio…como devemos falar do casamento se vivemos em um pé de guerra? pregaremos? como falaremos do que não vivemos? isso é de Deus?

        Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam (Atos 17.30). Pode ser considerado então uma época de igonrancia os casamentos desfeitos, como qualquer outro pecado cometido em tempos de ignorancia? sim ou não????

        Do mesmo modo que não se pode separar sem que um vá a óbito fisicamente, (“porque muitos morrem em espírito em um casamento e pra mim há o mesmo desligamento..enfim”) podemos então dizer que, a parte infiel poderá fazer sempre o que bem quiser, pois a lei de Deus diz que só pode separar se um de nós morremos? é isso mesmo, Seu Clênio???

        Se a parte infiel quiser viver em adultério, zombando, maltratando, entre outros, mesmo assim, devemos permancer casados, ?? Você entendeu?

        Desculpe pela falta de coerência, estou com sono, mais verifique se entendeu as perguntas e se possível, responda a cada uma sem excessões

        Não tenho tanto conhecimento, estou aprendo muito mesmo aqui, mais prefiro ficar com a missericórdia e não com o sacrificio de tolo..

        e outra coisa mais importante ainda…a palavra mata, mais o espirto vivifica..

        Paz e Graça.

        estou no aguardo.

        • Clênio diz:
          Preta
          Posted junho 21, 2011 at 1:22 AM
          Clênio, Por gentileza, me responda algumas perguntas:?
          Podemos dirvorciar somente quando nosso parceiro morrer…?
          Resposta “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.” (Mt 5.27,28).
          Então podemos mata-los(as)?
          Resposta Falta de perdão é continuamente tratada como um pecado particularmente hediondo (Mt 6.14,15; 18.23-35).
          Seria mais viável, divorciar e ser perdoado?????
          Resposta O que Deus faz com nossos pecados quando os levamos a Ele? Ele os purifica e os perdoa. Algumas pessoas pensam que o pecado abominável do adultério é muito ruim para que Deus o perdoe, mas Deus diz, em Mateus 12.31, que todo tipo de pecado será perdoado aos homens. Deus perdoou a mulher samaritana e que tinha sido cinco vezes casada e divorciada e que estava vivendo com um homem com quem ela não estava casada. Quando um pecador traz o seu adultério a Deus, Deus perdoa esse pecado e o esquece. Em Jeremias 31.34, o Senhor diz: “? porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados”. Nem sempre somos capazes de esquecer nossos pecados, mas Deus pode.
          Ou matar o ex e ser perdoado?????
          Resposta Também temos que nos lembrar aqui que Deus não castiga uma pessoa inocente por causa dos pecados do culpado. Em Ezequiel 18.20, Deus diz: “A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele”. Todo homem tem que pagar por seus próprios pecados. Deus não castigará uma esposa inocente para o resto de sua vida devido aos pecados cometidos por seu marido e vice-versa.
          Falta de perdão é continuamente tratada como um pecado particularmente hediondo (Mt 6.14,15; 18.23-35).
          Pois ambos os pecados são perdoados, certo, ou errado?
          Resposta O arrependimento é exigido de todos (Atos 17:30). O arrependimento é uma exigência para receber o batismo (Atos 2:38). Qualquer um que não se arrepender perecerá (Lucas 13:3, 5). Certos pecados na Lei são diferenciados em um contexto particular como uma abominação a Deus, implicando que outros não são tão severos (por exemplo, Lv 18.22, Dt 7.25, Dt 23.18, Is 41.24).
          De acordo com a palavra, missericórdia quero e não sacrifício….
          Não adianta viver fazendo sacrificios de tolo, Deus conhece o coração.
          A igreja ainda não subiu, exatamente porque não está preparada, e ainda sim, muitos iram para o fogo eterno, pois Deus somente perdoa aqueles que se arrependem verdadeiramente…certo ou errado?
          Resposta O divórcio é um problema persistente, danoso e desorientador. Hoje em dia, no mundo, a maioria das famílias já foi afetada por ele. Os pastores estão divididos a respeito de como lidar com pessoas divorciadas. Às vezes as igrejas ficam em dúvida sobre como lidar com um membro divorciado. 
          Deus casará com sua noiva se ela não cumprir seus princípios?
          Se a noiva o abandonar e não quiser mais ama-lo e servi-lo, subirá para o casamento eterno?
          Resposta
          Se a noiva (igreja) não fazer a vontade de Deus o Noivo, ela será sua eterna esposa na glória, ela subirá?
          Bom, se nem Deus aceita agente de qualquer jeito, devemos aceitar nos parceiros até a morte de qualquer jeito, sem separação, – repito, (não estou falando de parque de diversões, estou falando de principios, de amor, certo?)
          Resposta
          Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea? e se ela a deixa só em um casamento? durma separados, não se falam mais direito? iai? o que fazer? se ambos não se amam mais? sem amor??? Tem como continuar? Não falo de felicidade e nem de parque de diversões, falo de amor…ok?
          Resposta
          Jeremias 3:8
          8 E vi que, por causa de tudo isto, por ter cometido adultério a rebelde Israel, a despedi, e lhe dei a sua carta de divórcio, que a traiçoeramente Judá, sua irmã, não temeu; mas se foi e também ela mesma se prostituiu.( mais ela não morreu???, porque Deus deu a carta de divórcio, Clênio?
          Resposta Há seis passagens principais, na Bíblia, que tratam especificamente do assunto divórcio; Deuteronômio 24.1-4, Mateus 5.31-32, Mateus 19.3-9, Marcos 10.2-12, Lucas 16.18 e Romanos 7.1-3. Mateus 19.3-9 é a passagem central.
          Alguns raciocinam que o adultério não quebra o voto matrimonial feito entre marido e mulher, mas isso é um engano, e muitas ideias errôneas existem a respeito, assim como existiam no passado..Certo? ou errado?
          Resposta “Um homem que vive separado da sua primeira esposa, mesmo que divorciado e casado novamente, vive em adultério contínuo e, para que ele corrigir sua situação, teria que se divorciar de sua segunda esposa? mesmo depois do adultério, o casamento não está rompido e nunca pode ser rompido até a morte.” Paulo diz, em I Coríntios 6.16, !Ou não sabeis que o que se ajunta com uma meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois uma só carne.” Se um homem se torna uma só carne com uma meretriz, é difícil de se imaginar como ele ainda pode ser uma só carne com sua esposa.
          Cristo veio para corrigir esses males, e Seu primeiro milagre foi realizado por ocasião de um casamento. Assim anunciou Ele ao mundo que o casamento, quando puro e enobrecido, é uma sagrada instituição, quando não é puro e enobrecido (amor verdadeiro) onde não há mais verdade. será justo permancer?
          Resposta
          Então porque Deus não permite que sua igreja viva em adultério? Os humanos devem permitir?
          Resposta É interessante notar neste momento que, em Jeremias 3.8-9, Deus descreve-se como que se divorciando de Israel por causa do adultério espiritual dela contra Ele. Ele a repudiou e lhe deu uma carta de divórcio. “E vi que, por causa de tudo isto, por ter cometido adultério a rebelde Israel, a despedi, e lhe dei a sua carta de divórcio, que a aleivosa Judá, sua irmã, não temeu; mas se foi e também ela mesma se prostituiu. E sucedeu que pela fama da sua prostituição, contaminou a terra; porque adulterou com a pedra e com a madeira.” O divórcio é um problema persistente, danoso e desorientador. Hoje em dia, no mundo, a maioria das famílias já foi afetada por ele. Os pastores estão divididos a respeito de como lidar com pessoas divorciadas. Às vezes as igrejas ficam em dúvida sobre como lidar com um membro divorciado.
          maridos amai vossas esposas… e aqueles que não amam mais suas esposas?
          Sem amor? O que acontece mesmo? Não estou falando de parque de diversões..estou falando de amor..sem o qual nada adiantaria.
          o que Deus uniu não separe o homem? e porque existem separações sem o impedimento de Deus?.
          Eu acredito que é porque o casamento verdadeiro em Deus não separa o homem,
          os que separam, é porque não é de Deus, porque não se pode separar o que Deus uniu…
          então..se há separação é porque não foi Deus que uniu e sim mãos de homens…? certo? ou errado?
          Resposta porque os homens e as mulheres sempre procuram meios de evitar o assunto divórcio a fim de aliviar as suas consciências culpadas e torná-los capazes de externalizar a maldade de seus corações. Por isso, a vontade de Deus revelada a respeito deste assunto deve se fazer conhecida continuamente.Deus odeia o DIVÓRCIO. 
          Eu acredito que é da mesma forma que uma igreja não pode ser fechada aonde abita Deus, um casamento não será jamais desfeito…
          Preta.

          Como qualquer coisa que Deus faz, Deus diz que dura para sempre, então, concorda que o que se desfaz Deus não uniu verdadeiramente e sim homens, em época de ignorância e sem conhecimento? è como se fosse firmado na areia e não na rocha que é o nosso Deus…certo?
          Resposta Divórcio devido à tremenda onda de divórcio que está varrendo nosso mundo nos dias de hoje. Homens e mulheres, meninos e meninas precisam ser informados e advertidos sobre a vontade de Deus a respeito deste assunto muito sério. Oh, se pelo menos um matrimônio fosse poupado, se pelo menos uma pessoa jovem evitasse o pecado e as angústias de um lar desmoronado por intermédio desta mensagem! 

          No principio Deus criou a mulher para ser ajudadora e o homem o cabeça para ama-la e cuidar dela…Se isso não mais existir no patrimônio por muitos e muitos anos? como poderá então, esse casal falar de casamento para os noivos que estão prestes a se casar???,que o casamento é bom?.????.Ou seja, não podemos deixar de vivermos o princípio de tudo que é a versão exata do matrimonio…como devemos falar do casamento se vivemos em um pé de guerra? pregaremos? como falaremos do que não vivemos? isso é de Deus?
          Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam (Atos 17.30). Pode ser considerado então uma época de igonrancia os casamentos desfeitos, como qualquer outro pecado cometido em tempos de ignorancia? sim ou não????
          Resposta O Senhor diz, em Mateus 19.6, que a ordenança de Deus enlaça marido e mulher e, uma vez que a ordenança de Deus enlaça marido e esposa, a ordenança para o homem é que não os ponha separados, e a ordenança para o homem é não desfazer o enlace ou separar marido e esposa, seja essa ordenança redigida pelo próprio parceiro do matrimônio, pelo estado, pela igreja ou por qualquer um que seja. A vontade de Deus revelada é que marido e esposa não se divorciem! Mateus 19.3-9 revela a vontade de Deus a respeito do divórcio e clara e inequivocamente ordena que marido e esposa não se divorciem, que não seja feita a separação de seu casamento. 
          Do mesmo modo que não se pode separar sem que um vá a óbito fisicamente, (“porque muitos morrem em espírito em um casamento e pra mim há o mesmo desligamento..enfim”) podemos então dizer que, a parte infiel poderá fazer sempre o que bem quiser, pois a lei de Deus diz que só pode separar se um de nós morremos? é isso mesmo, Seu Clênio???
          Resposta O Senhor diz que o divórcio ou o repúdio da esposa de algum indivíduo não é legal, não importa o motivo, exceto um motivo. O Senhor diz que há um motivo, e somente um, pelo qual uma pessoa casada pode se divorciar de seu cônjuge de maneira justa. Aos olhos dos homens há muitos motivos para o divórcio hoje em dia. Há crueldade, violência contra a esposa, alcoolismo, falta de apoio, cônjuges condenados à prisão, hospitalização, loucura, um marido ou esposa que se torna uma pessoa relaxada, um casamento que não está dando certo, diferenças irreconciliáveis, incompatibilidade, etc., etc., etc.

          Se a parte infiel quiser viver em adultério, zombando, maltratando, entre outros, mesmo assim, devemos permancer casados, ?? Você entendeu?
          Resposta O sétimo mandamento diz !NÃO ADULTERARÁS?. Obviamente esse mandamento proíbe imoralidade tanto para pessoas solteiras como também para pessoas casadas, assim, aqui, adultério e fornicação partilham o mesmo significado. 
          Desculpe pela falta de coerência, estou com sono, mais verifique se entendeu as perguntas e se possível, responda a cada uma sem excessões
          Não tenho tanto conhecimento, estou aprendo muito mesmo aqui, mais prefiro ficar com a missericórdia e não com o sacrificio de tolo..
          e outra coisa mais importante ainda…a palavra mata, mais o espirto vivifica..
          Paz e Graça.
          estou no aguardo.

        • Andréa diz:
          Olha por isso que muitas mulheres hoje estão sofrendo e morrendo com parceiros que não a valorizam e ainda por cima estão pisando em sua fé … o meu povo sofre e padece por falta de conhecimento diz o Senhor…olha cada caso é um caso só quem vive a situação pode falar a respeito e Deus age segundo a necessidade de cada um…pra mim se o casal vive em brigas e o homem ou mulher vive desonestamente e sob ameaças e melhor que se aparte do mal antes que o inimigo aproveite dessa brecha e ache lugar para fazer a tragédia…
          • cristina diz:
            Puxa uma resposta simples,profunda e direta!!!
            as vezes as pessoas esquecem Andréa que o nosso Deus è vivo e olha pra cada um com um olhar especial e profundo e o justo JUIZ sabe qual a sentença a ser declarada. beijo grande.
  6. Clênio diz:
    O pavor semeado na mente humana sobre o inferno…

    Inferno é um termo usado por diferentesreligiões, mitologias e filosofias, representando a morada dos mortos, ou lugar de grande sofrimento e de condenação. A origem do termo é latina:infernum, que significa “as profundezas” ou o “mundo inferior”.

    A palavra inferno, que hoje conhecemos, origina-se da palavra latina pré-cristã inferus”lugares baixos”, infernus. Na Bíblia latina, a palavra é usada para representar o termo hebraico Seol e os termos gregos Hades e Geena, sem distinção. A maioria das versões em idioma Português seguem o latim, e eles não fazem distinção do original hebraico ou grego:
    Das palavras Hades e Sheol, ambas com mesmo significado, tendo conotação clara de um lugar para onde os mortos vão. Em versículos bíblicos onde se menciona tais palavras, é possível perceber que se trata de um só lugar. Com o passar do tempo, muitas religiõesinterpretaram o inferno, como o destino de apenas alguns; pessoas que não assumiram uma conduta louvável no ponto de vista religioso, e que por isso, foram condenadas aosofrimento jamais visto pelo mundo material. Alguns teólogos observaram, contraditoriamente, que o inferno não poderia ser um lugar desagradável, afirmando que um personagem bíblico que estava em sofrimento no mundo real, almejou “esconder-se no inferno”, para aliviar sua dor. Porém, o próprio Jesus fez uma narrativa de uma situação de uma pessoa que se encontrava no inferno, essa pessoa implorava a Abraão que mandasse um conhecido que não estava no inferno lhe refrescasse a língua com pelo menos a ponta do dedo molhado em água, pois em chamas era atormentado (Ver Lucas, capítulo 16, versículos de 19 ao 31). Obviamente tal relato não foi em sentido literal, pois uma gota de água não alivia dor de quem está em chamas ou num calor intenso, mas queria dizer que pelo enorme sofrimento precisaria aliviar-se de qualquer jeito. A crença na existência de um lugar de tormento para o significado das palavras Hades e Sheol, foi muitas vezes confundida com a palavra “Geena”, traduzida para “lago de fogo”, uma forma simbólica para destruição eterna. Alguns teólogos concluem que todos que morrem vão para o inferno (Hades e Sheol), lugar onde até o próprio Jesus foi, a sepultura, sua câmara mortuária. Como a própria Bíblia menciona, ele não foi esquecido no Inferno, foi ressuscitado ao terceiro dia conforme relatam os evangelhos. Porém deve-se salientar que outros teólogos veem que essa ida de Cristo ao lugar de tormento foi para tomar o lugar de cada ser humano que estava destinado à morte eterna pelo pecado original de Adão, e sendo Jesus tido como o consumador da fé serviu de cordeiro expiatório apesar de não ter visto corrupção.
    Mudanças no Sentido da Palavra Inferno
    O Dicionário Expositivo de Palavras do Velho e do Novo Testamento diz a respeito do uso de inferno para traduzir as palavras originais do hebraico Sheol e do grego Hades (Bíblia): Hades . . . Corresponde a Sheol no Antigo Testamento. Na Versão Autorizada do A.T. e do N. T., foi vertido de modo infeliz por Inferno.
    A Enciclopédia da Collier diz a respeito de Inferno: Primeiro representa o hebraico Seol do Antigo Testamento, e o grego Hades, da Septuaginta e do Novo Testamento. Visto queSeol, nos tempos do Antigo Testamento, se referia simplesmente à habitação dos mortos e não sugeria distinções morais, a palavra ‘inferno’, conforme entendida atualmente, não é uma tradução feliz.
    O Terceiro Novo Dicionário Internacional de Webster diz: Devido ao entendimento atual da palavra inferno (Latim Infernus) é que ela constitui uma maneira tão infeliz de verter estas palavras bíblicas originais. A palavra inferno não transmitia assim, originalmente, nenhuma idéia de calor ou de tormento, mas simplesmente de um lugar coberto ou oculto (de . . . helan, esconder).
    A Enciclopédia Americana diz: Muita confusão e muitos mal-entendidos foram causados pelo fato de os primitivos tradutores da Bíblia terem traduzido persistentemente o hebraico Seol e o grego Hades e Geena pela palavra inferno. A simples transliteração destas palavras por parte dos tradutores das edições revistas da Bíblia não bastou para eliminar apreciavelmente esta confusão e equívoco.
    O significado atribuído à palavra inferno atualmente é o representado em A Divina Comédiade Dante, e no Paraíso Perdido de Milton, significado este completamente alheio à definição original da palavra. A idéia dum inferno de tormento ardente, porém, remonta a uma época muito anterior a Dante ou a Milton.
    Inferno como arquétipo contemporâneo
    A fusão entre paixão, desejo, pecado e condenação envolvida na imagem do Inferno permitiram ao imaginário contemporâneo imaginar antes lugar de prazer e de servidão ao prazer do que propriamente de sofrimento ou purificação. O fenômeno é bem observado na cultura cristã que, no seguimento dos esforços aplicados às ideias de purificação domonoteísmo, condenou as divindades mais materiais da fertilidade, das paixões e daenergia sexual, o que literalmente as transformou em demônios. Assim, os arquétipos da paixão e do prazer ficaram associados ao do inferno, com a conseqüente mudança de sentido e de atração sobre a imaginação.
    Outras correntes de pensamento actuais, curiosamente também com base na cultura católica-cristã, demonstram a sua opinião de inferno não como um local físico, mas antes como um estado de espírito, indo ao encontro da ideia preconizada por diversas correntes filosófico-religiosas partidárias da reencarnação.

    Na mitologia grega, as profundezas correspondiam ao reino de Hades, para onde iam os mortos. Daí ser comum encontrar-se a referência de que Hades era deus dos Infernos. O uso do plural, infernos indica mais o caráter de submundo e mundo das profundezas do que o caráter de lugar de condenação, em geral dado pelo singular, inferno. Distinguindo o lugar dos mortos – o Hades – a mitologia grega também concebeu um lugar de condenação ou de prisão, o Tártaro.
    A Grolier Universal Encyclopedia(Enciclopédia Universal Grolier, 1971, Vol. 9, p. 205), sobre “Inferno”, diz:
    “Os hindus e os budistas consideram o inferno como lugar de purificação espiritual e de restauração final. A tradição islâmica o considera como um lugar de castigo eterno.” O conceito de sofrimento após a morte é encontrado entre os ensinos religiosos pagãos dos povos antigos daBabilônia e do Egito. As crenças dos babilônios e dos assírios retratavam o “mundo inferior . . . como lugar cheio de horrores, . . . presidido por deuses e demônios de grande força e ferocidade”. Embora os antigos textos religiosos egípcios não ensinem que a queima de qualquer vítima individual prosseguiria eternamente, eles deveras retratam o “Outro Mundo” como tendo “covas de fogo” para “os condenados”. — The Religion of Babylonia and Assyria (A Religião de Babilônia e Assíria), de Morris Jastrow Jr., 1898, p. 581; The Book of the Dead (O Livro dos Mortos), com apresentação de E. Wallis Budge, 1960, pp. 135, 144, 149, 151, 153, 161, 200.
    Religiões abraâmicas
    Judaísmo
    No judaísmo, o termo Gehinom (ou Gehena) designa a situação de purificação necessária àalma para que possa entrar no Paraíso - denominado por Gan Eden. Nesse sentido, o inferno na religião e mitologia judaica não é eterno, mas uma condição finita, após a qual a alma está purificada. Outro termo designativo do mundo dos mortos é Sheol, que apresenta essa característica de desolação, silêncio e purificação.
    A palavra vem de Ceeol, que mais tarde dá origem ao termo sheol, não confundindo com “Geena” que era o nome dado a uma ravina profunda ao sul de Jerusalém, onde sacrifícios humanos eram realizados na época de doutrinas anteriores. Mais tarde, tornou-se uma espécie de lixão da cidade de Jerusalém, frequentemente em chamas devido ao material orgânico. O uso do termo Sheol indica lugar de inconsciência e inexistência, conforme o contexto nos mostra e não um lugar de punição.
    Cristianismo

    No Cristianismo existem diversas concepções a respeito do inferno, correspondentes às diferentes correntes cristãs. A idéia de que o inferno é um lugar de condenação eterna, tal como se apresenta hoje para diversas correntes cristãs, nem sempre foi e ainda não é consenso entre os cristãos. Nos primeiros séculos do cristianismo, houve quem defendesse que a permanência da alma no inferno era temporária, uma vez que inferno significa “sepultura”, de onde, segundo osEvangelhos, a pessoa pode sair quando daressurreição. Essa idéia é defendida hoje por várias correntes cristãs.
    Adventismo
    Na criação da humanidade, a união do pó da terra com o fôlego de vida produziu uma criatura ou alma vivente. Adão não recebeu uma alma como entidade separada; ele tornou-se alma vivente (Gênesis 2:7). Na morte, ocorre o inverso: o pó da terra menos o fôlego de vida resulta numa pessoa morta ou alma morta, sem qualquer grau de consciência (Jó 34:14-15; Salmo 146:4; Eclesiastes 9:5,6). Os elementos que haviam composto o corpo retornam à terra de onde haviam provindo (Gênesis 3:19), enquanto que fôlego de vida volta a Deus, que o deu (Eclesiastes 12:7). Cabe lembrar que na Bíblia, os termos hebraico e grego para ‘espírito’ (ruach e pneuma, repectivamente) NÃO se referem a uma entidade inteligente, capaz de existência consciente à parte do corpo. Ao contrário, esses termos se aplicam ao ‘fôlego de vida’ – o princípio vital da existência que anima seres humanos e animais. (baseado no livro ‘Nisto Cremos’ – Ensinos Bíblicos dos Adventistas do Sétimo Dia – A Bíblia é enfática ao afirmar que uma pessoa viva É uma alma (Atos 7:14); afirma, também, que a alma NÃO é imortal (Ezequiel 18:4; Romanos 6:23), que o homem busca a imortalidade (Romanos 2:6-7; I Coríntios 15:53) e que o Único que possui e imortalidade é Deus (I Timóteo 6:16).
    Assim sendo, fica evidente que os mortos dormem num estado de insconsciência (I Reis 2:10; 11:43; Jó 14:12; Salmo 17:15; Mateus 27:52; João 11:11-14; I Coríntios 15:51; I Tessalonicenses 4:13-17); logo, não estão em alguma habitação intermediária mas, unicamente, na sepultura (Jó 3:11-19; 14:10-12; Salmo 89:48; Eclesiastes 9:10; João 5:28-29), donde não poderão retornar às suas casas (Jó 7:9-10), não possuem glórias (Salmo 49:17), não sabem de nada do que se passa (Jó 14:21), não possuem sentimentos e nem lembrança alguma (Eclesiastes 9:5-6), não lembram de Deus e nem louvam a Deus (Salmos 6:5; 88:11; 115:17; Isaías 38:18-19). É impossível que algum homem esteja, agora, no Céu, pois a Bíblia afirma que ninguém subiu ao Céu, a não ser Jesus Cristo (João 3:13; Atos 2:34; Hebreus 11:13). O prórpio Cristo afirmou que não subiu ao Céu por ocasião de Sua morte (João 27:17), mas desceu ao Hades (greg. supultura – Atos 2:31), ressuscitando ao terceiro dia (Atos 2:32)
    Todos aguardam a segunda vinda de Cristo, quando então os salvos serão ressuscitados e reinarão com Jesus durante mil anos (I Tessalonicenses 4:15-18; 2 Corintios 4:14, Apocalipse 20:6). Depois desse período, os ímpios ressuscitarão para o Juízo final (Apocalipse 20:5-9). Então cairá fogo e enxofre do Eterno Deus para purificar a Terra (2 Pedro 3:10-12). Esse fogo queimará tudo (Isaias 33:12; Malaquias 4:1); não restará nada (Salmo 37:20). Satanás, os demônios e os ímpios também serão aniquilados (Apocalipse 20:9). Isso é chamado pela Bíblia de segunda morte (Apocalipse 20:6, 14) Jesus e Seu povo fiel reinará para sempre na Nova Terra (Apocalipse 21:1-5).
    Nos textos originais, o significado da palavra inferno está associado à total inconsciência dos mortos na sepultura. A nomenclatura inferno não aparece nos textos gregos e hebraicos por se tratar de uma palavra de origem latina (inferuim – mundo inferior). Na Bíblia, os próprios termos originais já denotam isso – Sheol (hebraico, sig. sepultura: Salmos 16:10; 49:15; 89:48); Hades (grego, sig, sepultura: Atos 2:27 e 31, Apocalipse 20:13-14). O fogo da destruição final vem da palavra hebraica “Geena”, e mesmo este só ocorre após o juizo final e resulta na aniquilação completa de Satanás, os demônios e os perversos (Mateus 10:28). Cada um receberá seu castigo de acordo com suas obras (Mateus 16:27; II Timóteo 4:1; Apocalipse 20:11-15; 22:12)
    Por fim, é interessante notar que em Mateus 25 e Apocalipse 14, as palavras traduzidas por “eterno” e “séculos dos séculos” não significam necessariamente sem fim. As palavras gregas aion e aionios expressam duração enquanto a natureza do objeto permite. Por exemplo, em Judas 7 registra que as cidades de Sodoma e Gomorra estão sofrendo o fogo do castigo eterno (aionios) Mas 2 Pedro 2:6 diz que elas foram reduzidas a cinzas, tanto que é facilmente verificável que tais cidades não estão mais queimando em chamas. Quando o objeto das palavras “eterno” ou “para sempre” é a vida dos remidos que recebem imortalidade, a palavra significa um tempo sem fim. Quando se refere ao castigo dos ímpios, que não recebem a imortalidade, a palavra tem o significado de um período limitado de tempo. (baseado na Lição da Escola Sabatina – Jan/Mar 2009 – Casa Publicadora)
    Para os adventistas do sétimo dia, o plano de Deus não é a destruição da humanidade, mas a salvação das pessoas gratuitamente por meio da fé (Efésios 2:8-9) no sacrifício do Seu Filho (João 3:16). O objetivo de Deus é restaurar a Terra em sua imagem edênica (Atos 3:21), criando um novo um novo Céu, um novo Lar para Seus filhos queridos (Apocalipse 21 e 22), livre da dor e da morte (Isaías 25:8-9), com um ambiente perfeito e puro (Isaías 35), nesta terra renovada (Salmos 37:9 e 22; 78:69; Mateus 5:5; Apocalipse 5:11), onde os salvos habitarão para sempre (Isaías 66:22-23) nas moradas que Cristo foi preparar (João 14:1-3) … O pecado não se levantará segunda vez (Naum 1:9)
    Catolicismo
    Para a corrente católica, conduzida pela Igreja Católica Apostólica Romana, o inferno é eterno e corresponde a um dos chamados novíssimos: a morte, o juízo final, o inferno e oparaíso. Baseando-se em textos bíblicos como quando Jesus disse que o homem que desprezar seu irmão “incorrerá os fogos da Gehenna” (Mt 5,22). Jesus também advertiu,“não temais os que matam o corpo mas não podem matar a alma. Antes, temei quem pode destruir tanto corpo como alma na Gehenna” (Mt 10,28). Jesus disse, “Se tua mão te faz cair, corta-a. Melhor você entrar na vida com uma só mãos que manter ambas as mãos e ir para a Gehenna com seu fogo inextinguível” (Mc 9,43). Usando a parábola do joio e do trigopara descrever o juízo final, Jesus disse, “os anjos lançarão [os pecadores] na fornalha inflamável onde prantearão e moerão os seus dentes (Mt 13,42). Também, quando Jesus fala sobre o juízo final onde a ovelha será separada dos lobos, Ele dirá ao pecador, “afastai-vos de mim, malditos, para o fogo perpétuo preparado para o demônio e seus anjos (Mt25,41). No Livro da Revelação, é relatado que cada pessoa é julgada individualmente e os pecadores são lançados em uma “fosso de fogo, a segunda morte” (20,13-14).
    Protestantismo
    Para muitas das denominações protestantes, o inferno é o local destituido da presença de Deus, porém não lhe está oculto, sendo que no cumprir das profecias esse inferno será lançado no lago que arde com fogo e enxofre.
    A interpretação bíblica protestante afirma que, após a morte, a alma, uma vez no inferno, não poderá mais sair, assim como em relação ao paraíso (céu), não existindo forma de cruzar a fronteira que separa estes dois locais.
    Há ainda outra visão dentro do cristianismo não-católico, que coloca a morte como umsono, um estado sem consciência (Eclesiastes 9:5; Jó 14:21; João 11:11-14), de forma que, conseqüentemente, os ímpios mortos não estão no inferno nem os salvos mortos no céu, mas aguardando a segunda vinda de Cristo, quando então os salvos entrarão para océu, que é eterno, e os ímpios entrarão no lago de fogo, o inferno, (Apocalipse 20:15), que também será eterno (Miquéias 4:3). Segundo esta interpretação, o inferno é um lugar preparado para a punição de Satanás, seus anjos e seus seguidores (Mateus 25:41), ao contrário da visão comum que coloca Satanás como dominante do inferno.
    Testemunhas de Jeová
    Para as Testemunhas de Jeová, o inferno de fogo como lugar literal de tortura das pessoas iníquas é rejeitado. Citam na Bíblia, os termos normalmente traduzidos por “inferno”, Hades (Bíblia) [termo grego] e Seol [ou Sheol, termo hebraico], significando “sepultura” ou “lugar dos mortos”. Também no caso de Geena [termo grego] com a ideia de destruição e aniquilação eterna.(Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas). Citam Atos 2:27, onde Jesus desceu ao Inferno (Hades ou Seol) e foi ressuscitado . As Testemunhas de Jeová acreditam que após a ressurreição dos mortos, os pecados anteriores não lhes serão imputados [Romanos 6:7 "Pois aquele que morreu foi absolvido do [seu] pecado”.(TNM) mas poderão recomeçar a vida escolhendo voluntariamente servir a Deus e alcançar assim a salvação.
    Espiritismo
    O inferno, segundo a visão do Espiritismo, é um estado de consciência da pessoa que incorre em ações contrárias às estabelecidas pelas Leis morais, as quais estão esculpidas na consciência de cada pessoa.
    Uma vez tendo a criatura a sua consciência “ferida”, passa a viver em desajuste mais ou menos significativo de acordo com o grau de gravidade de suas ações infelizes, e se estampam através de desequilíbrios Espiritual, emocional, psicológico ou até mesmo orgânico. Esta situação lhe causa terríveis dissabores.
    Uma vez morta, se a criatura não evitou ações infelizes, buscando vivência saudável de acordo com as leis divinas, ela segue para o Plano Espiritual ou incorpóreo. Lá, junta-se a outros espíritos, que trazem conturbações conscienciais semelhantes. Afins, atraem afins.
    Os Planos Espirituais de sofrimentos são inumeráveis e, guardam níveis de sofrimentos diferenciados, cujos níveis são estabelecidos pelos tipos de degradação da consciência, resultantes das ações perpetradas por cada criatura.
    Portanto o Inferno na visão espírita, como região criada por Deus para sofrimento eterno da criatura e geograficamente constituído, não existe. Se um dia todas estas criaturas sofredoras na erraticidade regenerarem-se, estas regiões deixarão de existir. É como se todos os pacientes de um manicômio terrestre fossem curados; o hospital poderia ser demolido e ceder o seu espaço a um jardim, etc.
    Deus não imputa pena eterna a nenhum de seus filhos. Podem Sofrer, enquanto não despertarem para o Bem e se propuserem a trilhar o reto caminho. Um dia mais cedo ou mais tarde Ele, O Criador, na Sua Misericórdia e Amor, concederá à criatura sofredora retorno à carne para continuar o seu aprendizado e aperfeiçoamento.
    Estes conceitos são encontrados em O Livro dos Espíritos, editado em Abril de 1857 na sua quarta parte e, no livro O Céu E O Inferno editado em 1865. Ambas obras tendo como autor, Allan Kardec.
    Islamismo
    No Islã, o inferno é eterno, consistindo em sete portões pelos quais entram as várias categorias de condenados, sejam eles muçulmanos injustos ou não-muçulmanos. Como na crença judaica, para o islamismo o inferno também é um lugar de purificação das almas, onde aqueles que, se ao menos um dia de suas vidas acreditaram que Deus (Allah) é único, não Gerou e nem Foi gerado, terão suas almas levadas ao Paraíso um dia. Não raro, é comum a crença de que no Islã o castigo é eterno, por ter bases fundamentalistas de alguns praticantes, pelo fato de o Alcorão mencionar diversas vezes a palavra castigo e sofrimento no fogo do inferno. Porém é fato que o mesmo Texto deixa claro que existem condições para se pagar os pecados e sofrer as consequencias, como também existem meios de se alcançar o perdão para o não banimento ao inferno por meio de aplicações de condutas que condizem com os bons costumes e a maneira de enxergar Deus, a vida e a forma de como deverá cada ser conduzi-la, a ponto de pagarem seus pecados post mortem, ou alcançarem a graça do perdão Divino.
    Religiões orientais
    Budismo
    De certo modo, todo o samsara é um lugar de sofrimento para o budismo, visto que em qualquer reino do samsara existe sofrimento. Entretanto, em alguns reinos, o sofrimento é maior correspondendo à noção de inferno como lugar ou situação de maior sofrimento e menor oportunidade de alcançar a liberação do samsara. Por esse motivo, muitas vezes expressam-se esses mundos de sofrimento maior como infernos. Nenhum renascimento em um inferno é eterno, embora o tempo da mente nessas situações possa ser contado em eras.
    Contam-se dezoito formas de infernos, sendo oito quentes, oito frios e mais dois infernos que são, na verdade, duas subcategorias de infernos: os da vizinhança dos infernos quentes e o infernos efêmeros. Além desses dezoito que constituem o “Reino dos Infernos”, pelo sofrimento, o “Reino dos Fantasmas Famintos” é comparável à noção de inferno, sendo constituído de estados de consciência de forte privação – como fome ou sede – sem que haja possibilidade de saciar essa privação.
    No budismo, o renascimento em um inferno é uma conseqüência das virtudes e não-virtudes praticadas, de acordo com a verdade relativa do karma. Entretanto, alguns poucos atos podem, por si, conduzir a um renascimento nos infernos, principalmente o ato de matar um Buda e o ato de matar o próprio pai ou a própria mãe. A meditação sobre os infernos deve gerar compaixão.
    Segundo as mais variadas mitologias
    O Inferno, recebe várias versões nas mais variadas mitologias:
    Di Yu, o inferno da mitologia chinesa;
    Hades, o inferno da mitologia greco-romana;
    Helgardh, o inferno da mitologia nórdica;
    Mundo dos mortos, o inferno da mitologia egípcia;
    Mag Mell, o inferno da Mitologia irlandesa;
    Ne no Kuni e Yomi no Kuni, os infernos da mitologia japonesa.

  7. Davi diz:
    A falta da simplicidade te confunde,Clênio! vc mistura o certo com o errado.Vc consegue chegar perto da verdade e se desvia na hora que vai alcança-la.Não respondeu a pergunta que ela te fez sobre Jeremias.O que Jesus disse em Marcos e lucas deve ser interpretado de acordo com a amplitude de Mateus senão haverá contradição,mas volte a explicar de forma simples o que é “porneia”,fornicação,que jesus disse que dissolve o casamento..É evidente que Deus odeia o divorcio e que o casamento foi feito para durar e que hoje está banalizado com tanto divórcio que não se enquadra no que jesus disse e que este tipo de divorcio não é bíblico.Mas volte ao u´nico motivo que Jesus disse que dissolve o casamento ,diga o que vc entendeu de porneia e não o que vc copia da internet,fale o que VC entende. quando me sobrer um tempinho te respondo.
    • Clênio diz:
      Caro amigo mais claro que isto…Em jeremias 3.8 Deus esta falando da idolatria e não no sentido lato da palavra de divórcio entre casais. ( 9 E com sua ardente luxúria maculou a terra, adulterando-se com a pedra e com a madeira. )

      Porneia= porneiade

      relação sexual ilícita2)

      adultério, fornicação, homossexualidade,lesbianismo, relação sexual com animais etc.3)

      relação sexual com parentes próximos; Lv 184)

      relação sexual com um homem ou mulher divorciada; Mc 10.11-12 2) metáf. adoração de ídolos.endo assim quando a bíblia fala sobre adultério ela usaessa palavra, mas quando sobre prostituição ela utiliza amesma expressão, fornicação, homossexualidade e assimpor diante, pois no grego o significado da palavra pode sermuito mais amplo que no português.Preparamos uma lista de textos que utilizam a expressão ³pornéia´, tratando de imoralidade:

      Por toda parte se ouve que há
      imoralidade
      entre vocês,imoralidade que não ocorre nem entre os pagãos, a pontode alguém de vocês possuir a mulher de seu pai.1Coríntios 5:1 Tornaram-se cheios de toda sorte de injustiça, maldade,ganância e
      depravação
      . Estão cheios de inveja,homicídio, rivalidades, engano e malícia. Sãobisbilhoteiros,Romanos 1:29 Ora, as obras da carne são manifestas:
      imoralidade sexual
      , impureza e libertinagem;Gálatas 5:19 Entre vocês não deve haver nem sequer menção de
      imoralidade sexual
      nem de qualquer espécie deimpureza nem de cobiça; pois estas coisas não sãopróprias para os santos.Efésios 5:3 Eu lhes digo que todo aquele que se divorciar de suamulher, exceto por
      imoralidade sexual
      , e se casar comoutra mulher, estará cometendo adultério”.Mateus 19:9 “Os alimentos foram feitos para o estômago e o estômagopara os alimentos”, mas Deus destruirá ambos. O corpo,porém, não é para a
      imoralidade
      , mas para o Senhor, eo Senhor para o corpo.1 Coríntios 6:13 pois verdadeiros e justos são os seus juízos. Ele condenoua grande prostituta que corrompia a terra com a sua
      prostituição
      . Ele cobrou dela o sangue dos seusservos”.Apocalipse 19:2 Receio que, ao visitá-los outra vez, o meu Deus mehumilhe diante de vocês e eu lamente por causa demuitos que pecaram anteriormente e não searrependeram da impureza, da
      imoralidade sexual
      e dalibertinagem que praticaram.2 Coríntios 12:21

      O capítulo 7 de Coríntios é onde o N.T deixa mais claro aquestão da imoralidade sexual, porque era um problemavigente nesta cidade na época do AP. Paulo. Deste textoseguem algumas partes fortes para entender o sexo pré-marital como pornéia:1 Co 7.1,2:Quanto aos assuntos sobre os quais vocês escreveram, ébom que o homem não toque em mulher, mas por causada
      imoralidade
      , cada um deve ter sua esposa, e cadamulher o seu próprio marido.Ou seja, ele está dizendo para os homens nem tocaremnas mulheres, não terem relações sexuais por causa daimoralidade, mas se não conseguirem se abster do sexo,que se casem. Interpreta-se que Paulo está liberando osexo, exclusivamente dentro do casamento. ³Cada qualcom sua esposa e seu marido´ Em 1 Co. 7.7-9 Paulo afirma a mesma coisa, mas demaneira ainda mais clara:Gostaria que todos os homens fossem como eu
      (ou seja, solteiros, castos, sem relação sexual);
      mas cada umtem o seu próprio dom da parte de Deus; um de ummodo, outro de outro.Digo, porém, aos solteiros e às viúvas: é bom quepermaneçam como eu.
      (Celibatário)
      Mas, se não conseguem controlar-se, devem casar-se,pois é melhor casar-se do que ficar ardendo de desejo.
      Celibatário: Pessoa que não se casou por opção própria, dicisão por vida solteira e sem relações sexuais.

      Ou vamos com a Bíblia Palavra de Deus… Ou pela vontade dos homens?

      Diz o cânon 1142: “O matrimônio não consumado entre batizados ou entre uma parte batizada e outra não batizada pode ser dissolvido pelo Romano Pontífice por justa causa, a pedido de ambas as partes ou de uma delas, mesmo que a outra se oponha”.

      Este caso pode ocorrer; todavia não é fácil comprovar que não houve consumação carnal do matrimônio. O cânon n° 1061 observa que a consumação do matrimônio deve ser praticada humano modo, isto é, de modo livre e normal; na hipótese contrária, não se pode falar de consumação. A exigência de modo humano é muito oportuna, pois exclui os casos de inseminação artificial (mesmo que desta nasça uma criança); exclui também os casos em que a esposa é constrangida ou colhida num momento de transtorno mental provisório. Outrora julgava-se que o matrimônio estaria consumado e feito indissolúvel mesmo que a esposa, recusando por medo iniciar a vida sexual, fosse violentada.

      Como se vê, a temática matrimônio é muito complexa- O que há de novo na legislação da Igreja datada de 1983, é a compreensão mais apurada do psiquismo humano e das suas potencialidades; como também dos seus limites. Este fator é importantíssimo, pois não se pode julgar o comportamento de alguém unicamente pelo seu foro externo. É decisivo o foro interno, que nem sempre transparece- Em conseqüência, verifica-se que muitos matrimônios outrora tidos como válidos hoje podem ser considerados nulos, porque faltaram ao(s) nubente(s) as condições psicológicas para contrair as obrigações matrimoniais.
      4. Divorciados Recasados e Eucaristia

      Tem-se colocado com insistência a questão: um casal de divorciados unidos apenas por um contrato civil não poderia receber os sacramentos, especialmente a Comunhão Eucarística? Multiplicam-se tais casos, as núpcias civis parecem levar dois interessados à harmonia de um autêntico casal vinculado por amor sincero. Por que lhes negar o acesso aos sacramentos?

      Tal questionamento toca um ponto delicado da Moral Católica. Com efeito; o sacramento do matrimônio é indissolúvel; por isto qualquer nova união contraída por um dos cônjuges enquanto o outro ainda vive é tida como violação ilícita do vínculo sacramental, violação que gera um estado de vida contrário à Lei de Deus e, por isto, não habilitado para receber a Eucaristia.

      Para renovar a consciência desta doutrina frente à problemática contemporânea, a Congregação para a Doutrina da Fé publicou aos 14 de setembro de 1994 uma “Carta dirigida aos Bispos da Igreja Católica a respeito da recepção da Comunhão Eucarística por parte de fiéis divorciados novamente casados”. Deste documento extraímos o seguinte trecho: “Face às novas propostas pastorais acima mencionadas, esta Congregação considera, pois, seu dever reafirmara doutrina e a disciplina da igreja nesta matéria. Por fidelidade à palavra de Jesus Cristo,’ a Igreja sustenta que não pode reconhecer como válida uma nova união, se o primeiro matrimônio foi válido. Se os divorciados se casam civilmente, ficam numa situação objetivamente contrária à lei de Deus- Por isso, não podem aproximar-se da Comunhão Eucarística, enquanto persiste tal situação.

      Esta norma não tem, de forma alguma, um caráter punitivo ou discriminatório para com os divorciados novamente casados, mas exprime antes uma situação objetiva que, por si, torna impossível o acesso à Comunhão Eucarística. Não podem ser admitidos, já que o seu estado e condições de vida contradizem objetivamente àquela união de amor entre Cristo e a Igreja, significada e atuada na Eucaristia. Há, além disso, um outro peculiar motivo pastoral. se se
      admitissem estas pessoas à Eucaristia; os fiéis seriam induzidos em erro e confusão acerca da
      doutrina; da Igreja sobre a indissolubilidade do matrimônio.

      Para os fiéis que permanecem em tal situação matrimonial, o acesso à Comunhão Eucarística é aberto unicamente pela absolvição sacramental, que pode ser dada só àqueles que, arrependidos de ter violado o sinal da Aliança e da fidelidade a Cristo, estão sinceramente dispostos a uma forma de vida não mais em contradição com a indissolubilidade do matrimônio- Isto tem como conseqüência, concretamente, que, quando o homem e a mulher, por motivos sérios – como, por exemplo, a educação dos filhos – não se podem separar, assumem a obrigação de viver em plena continência, isto é, de abster-se dos atos próprios dos cônjuges. Neste caso podem aproximar-se da Comunhão Eucarística, permanecendo firme todavia a obrigação de evitar o escândalo”.

      Com outras palavras: os divorciados que vivem nova união não sacramental, podem ter acesso aos sacramentos, inclusive à Eucaristia, caso se disponham a viver sob o mesmo teto como irmão e irmã ou abstendo-se de relações sexuais. Desde que cumpram esta condição, procurem os sacramentos numa igreja em que não são conhecidos a fim de evitar mal-entendidos e escândalos por parte dos fiéis.

      Em sua Exortação Apostólica Familiaris Consortio n° 84, o Papa João Paulo li, em tom muito pastoral, refere-se à problemática: “Juntamente com o Sínodo exorto vivamente os pastores e a inteira comunidade dos fiéis a ajudar os divorciados, promovendo com caridade solícita que eles não se considerem separados da Igreja, podendo, e melhor devendo, enquanto batizados, participar na sua vida. Sejam exortados a ouvir a Palavra de Deus, a freqüentar o Sacrifício da Missa, a perseverar na oração, a incrementaras obras de caridade e as iniciativas da comunidade em favor de justiça, a educar os filhos na fé cristã, a cultivar o espírito e as obras de penitência para assim implorarem, dia a dia, a graça de Deus. Reze por eles a Igreja, encoraje-os, mostre-se mãe misericordiosa e sustente-os na fé e na esperança”.

      A Igreja tem consciência de que a sua legislação relativa ao matrimonio e exigente; mas ela também sabe que, assim procedendo, ela está guardando fidelidade a Cristo e contribuindo para o bem da humanidade, já que a Ética não se decide pelo comportamento da maioria, mas tem princípios perenes, que garantem a dignidade e o verdadeiro bem-estar da humanidade.
      Quando o Matrimônio é Nulo?

      Há determinadas condições que tornam o ato da celebração sem efeito. Ou seja, alguns casamentos são nulos ou inválidos apesar de terem sido celebrados. Os cânones 1083-1094 do Código de Direito Canônico são dedicados a essa matéria.
      Quias são esses impedimentos? Vamos apresentá-los de forma resumida.
      1) A Idade (c. 1083)
      O homem que não tenha ainda 16 anos completos e a mulher antes que tenha 14 anos completos não
      podem contrair matrimônio válido.
      2) A Impotência Sexual (c. 1084)

      É a impossibilidade física ou psíquica de se ter uma relação completa com o próprio cônjugue. Para que se torne nulo, é necessário que a impotência sexual seja antecedente ao matrimônio e perpétua. A esterilidade não impede que o matrimônio seja válido.
      Obs: Só a impotência anormal é impedimento que invalida o matrimônio. Ao dizer “anormal” quer
      indicar-se que a impotência devido à idade (que é algo normal) não configura um impedimento. Portanto,
      o casamento de idosos é válido.
      3) A Existência de Outro Matrimônio Religioso (c. 1085)
      Tenta invalidamente contrair matrimônio quem está ligado pelo vínculo de matrimônio anterior, mesmo
      que esse matrimônio não tenha sido consumado.
      4) A Disparidade de Culto (c. 1086)
      É inválido o matrimônio entre 2 pessoas, uma das quais católicas, e outra não batizada, que tenha sido
      celebrado sem a devida dispensa do impedimento.
      Obs: Não se recomenda, mas um católico pode casar validamente com um não católico batizado, pedindo

      a dispensa do impedimento. Se não pede a dispensa, o matrimônio é válido mas ilícito, ou seja, comete uma infração. E se é consciente disso, comete um pecado. Porém, se o cônjugue não é batizado e não se pede a dispensa, o matrimônio é ilícito e inválido (nulo).
      5) A Ordem Sagrada (c. 1087 e 1088)
      É nulo o matrimônio de sacerdote, diácono celibatário e diácono permanente e de religiosos ligados por
      voto público perpétuo de castidade, que seja realizado sem a devida dispensa da Igreja.
      6) O Rapto (c. 1089)
      Se um dos dois é sequestrado a fim de realizar o casamento, não pode existir matrimônio válido
      enquanto permanecer a situação de rapto.
      7) O Crime (c. 1090)
      É inválido o casamento de quem, com o intuito de contrair matrimônio com determinada pessoa, matar o
      cônjugue dessa pessoa ou o próprio cônjugue.
      8) A Consanguinidade (c. 1091)
      É nulo o matrimônio entre pais e filhos, avós e netos e irmãos e irmãs. Sem a dispensa da Igreja, é nulo
      também o matrimônio entre tios e sobrinhos e entre primeiros primos (de primeiro grau).
      9) A Afinidade (c. 1092)
      É inválido o matrimônio entre um dos dois e os ascendentes e descendentes do outro. Ou seja, é inválido
      o casamento do viúvo com sogro, sogra, enteado, enteada.
      10) A Pública Honestidade (c. 1093)

      Parecido com o impedimento de afinidade. Só que o de pública honestidade se dá quando os dois convivem sem ter casado (concubinato) ou dentro de um matrimônio inválido. Neste caso, não pode haver matrimônio válido entre um dos dois e eventuais filhos ou pais do companheiro.
      11) O Parentesco Legal (c. 1094)
      É nulo o casamento entre o adotante e o adotado, ou entre um destes e os parentes próximos do outro.
      12) A Falta de Consentimento (c. 1095)
      São incapazes de contrair matrimônio: 1- os que não têm suficiente uso da razão; 2- os que têm grave
      falta de discrição de juízo a respeito dos direitos e obrigações essenciais do matrimônio, que se devem mutuamente dar e receber; 3- os que são incapazes de assumir as obrigações essenciais do matrimônio,
      por causa de natureza psíquica.
      Obs: Não tem uso da razão: os débeis mentais, os que sofrem algum transtorno mental quando vão

      prestar o consentimento matrimonial (Ex: bebedeira), etc. Incapazes de assumir as obrigações matrimoniais: Como pode acontecer em casos de alcoolismo, toxicomania, homossexualismo crônico e outras anomalias análogas.
      13) Ignorância sobre a Essência do Matrimônio (c. 1096)
      É definido como impedimento da essência do matrimônio, o do “consórcio permanente entre homem e
      mulher, ordenado à procriação da prole por meio de alguma cooperação sexual.”
      14) O Erro da Pessoa (c. 1097)
      Ocorre quando alguém pensa que está casado com uma pessoa, quando na realidade se trata de outra.
      15) O Dolo Perpetrado (c. 1098)

      Ocorre quando alguém é enganado por dolo perpetrado por outro, a fim de obter o consentimento matrimonial, a respeito de alguma qualidade pessoal que não existe, cuja falta, possa pertubar gravemente o consórcio da vida conjugal.
      Obs: Por exemplo: ocultar a esterilidade, o matrimônio civil ou a gravidez anterior ao casamento.
      16) A Condição Negativa (c. 1102)
      A exclusão voluntária e consciente de filhos ou a firme vontade de não viver até a morte o matrimônio, o
      torna inválido.
      Obs: Em outras palavras: Quando, pelo menos, um dos cônjugues finge que assume todas as obrigações
      do matrimônio, mas se determina a não cumprir uma delas. Por exemplo: se casa já com a intenção de
      não ter filhos, ou com a intenção de realizar um futuro divórcio.
      17) O Medo e a Violência (c. 1103)

      É inválido o matrimônio contraído por violência ou por medo grave proveniente de causa externa, ainda que não dirigido para extorquir o consentimento, quando, para dele se livrar, alguém se veja obrigado a contrair matrimônio.
      Do livro: A Cruz dos Recasados do Pe. Vítor Gropelli

  8. Davi diz:
    É evidente que jeremias 3:8 está se referindo aos ídolos,mas também é evidente que Deus está ali usando uma figura de linguagem real aprovada por ele senão ele não apoiaria tal idéia.Podemos ir um pouco mais adiante para entendermos os motivos de Deus usar tal linguagem e entendermos também os motivos de jesus ao falar que pornéia dissolve o casamento ,caso o conjuge inocente não opte pelo perdão. Em êxodo 19 relata a ocasião em que o povo aceitou o convite de Deus para formar uma aliança com ele,em seguida deu a lei com seus 10 mandamentos.Foi a partir daí que ele passou se referir ao povo de israel com termos simbólicos tais como “esposa”, “mulher”,e a si mesmo como “marido”,”esposo”,”dono marital” etc…,como se lê em vários textos.Em jeremias 3:8 notamos um simbólico típico caso de adultério espiritual,ou seja,Deus:esposo-,israel:esposa-,ídolos:amante. De modo que em jeremias 31:31-33 ele anúnciou um simbólico novo casamento,ou aliança. Como se daria? veja hebreus 8:8-13. Jesus formou a igreja dos ungidos composta de pessoas de TODAS as nações que o temeriam de coração,por isso,o judeu seria em sentido espiritual e não mais na carne-Romanos 2:28-29.Essa igreja se tornou a simbólica noiva de cristo do livro de apocalipse.Tudo isso para notarmos que jesus ao proferir suas palavras em mateus 19:9 estava simplesmente seguindo o padrão estabelecido por Deus desde o começo.É bom lembrar também que o adultério de um modo ou outro dissolvia o casamento humano,como assim? a pena para o adultério era a morte(Deuteronômio 22:22-24) o que liberava o conjuge inocente para um novo casamento.Jesus foi o fim da lei e como alguem maior do que moisés achou apropiado estabelecer pornéia como o único motivo para o divorcio e ele não se desviou do propósito original de Deus ao tornar o homem e a mulher ‘uma só carne’ e sabe porque? em 1 coríntios 6:15-18 diz que quem comete pornéia se torna uma só carne com quem pratica e deixa de ser assim ‘uma só carne’ com seu conjuge,liberando-o também para um novo ‘uma só carne’.É o tal divórcio, meu amigo, o perdão é louvável mas não obrigatório para o inocente.Jesus ampliou o conceito de Deus em mateus 19:9 ao usar a palavra grega “pornéia”. Essa é uma palavra genérica,ou seja,uma palavra que engloba vária práticas,como a palavra portuguesa ‘crime’,vc citou algumas práticas como:homossexualismo,,sexo com animais,adultério,tudo isso dissolve o casamento porque se trata de pornéia.O conceituado erudito B.F.westcott diz no seu livro A EPÍSTOLA DE SÃO PAULO AOS EFÉSIOS pg 76:” este é o termo GERAL para todas as relações sexuais ilícitas”. O léxico do novo testamento grego\portugues de F.WilburGingrich,traduzido por Júlio P.T. Zabatiero confirma:”incastidade,vários tipos de relações sexuais fora do casamento”. Portanto,não só o adultério como outras práticas sexuais ilícitas(não dentro do casamento) constituem pornéia e,assim,dão base para um divóircio sem condenação de Deus.É claro que “Deus julgará os fornicadores e adúlteros” que usarem de astúcia afim de forçar a barra e conseguirem um divórcio por motivos torpes,como alguns que vc, clênio,mencionou.O cristão precisa se esforçar em manter seu casamento honrroso. Medita nisso,clênio,fique tranquilo com sua consciência e com Deus e tenta simplificar esses raios de textos que vai ajudar bem mais. abraço,meu irmão!
  9. Davi diz:
    Ia esquecendo,o que jesus falou em seguida ,sobre só aceita a quem é dado aceitar ele se referia ao dom de ser solteiro,ou eunuco no sentido espiritual.E alguns associam o que Paulo disse sobre separação(afastar-se do conjuge,sem adultério,no caso de agreção física que coloca a vida em jogo,por exemplo) com divórcio,mas são assuntos diferentes.
  10. Carlos diz:
    Pessoal, estou me separando e gostaria de deixar aqui a minha contribuição. Sou religioso, gosto de absorver todas as religiões nas suas melhores caracteristicas e atos.

    Casamos devido a uma gravidez não programada. Quando isso ocorreu, sabia que iriamos nos casar primeiramente devido a este fato ocorrido. Não casamos, mas compramos um apartamento durante a gravidez, e este ano minha filha faz 5 anos em dezembro.

    Estou me divorciando, com muito aperto no coração, mas por um propósito bom.
    Não amava a mãe da minha filha, ficamos juntos até hoje, pois sempre tive esperança que as coisas melhorassem e com o tempo meu amor pudesse aumentar e nós fossemos felizes todos juntos.

    Infelizmente isto não aconteceu, percebi que não amava de fato a mãe da minha filha. Tivemos diversos problemas durante o nosso casamento, agressões, separações, idas e vindas, uma sucessão de maus exemplos para a minha filha, pois minha ex-esposa tem o gênio muito forte.

    Finalmente, resolvi falar toda a verdade…. estamos nos separando e eu com a maior dor na conciência, pois apesar de tudo, estou a procura do AMOR de verdade e não a mentira. Estou procurando interromper estes erros, para que minha filha não veja nunca mais as nossas discussões.

    Peço perdão a Deus e a minha ex-esposa, pois se hoje ela sofre, tenho certeza que amanhã ela encontrará alguém que possa lhe dar o amor que eu não consegui dar.

    Peço perdão a minha filha, pois se ela sofre um pouco hoje, amanhã ela verá que nunca mais precisará presenciar as nossas discussões ou agressões. Quero mostrar para a minha filha oque é amor de verdade e deixar que a minha ex-esposa também mostre.

    Sigo com a certeza no coração de que quero o melhor para todos nós.

    Estava me perguntando se Deus irá me perdoar, por isso encontrei esse blog muito legal.

    Sendo pecado ou não, compreendi que não posso me martirizar, nada acontece por acaso nesta vida. Peço perdão a ele todos os dias, rezo, visito minha filha, peço a ele força para que nos ajude a enfrentar mais este desafio.

    O importante é procurar a paz, o amor e a felicidade. Pequenas discussões sempre irão acontecer, mas quando existe amor, elas sempre serão construtivas, pois haverá respeito mútuo, carinho, amor e sinceridade.

    Sigam em paz e que Deus ilumine os seus caminhos.
    Acesse : SEJA BEM VINDO!

  11. Davi diz:
    Carlos,quem somos nós pra avaliar sua situação.Vou torcer por vc pra que seja feliz e principalmente que volte a ter uma consciência tranquila.No fundo,todos nós amamos a Deus e queremos agrada-lo.Vc pelo menos está contrito e com a consciência pesada mas existem tantos que pouco importa se agrada ou não a Deus. Um abração!
  12. Ika diz:
    Será que alguém pode me esclarecer uma dúvida?
    Eu fui casada com meu primeiro namorado, com quem tive um filho eu era catolica e infelizmente o inimigo conseguiu nos separar me divorciei de meu marido, depois de muito sofrer me converti a Cristo e me casei novamente na igreja, hoje me arrependo muito do meu divorcio e penso muito que se houvesse uma forma eu retomaria meu primeiro casamento, sofro muito desde que casei a segunda vez, não entendo, é como se realmente meu primeiro marido fosse a pessoa certa para mim, alguém pode me dizer o que devo fazer? aguardo
  13. Davi diz:
    Não haveria nada demais se o seu ex marido estiver solteiro e vc também,no entanto vc está casada,quer esteja no registro ou não! Gente,desculpa a franqueza mas não acredito que a felicidade esteja em primeiro lugar na vida de um cristão.Jesus disse que seus discípulos teriam tribulação e disse mais:”se alguem quer vir após mim,negue-se a si mesmo,e tome a cada dia a sua ‘cruz’,e siga-me”.Significa isso que Deus quer que sejamos infelizes?evidente que não.Acontece que NOSSAS decisões erradas trazem consequencias e o que acontece então? bem, jesus disse que, não a falta de amor,mas fornicação livra alguem para um novo casamento
  14. Davi diz:
    Deem uma olhada no salmo 15 e se detenham por mais um pouco no verso 4. Seria fácil dizer pra vc,Ika,voltar pro ex mas o que garante que vc estaria certa? assim penso que a felicidade maior está em se ter uma consciência limpa com Deus.Não quer dizer que vc pense assim,de modo que só vc com sua espiritualidade madura e desejo de SER correta poderão te influenciar para uma decisão.De uma coisa estou certíssimo:teu marido é o atual,o que tu amaste um dia e que por algum motivo não ama mais.
    • Davi diz:
      Penso que a felicidade não é tudo e a busca desesperada por ela pode nos afastar da lei de Deus.O que fazer a um filho,carne de minha carne,se este não me traz mais alegrias? abandona? Jó,passou pela experiência da INTEGRIDADE a Deus acima de sua felicidade e disse à sua esposa que o abandonara:”devemos aceitar de Deus somente o que é bom?” Se tomei a decisão de me casar e me arrapendo depois o problema é meu e se casar de novo acontecer o mesmo EU tenho um problema.Acho que Deus está triste com o rumo que o casamento tomou e que o Valdemort está criando situações assim para se opor a ele.Tem que ter uma força espiritual muito grande para manter a integridade quando ela prejudica a felicidade da gente,isso eu reconheço.
  15. Clênio diz:
    DIVÓRCIO E NOVO CASAMENTO EM RELAÇÃO A VINDA DE JESUS
    UM SINAL ATESTA QUE JESUS ESTA PERTO DE VOLTAR.

    “SINAL DOS TEMPOS” VEJA:
    “E como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até que Noé entrou na arca, e não perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem” (Mateus 24.37-39).
    “Comiam, bebiam”: neste contexto referindo-se as festas de casamento. “Casavam e davam-se em casamento”: neste contexto pode estar se referindo ao casamento, divórcio e novo casamento.
    Note a partícula “e” (entre as palavras “casavam” e “davam-se em casamento”), perceba que o “e” faz a ligação entre a primeira ação praticada “casavam” e a segunda ação “davam-se em casamento” revelando que podem ser ações distintas. Note agora a partícula apassivadora “se” de “davam-se”, ela exprime uma ação que a pessoa executa contra si própria, ou seja, a pessoa casada poderia estar contraindo um novo casamento. Se a interpretação estiver correta, então nos dias de Nóe o casamento havia perdido o seu valor, e casar-se de novo era algo comum, como nos dias atuais, isso perdurou até que Noé e sua família entraram na Arca, e a porta se fechou, apanhando os homens da época de surpresa, na comparação de Jesus muitos também serão pegos de surpresa na sua vinda. Que você busque a misericórdia de Deus enquanto há tempo. (Mateus 24. 37-39 concorda com Lucas 17. 26,27).
    Outrossim, Jesus também disse: “Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento” (Lucas 20.34), mais uma vez as partículas “e” e “se” podem estar se referindo a mesma pessoa executando duas ações diferentes, casar-se e contrair de novo um outro casamento.
    Mas a pessoa que se casa também se dá em casamento? Sim, é verdade quem se casa também se dá em casamento. Nesse caso não devemos entender que a passagens falem de casamento e novo casamento, e sim que elas falem do ato de casar sendo reiterado por Jesus, como uma redundância a fim de enfatizar o descuido daquela geração, mas em ambas as interpretações poderemos entender que Jesus chama a atenção para a distração das pessoas, devido as muitas ocupações e preocupações desta vida, os cuidados delas com os preparativos do casamento ou do novo casamento impediram que elas percebecem quando Noé e sua Família entravam na Arca. Elas simplesmente não tiveram tempo para Deus.
    Portanto Varões desejo sinceramente que todos deixemos os convencimentos mundanos e entremos na Arca, cada um com a sua Esposa e com os seus filhos, enquanto a “Porta” esta aberta e assim aguardemos a vinda do Senhor.
    Tornemo-nos como inconformados com o padrão mundano, não vos conformeis com esta era (Romanos 12.2).

    • Se davam ou davam-se não se refere ao papel da mulher no casamento?

      Talvez o homem casasse e a mulher se dasse em casamento e por isso a diferença de termos.

      Alguém tem algum comentário melhor sobre a diferença entre “casar” e “se dar em casamento”?

      • Davi diz:
        Roberto,vc falou certo, os HOMENS casavam e as MULHERES eram dadas em casamento pelo pai,mais um costume antigo.Aliás foi o que Deus fez com eva.O clênio,tá forçando abarra.
  16. Clênio diz:
    AOS OUTROS – CRENTE CASADO COM DESCRENTE

    O tratamento do caso das pessoas que aceitam a Cristo, e chegam até a igreja no seu N-ÉSIMO Relacionamento ou Casamento é diferente, pois ELAS NÃO CONHECIAM A VERDADE, e já chegaram na igreja nessa condição. SIM! Elas podem continuar vivendo com o(a) companheiro(a) atual, pois a PROIBIÇÃO de Casar de Novo é para Casais Crentes QUE JÁ CONHECEM A VERDADE, a Bíblia os chama de “AOS CASADOS” – CRENTE COM CRENTE (1º Coríntios 7:10,11). Já aqueles ela chama de “AOS OUTROS” – CRENTE COM DESCRENTE, QUE JÁ CHEGARAM NA IGREJA ASSIM.

    Se o(a) companheiro(a) que você tem atualmente (relacionamento anterior à sua conversão) CONSENTE em viver contigo, ou seja, ELE(A) NÃO QUER SE SEPARAR, ENTÃO NÃO SE SEPAREM (1° Coríntios 7:12,13)!!! Ele(a) é SANTIFICADO(A) continuando ao teu lado, e ao lado dos filhos de vocês, que agora também são SANTOS (1° Coríntios 7:14)!!! Vocês só podem se separar, SE for O(A) DESCRENTE que optar, nunca o contrário (1° Coríntios 7:15,16)!!! Portanto, a Recomendação aos Novos Convertidos é para que Fiquem da MANEIRA como JESUS os chamou (1° Coríntios 7:20,24), ou seja, se já estavam num relacionamento fixo, que continuem ao lado do(a) companheiro(a) atual!!! E se estavam sozinhos no momento da conversão, que continuem a sós, e se não puderem que se Casem contanto que seja no Senhor (1º Coríntios 7:27,28;39). Quem falou estas palavras foi o Apóstolo Paulo, e ainda acrescentou dizendo “e também eu cuido que tenho o Espírito de Deus” (1º Coríntios 7:40).
    Se isso não fosse possível, e tivéssemos de impor ao Novo Convertido a necessidade de fazer outro sacrifício (como o de retornar ao primeiro casamento), além do que já foi feito por Cristo, então anularíamos o efeito da Graça de Deus em nossas vidas e cairíamos da sua Maravilhosa Graça. Não anulemos aquilo que já foi feito por Deus (Atos 17:30; Gálatas 2:21; 5:4).
    EXAMINE COM CUIDADO CADA VERSÍCULO E VERÁ QUE TUDO O QUE EU AFIRMEI TEM BASE BÍBLICA.

    Jesus disse que ninguém pode vir até Ele, SE pelo Pai não lhe for concedido que venha, portanto a sua conversão foi uma CESSÃO de Deus para Cristo em teu Favor, e Jesus também disse que não lançará fora ninguém que venha até Ele (João 6:37). Querido(a) irmão(ã), Jesus te ama!!! Não deixe as setas do Diabo perturbar a sua cabeça e fazer você pensar que não é digno(a) do reino, tome o capacete da salvação e o escudo da fé (Efésios 6:13-18), pois você foi feito herdeiro(a) de todas as coisas (Mateus 25:34), nunca deixe Jesus Cristo o teu amado Salvador por nada nesse mundo, e nem saia da igreja onde Ele te chamou, porque o Senhor vai te dar vitória ai, no lugar onde você esta (Lucas 24:49 e Atos 1:4-8; 2:1-4).

    AOS CASADOS – CRENTE CASADO COM CRENTE:

    As opiniões divergentes e distorcidas daqueles que querem se autojustificar é que levam dúvidas aos corações dos menos esclarecidos, acrescentando ao seu mal, o pecado de levar o seu irmão(ã) ao desvio de conduta. Marido e Mulher Crentes não devem se separar em hipótese alguma, a idéia de divórcio não deve ser aceita pelo casal crente, porém, se não for mais possível a convivência, devem ficar sós, sem se casar para que não pequem, ou então se reconciliem e voltem a viver juntos, até que a morte os separe.
    Eu tenho certeza de que: O CRENTE QUE SE DIVORCIA E CASA DE NOVO COMETE ADULTÉRIO (EXCETO OS CASOS DE VIUVEZ). Essa é a opinião da Bíblia, “QUEM PODE RECEBER ISSO, QUE O RECEBA”.
    Quer discutir com alguém? Discuta com os Apóstolos, cujas doutrinas formam os fundamentos do muro da cidade santa, A Nova Jerusalém (Apocalipse 21:14) ou com os Profetas.

    COM A PALAVRA A BÍBLIA:
    Mateus 5:31,32.
    Mateus 19:6;9-12.
    Marcos 10:9;11;12.
    Lucas 16:18.
    João 4:16-18.
    Romanos 7:2,3.
    1ª Coríntios 7:10,11;39.
    Jeremias 3:1
    Malaquias 2:13-16.
    Provérbios 5:18.
    Eclesiastes 9:9.

    • Davi diz:
      MAIS UMA BOBAGEM POSTA A DETURPAR AS PALAVRAS DE JESUS. ‘E’ ‘SE’,LEIA O CONTEXTO DIREITO E VAIS VER O QUE JESUS QUERIA DIZER.NOÉ PREGOU SOBRE O DILÚVIO POR QUASE 100 ANOS E TODO O RESTO DA HUMANIDADE ESTAVA COMEMORANDO CASAMENTOS E RE-CASAMENTOSPOR ISSO SE DISTRAIU!1 É TÃO INFUNDADO QUE NEM MERECE ARGUMENTAR COM TEXTOS POIS SERIA PERDER TEMPO.
  17. Davi diz:
    NUNCA VI TANTO TEXTO FORÇANDO UMA BARRA.UMA HORA O CL~ENIO POSTA UM TEXTO DE UM ESCRITOR ATEU QUE DIZ Q JESUS NUNCA EXISTIU,EM OUTRO COLOCA DOGMAS CATÓLICOS CHEIOS DE ”ISTO PODE” E ‘ISTO NÃO PODE’ E AINDA DIZ QUE QUEM DESENCAMINHA SÃO OUTROS! E AINDA MISTURA SEPARAÇÃO COM DIVÓRCIO QUE SÃO 2 COISAS DISTINTAS TRATADAS DE FORMA DIFERENTE NA BÍBLIA. JÁ QUE O NEGÓCIO É DETURPAR TEXTOS SEM O CONTEXTO VOU FAZER MINHA CONTRIBUIÇÃO PARAFRASEANDO 1 TIMÓTEO 4 1-4 “NOS FINS DOS TEMPOS HOMENS QUE TEM A CONSCIÊNCIA PESADA TE NTARIAM PROIBIR O CASAR- SE,CUIDADO COM TAIS”. PALAVRAS DE PAULO,NÃO MINHAS. -E BOM APRENDER ASSIM?.
  18. Davi diz:
    O casamento tradicional em GANA
    TODO ano centenas de milhares de pessoas no mundo se casam. O casamento geralmente é realizado de acordo com o costume local.
    Em Gana, o casamento mais comum é o chamado tradicional. Nele, a família do noivo tem de pagar o preço de noiva para a família da noiva. Esse é um costume que prevalece em grande parte da África e em lugares como Hong Kong, Papua-Nova Guiné e as ilhas Salomão, bem como entre os índios guajiro, no nordeste da Colômbia e no noroeste da Venezuela, para mencionar apenas alguns.
    Nos tempos bíblicos, era costume pagar o preço de noiva. (Gênesis 34:11, 12; 1 Samuel 18:25) Este era, e é, tido como uma compensação, paga aos pais da moça, pela perda de seus serviços e pelo tempo, energia e recursos gastos na sua educação e sustento antes de se casar.
    Responsabilidade dos pais
    Antigamente, em Gana, não existia namoro entre os jovens. Os pais acertavam o casamento dos filhos adultos depois de observar cuidadosamente rapazes e moças em idade de casar na comunidade. Alguns pais em Gana ainda hoje fazem isso.
    Os pais do rapaz analisam fatores como a personalidade da moça, a reputação dela e da família, possíveis doenças hereditárias, e, a espiritualidade. Se ficam satisfeitos, eles fazem uma proposta formal aos pais da moça.
    Estes, por sua vez, analisam o rapaz e a família dele. Além de analisar os fatores acima, verificam também se ele tem capacidade de sustentar a esposa — trabalha ou está desempregado? Satisfeitos os requisitos, eles falam com os pais do rapaz, e os pais de ambas as partes combinam os pormenores do casamento. Isso depois de tanto o rapaz como a moça terem concordado.
    Por que alguns pais ainda assumem a responsabilidade de arrumar um cônjuge para filhos crescidos? Certa mulher na Índia, cujos pais arranjaram o seu casamento, disse: “Como uma pessoa jovem teria condições de tomar uma decisão tão importante? É muito melhor deixar isso para os que têm idade e experiência para saber qual é a melhor escolha.” Muitos africanos também pensam assim.
    Mas os tempos estão mudando em Gana, e o namoro está ficando cada vez mais comum. Quando um casal de namorados acha que está na hora, eles informam os pais de que desejam se casar. Depois que os pais conversam e chegam à conclusão de que os filhos formam um bom par, as famílias realizam a cerimônia formal conhecida em várias línguas de Gana como bater na porta, a porta do casamento.
    A cerimônia de bater na porta
    Os pais do casal informam as respectivas famílias sobre a data e o objetivo da reunião. “Família”, na África, inclui tios, tias, primos e avós dos noivos. No dia marcado, representantes de ambas as famílias se reúnem para a cerimônia. A presença do noivo é opcional. Descrevemos a seguir uma versão bem resumida do que ocorreu numa cerimônia de bater na porta.
    Representante da moça (RM): [Dirigindo-se aos representantes do noivo] Sabemos a razão de sua visita, mas o costume dita que mesmo assim perguntemos. O que os traz aqui?
    Representante do rapaz (RR): Nosso filho Kwasi estava passando em frente à sua casa e viu uma bela flor e quer a sua permissão para apanhá-la.
    RM: [Fazendo-se de desentendido] Não tem nenhuma flor nesta casa. Podem verificar.
    RR: Nosso filho não está enganado. Sustentamos que tem uma bonita flor nesta casa. O nome dela é Afi.
    RM: Então é uma flor de carne e osso. Bem, Afi de fato mora aqui.
    RR: Queremos bater na porta e pedir a mão de Afi em casamento para o nosso filho Kwasi.
    A família do rapaz passa então a apresentar presentes, em bebidas e dinheiro. Dependendo da tribo, os presentes e as quantidades variam. Essa cerimônia equivale mais ou menos ao noivado ocidental, e em alguns casos estipula-se um anel de noivado.
    O representante da noiva agora pergunta a ela, perante todos os observadores, se os presentes devem ser aceitos. Diante da resposta afirmativa dela, todos os convidados são testemunhas oculares de que ela aceita a proposta de casamento. Combina-se então uma data conveniente a ambas as famílias para a celebração do casamento. A cerimônia termina com comes e bebes.
    A cerimônia do casamento
    O pagamento do preço de noiva, que já é o casamento, é efetuado na casa da noiva ou de um representante escolhido. Nessa ocasião, há mais pessoas do que na cerimônia de bater na porta, porque muitos amigos também estão presentes.
    O clima é de festa. Rapazes e moças solteiras estão ansiosos de ver o que foi trazido para a noiva. Mas o clima fica tenso quando a família da moça reclama que os presentes do preço de noiva não são suficientes, e vai se criando um certo suspense quando a família da noiva parece irredutível. É a vez do porta-voz do noivo apresentar argumentos convincentes, tentando ganhar a compreensão da família da noiva. A tensão desaparece quando a família da moça cede. O clima de novo adquire um ar festivo, e servem-se comes e bebes.
    Para dar início à cerimônia de casamento, o porta-voz da noiva pede silêncio e dá boas-vindas a todos. Ele pergunta aos representantes do noivo sobre o objetivo de sua visita. O porta-voz do noivo declara a razão de estarem ali, lembrando aos convidados de que já bateram na porta e que lhes foi concedida a permissão de entrar.
    Daí, o porta-voz de ambas as partes apresenta os parentes mais próximos aos convidados, incluindo o que dá a mão da moça em casamento bem como o que patrocina o rapaz. A cerimônia prossegue.
    RM: [Dirigindo-se aos representantes do noivo] Por favor, apresentem os presentes que pedimos.
    O porta-voz da noiva enumera os presentes que constituem o preço de noiva para que todos possam ver que estão ali. Se os representantes do noivo acham que a família da noiva exagerou nas exigências, eles resolvem o assunto em particular antes do dia do casamento. Mas a família do noivo vem para a cerimônia preparada para barganhar uma redução em quaisquer extras para o caso de alguns da família da noiva exigirem mais. Onde quer que a pessoa viva, o preço de noiva, seja alto seja baixo, tem de ser pago integralmente.
    Há famílias que estipulam coisas como bebidas, roupas, colares, brincos e outros artigos para senhoras. No norte de Gana, o preço de noiva pode incluir sal, nozes-de-cola, galinhas d’angola, ovelhas e até mesmo bois ou vacas. Invariavelmente, o valor inclui dinheiro.
    Enquanto as negociações prosseguem, a noiva não está presente mas está perto, observando. A presença do noivo é opcional. Assim, se ele mora longe, pode autorizar os pais a contratar o casamento por ele. Na ocasião aqui descrita, contudo, o noivo está presente. Agora é a vez de sua família fazer exigências.
    RR: Cumprimos todas as exigências, mas não vimos a nossa nora.
    A cerimônia de casamento não é uma formalidade solene, ela tem o seu toque de humor. Diante da exigência da família do rapaz de ver a noiva, a família dela declara:
    RM: Gostaríamos que a noiva estivesse aqui. Infelizmente, ela viajou para o exterior e não temos passaporte nem visto para viajar e trazê-la de volta.
    Todo o mundo sabe o que isso significa. De imediato, a família do noivo oferece uma quantia de dinheiro: qualquer quantia que o noivo possa dispor. Como que num toque de mágica, o passaporte e o visto imaginários estão prontos, e a noiva já está de volta da viagem!
    O clima de humor e informalidade prossegue, e em algumas tribos, providencia-se que amigas da noiva representem o papel dela. Cada uma delas é rejeitada pela multidão até que, entre grandes aplausos, a verdadeira noiva é apresentada. Ela é então convidada pelo seu porta-voz a dar uma olhada nos diversos presentes que constituem o preço de noiva. Perguntam-lhe se o que o noivo trouxe deve ser aceito. Há um burburinho enquanto todos esperam ansiosamente a resposta. Algumas moças são tímidas, outras extrovertidas, mas a resposta é invariavelmente um sim, seguido de estrondosos aplausos.
    Se o noivo está presente, a família da noiva exige conhecê-lo. A brincadeira continua se foi providenciado que um de seus amigos represente o papel dele. Todo exibido, o amigo se levanta, mas todos vaiam.
    Os pais da noiva exigem ver o genro. O noivo de verdade então se levanta, irradiando sorrisos de felicidade. A família da noiva permite que ela se junte ao marido, que põe uma aliança no dedo dela, se esta foi estipulada como parte do preço de noiva. A aliança é uma inovação trazida do Ocidente. A noiva, por sua vez, coloca uma aliança no dedo dele. Todos cumprimentam os noivos e a alegria é geral. Por conveniência e economia, alguns hoje realizam a cerimônia de bater na porta e o casamento no mesmo dia.
    A seguir, membros experientes de ambas as famílias e outros dão conselhos aos recém-casados sobre como ser bem-sucedidos no casamento até que a morte os separe. Para fechar o dia com chave de ouro, servem-se comes e bebes.
    A cerimônia de casamento terminou! Em Gana, a partir daí, o casal é considerado pela comunidade como legalmente casados. Se, por alguma razão, membros importantes da família da noiva não puderam comparecer à cerimônia, algumas bebidas que são parte do presente são enviadas para eles, como prova da concretização do casamento.
    Em Gana, há casais que preferem casar-se no estilo ocidental, chamado aqui de casamento civil, ou casamento por ordenação. Esse pode ser contraído com ou sem o consentimento dos pais, desde que o casal seja de maior. No casamento tradicional, o consentimento dos pais é um requisito indispensável.
    No casamento civil o casal faz os votos maritais. Mas não há votos no casamento tradicional. O Estado requer que todos os casamentos tradicionais sejam registrado Emite-se então uma certidão de casamento.
    Desde os tempos mais antigos até a Costa do Ouro, hoje Gana, se tornar colônia britânica, o casamento tradicional era a única forma de casamento no país. Os britânicos então introduziram o casamento no estilo ocidental para os seus cidadãos que moravam aqui. Os nativos também receberam permissão de contrair esse tipo de casamento, e já por muitos anos coexistem os dois tipos de casamento. Em Gana, ambos são legalmente reconhecidos, sendo portanto aceitáveis . Cabe a cada um escolher que forma prefere.
    Em alguns países africanos, os casamentos tradicionais precisam ser registrados para que os casais possam ser considerados casados perante a lei. Isso não acontece em Gana, onde o casamento tradicional acima descrito tem validade legal sem registro, e os casais são considerados legalmente casados uma vez concretizado o casamento tradicional. Mais tarde, o casamento tradicional é registrado somente para fins de cadastro.
    O casamento é sem dúvida uma dádiva amorosa de Deus para a humanidade, uma dádiva exclusiva, não concedida nem mesmo a anjos. (Lucas 20:34-36) É uma preciosa relação que vale a pena preservar, para a glória de seu Originador, Jeová Deus.
  19. cristina diz:
    Sou casada a tres anos de deste quando casei meu marido quer lvar vida de solteiro,não me dá atençãoi sai e sai de casa de manhã….eu não o amo mais pois o sofrimente é mto mto nesse caso se me divorciar eu posso casa casr d novo sem que DEUS me repudie?:(
  20. adriano diz:
    Meu nome é Adriano e estou preste á ter uma separação por Orientação do Pastor mas sou contra pois eu sei que não é da vontade de Deus que o Homen separe da mulher e eu não quero me separar o que faço me ajude por favor
  21. Keila diz:
    Clenio, meu querido…
    Acredito que vc realmente esteja bem inteniconado, mais boas intensoes não são o suficientee nem servem como base para um tema de amplitudes tão profundas.
    Creio que vc deva se orientar melhor e rever alguns dos seus conceitos.
    Lembrando-nos sempre de que de bem intencionados o inferno esta cheio!!!
    O amor de Deus é maior que TUDO!!!
    Fiquem na paz e no amor de Deus.
  22. Laércio diz:
    Clenio
    Tú é pego em suas própria palavra
    eu te provo o contrária que Jesus permitiu a divórcio
    espere novos tópicos meus

    CAPÍTULO 2
    1 PORTANTO, és inescusável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu, que julgas, fazes o mesmo.
    2 E bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade sobre os que tais coisas fazem.
    3 E tu, ó homem, que julgas os que fazem tais coisas, cuidas que, fazendo-as tu, escaparás ao juízo de Deus?
    4 Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?
    5 Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da manifestação do juízo de Deus;
    6 O qual recompensará cada um segundo as suas obras; a saber:
    7 A vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção;
    8 Mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniqüidade;
    9 Tribulação e angústia sobre toda a alma do homem que faz o mal; primeiramente do judeu e também do grego;
    10 Glória, porém, e honra e paz a qualquer que pratica o bem; primeiramente ao judeu e também ao grego;
    11 Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas.
    12 Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei serão julgados.
    13 Porque os que ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados.
    14 Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei;
    15 Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os;
    16 No dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho.
    17 Eis que tu que tens por sobrenome judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus;
    18 E sabes a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído por lei;
    19 E confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas,
    20 Instrutor dos néscios, mestre de crianças, que tens a forma da ciência e da verdade na lei;
    21 Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas?
    22 Tu, que dizes que não se deve adulterar, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, cometes sacrilégio?
    23 Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei?
    24 Porque, como está escrito, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vós.
    25 Porque a circuncisão é, na verdade, proveitosa, se tu guardares a lei; mas, se tu és transgressor da lei, a tua circuncisão se torna em incircuncisão.
    26 Se, pois, a incircuncisão guardar os preceitos da lei, porventura a incircuncisão não será reputada como circuncisão?
    27 E a incircuncisão que por natureza o é, se cumpre a lei, não te julgará porventura a ti, que pela letra e circuncisão és transgressor da lei?
    28 Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne.
    29 Mas é judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus.

    • Preta diz:
      Pr° Laércio,

      Parabéns irmão, por saber administrar o que Deus colocou em suas mãos, o conhecimento bem administrado, vale mais que o ouro. Não basta apenas estudar – a letra mata, mais o espírito vivifica.
      É até um alívio saber que existem pessoas cheias do Espirito Santo, que tem entendimento do alto. O triste mesmo é saber que existem tantos falsos profetas, enganado a muitos com suas doutrinas isoladas, né mesmo?
      Obrigada meu Deus, é muito gratificante isso!

      att,

  23. PAPAGAIO DE PIRATA,MAIS DO MESMO diz:
    Não entendi a preta. embora eu saiba que jesus falou sobre o divórcio válido ela enaltece o pastor como se ele estivesse dizendo algo de mais.Preta,ele somente citou versículos bíblicos,já estavam lá,escritinhos e ele não deu nenhum entendimento à letra apenas a citou,vc mesmo poderia cita-la.É preciso abandonar a tradição evangélica e se aproximar mais de Deus gente!!!
  24. Pr. Walter Santos diz:
    Sinceramente, mais importante que estar casado é ser testemunho vivo da glória de Deus, para ganhar novas vidas e povoar o céu. Se o seu casamento leva as pessoas ao céu, amém. Glórias a Deus por isso. Se o seu casamento leva as pessoas aos limites do inferno, peçam, os dois, para Deus transformar o que maldição em benção. Em último caso, se não tiver mais jeito de verdade, após todas as tentativas, Coloquem a importância do testemunho da salvação acima de seu casamento, que desse jeito prejudica até mesmo O Reino. Deixo uma pergunta: Na minha Bíblia está escrito – o que Deus uniu, o homem não separe. Vocês acreditam mesmo que foi Deus quem uniu todos os casamentos?
    • elisa diz:
      iiii amado gostei da resposta porque tem casamentos que são realmente feito por deus e outros por suas proprias escolhas erradas , eu fiquei perturbada por um tempo achando que meu segundo casamento naum era de deus mas a gora eu tenho ceteza que foi deus que me deu esse casamento ele mesmo disse a mim quando estava orando triste e deus confirmou muitas v eses e tem mas o meu atual pastor é uma benção mesmo ele mesmo sem saber disse que era fruto do diabo na minha mente ele orou muito por mim e deus falou comigo meu marido era macumbeiro e sua familia tambem ´depois dele a familia ta vindo quase toda pra jesus até a tia que é dona de centro deus esta trazendo pra perto deus é fiel e de uma coisa temos que ter certeza de saber ouvir a vos de deus e saber quando é o nosso deus que nos fala muitas pessoas naum sabem que a tradução horiginal é muito dificil pra traduzila e se perdem misericordia só jesus na calsa mas eu tenho certeza que se o meu senhor vier hj eu naum deixarei de compartilhar com os salvos na mesa do banquete e digo em nome de jesus vc que se sente abandonado desprezado e que seu ma rido te batia te traia espancava até seus filhos colocava até as mantes pra dormir na sua ama e gastava o dinheiro na bebida e outras coisas mas naum se sinta culpada ou culpado seja forte e fiel busque a vontade deus ele tem o melhor uns são chamados pra ficar só outros naum eu to aqui de pé uma mulher que queria cometer suicidio e acabar com tudo , deus esta comigo deus esta no meu casamento me casei com um cervo do senhor ele é uma benção um homem cheio do espirito de deus deus esta tratando de mim amo mas adeus do que antes tive que passar no deserto mas eu digo com certeza na minha alma que eu passei pra crescer e deus me deu uma nova chance creia nisso no nome daquele que ´e e que ha de vir jesus o meu amor eterno eu amo a deus mas que a minha vida e sei que ele me ama tanto , tanto porque hj eu tenho um novmcoração e entendimento . fiquem em paz .
  25. jussara furlan diz:
    vou responder com uma pergunta. As leis de Deus, somente sao boas quando servem aos seus propositos? talvez as pessoas comuns nao saibam interpretar o livro sagrado, Mas ja penssou que vc tambem nao?
  26. Ingrid Caroline diz:
    Sempre que tenho dúvidas sobre algum assunto pesquiso mais sobre o mesmo até que minhas dúvidas sejam solucionadas; porém nesse caso do divorcio estou cada vez mais confusa… Sei que o proposito de Deus não é ver ninguém se separando; mais sei também que uma casa dividida não subsiste.. É pecado ou não gente?? Me expliquem de uma forma simples e que eu entenda, poorque já tentei ter o entendimento pela biblia e não consegui… Quero um escape para a situação que estou vivendo; não aguento mais o que estou passando porém se for pecado me separar prefiro ficar casada e não pecar contra Deus (sei que somos falhos a todo o momento)… Me ajudem por favoor!
  27. Graça Ferreira diz:
    Olha,acho que vc deveria ler melhor e reler sempre que vc nao entender profundamente o que Deus esta falando.
    Creio que sua mentalidade é esta deve ser porque vc esta divorciado e quer se casar denovo ou porque quer se casar com uma mulhr divorciadae para isto quer distorcer a palavra de Deus para vidas que se casam.,
    Deus é bem claro na palavra dele que deixará o homen pai e mae e unir-se-a a sua esposa e deixaram de ser 2 e passaram ser UMA SÓ CARNE.,agora me diga tem jeito de rasgar esta carne e ser normal com outra pessoa?
    Cuidado com suas interpretaçoes.,Deus poderá cobrar de vc por estar distorcendo a palavra dele
  28. ClênioCórdova diz:
    Salvação…? Será que é pra todo mundo ou só para os mencionados na palavra de Deus…
    E ouvi o número dos assinalados, e eram cento e quarenta e quatro mil assinalados, de todas as tribos dos filhos de Israel. Apocalipse 7:4
    E cantavam um como cântico novo diante do trono, e diante dos quatro animais e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra. Apocalipse 14:3
    E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinham escrito o nome de seu Pai. Apocalipse 14

    A Bíblia revela que é só para os 144.000!!!

  29. neire diz:
    de que DEUS voce esta falando????????
  30. Laércio diz:
    Gente, desculpem o atraso na resposta desta questão, estava meio ocupado e juntando materiais, mas vamos lá.

    Em primeiro lugar queria falar do entendimento distorcido, e dar um raciocínio a vocês,pensem, na falta de amor nesta questão “divorciar e casar novamente está perdido”.

    hehehe

    Art 121. Matar alguem:

    Pena – reclusão, de seis a vinte anos.

    Caso de diminuição de pena

    § 1º Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral, ou sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação da vítima, ou juiz pode reduzir a pena de um sexto a um terço.

    Homicídio qualificado

    § 2° Se o homicídio é cometido:

    I – mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo torpe;

    II – por motivo futil;

    III – com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum;

    IV – à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossivel a defesa do ofendido;

    V – para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime:

    Pena – reclusão, de doze a trinta anos

    Então, para estas igrejas que não liberam o divórcio, o lógico seria matar seu conjuge, pegar 30 anos de cadeia, sair, pedir a misericordia de Deus e congregar em uma dessas igrejas legalistas, que eles iriam dizer que no caso de você ter se arrependido, você receberia o perdão de Deus e seria salvo.

    Separado, o homicida tem mais direito ao reino de Deus que você, que nunca matou ninguém, que paga seus dizímos em dia, e é o que mais ajuda a igreja, e ainda tem que ser taixado de adultero.
    neste caso seria mais facil ser assassino que adultero, não concordam.

    Acredito piamente que não é essa a vontade de Deus. pois que Deus acima de tudo pregou o amor e disse vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei, tomai sobre vós meu JUGO QUE É SUAVE, e meu FARDO QUE É LEVE.

    Vamos ler a bíblia todos juntos, e eu vou tentar simplificar no máximo o que Jesus e Paulo falaram.

    uma Doutrina é doutrina quando mencionada duas vezes no novo testamento.

    Mateus 5: 31 Também foi dito: Qualquer que deixar sua mulher, dê-lhe carta de desquite.
    32 Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério.

    Mateus 19 9 Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.

    Paulo Junior entende tanto de bíblia que em sua pregação disse que esse texto era sitado apenas uma vez.(????)

    Estes dois textos chamam-se de clausula de exceção e Jesus não iria deixar esses dois textos na bíblia por nada.

    Irmão Laércio, essa clausula de exceção me deixa casar com outra pessoa.

    ai vem o X da questão. que nós teremos que analisar a cultura Judaíca.

    primeiro só o Homem poderia dar carta de divórcio.
    a palavra “a não ser” quer dizer “se caso não houver”, “se caso não acontecer”, depois dessa frase para baixo, o mandamento não é mais válido, se houver a palavra grega “pornéia”(fornicação, adultério, prostituição etc…).
    nesse caso, poderia casar com outra e não poderia voltar para a primeira pois a mesma estaria contaminada pelo adultereo.

    Na questão da mulher da época vamos ler, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério. (Vamos ler direito gente)

    a mulher já era considerada aldutera só pelo fato do marido deixar dela e casar com outra, mesmo ela não tendo novas núpcias.

    ai sim, se algum homem casar com a parte inocente, que já é considerada adultera(no caso da mulher), comete adultereo.

    uma frase tão simples de entender, um pouco complicado é trazer isto para nossa cultura, pois a mulher teria o mesmo direito que o homem hoje em dia.

    continuando….

    10 Disseram-lhe seus discípulos: Se assim é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar.
    11 Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem receber esta palavra, mas só aqueles a quem foi concedido.
    12 Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos, por causa do reino dos céus. Quem pode receber isto, receba-o.

    nesta passagem alguns dizem que Jesus insentiva o homem ao celibato, errado.
    Jesus tá falando que alguns homens por causa do reino se castraram, arrancaram fora, mais que nem todos poderiam receber tal palavra.

    mas não se esqueçam, que quando Jesus queria enfatizar a gravidade do pecado ele radicalizava, para que nós tivessemos noção do perigo.

    se a tua mão te escandaliza, arranca-a e joga fora
    se o teu olho te escandaliza, arranca-o e joga fora.

    nunca vi alguém dessas igrejas arrancarem a mão ou os olhos

    10 Disseram-lhe seus discípulos: Se assim é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar.

    Nesta frase os discipulos acharam dura a palavra pela sua própria cultura de, se a mulher me escandaliza eu mando embora, já pensou você acostumado nestas condições, agora só poder se separar por causa de adultéreo, hoje para nós isso é simples pois nossa cultura já nos ensinou assim, mas para eles era uma questão bem complicada.

    continuando…

    Paulo reforçando a mensagem do Senhor…
    “Porque a mulher que está sujeita ao marido, enquanto ele viver, está-lhe ligada pela lei; mas, morto o marido, está livre da lei do marido.” (Romanos 7 : 2)

    Note que essa citação fala apenas da mulher.

    “Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.” (I Coríntios 7 : 11)

    Nessa parte Paulo não fez questão de argumentar sobre a clausula de exceção.

    Conclusão
    O príncipio do mandamento ainda é válido, sobre a questão da prostiuição, mas a lei que obriga a mulher a permanecer só, não a podemos considerar em nossa cultura.

    estamos invalidando a lei do Senhor, de maneira nenhuma, mas estamos cumprindo a lei do amor.

    Questão da mulher que o marido é descrente, é totalmente liberado se o Marido não quiser viver com ela.

    no caso de violência no casamento deve ser levado aos pastores de sua igreja, que VELAM por suas ALMAS, e eles orando a DEUS, desfarão esse casamento.

    18 Em verdade vos digo que TUDO o que ligardes na terra será ligado no céu, e TUDO o que desligardes na terra será desligado no céu.
    19 Também vos digo que, se dois de vós concordarem na terra ACERCA de QUALQUER COISA que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus.

    Por outros motivos não me pronunciarei, pois cada caso um caso.

    cuidem de fazer a obra de Deus sendo o primeiro ou segundo casamento, pois o único pecado que não tem perdão é o pecado contra o espírito Santo, você foi perdoado pela graça de Jesus, fujamos dessa pratica do divórcio e nós mantemos firmes com esse casamento que hoje nós temos, sendo o primeiro ou segundo, Deus conhece os corações.

  31. Laércio diz:
    Nota: e serão uma só carne.

    13 Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o SENHOR, e o SENHOR para o corpo.
    14 Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a nós pelo seu poder.
    15 Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo.
    16 Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne.

    uma só carne já é entendido aqui, quando um homem tem relações sexuais comuma mulher se faz uma só carne com ela, quer dizer, compartilha sua carne com ela, nem por isso Paulo citou que estes jovens não teriam perdão, ou teriam que se casar com as prostitutas, ou que não poderiam mais se casar.
    me poupe.

  32. Crista diz:
    Enfim…mesmo q o casamento entre dois cristaos seja um caos e por decadas nao se chegue a um bom entendimento a ponto de o marido sequer olhar na cara, dar bom dia, te olhe cheio de odio ou te ignore, mesmo nao tendo havido adulterio e dizer que nao te suporta, o certo é ficar casados?
    • Laércio diz:
      Sim, isto é uma ordenança de Cristo.
      Mas o casamento não pode continuar assim, quando cristãos, tende procurar uma saída, e alguém nesse casamento não está cedendo ao outro.
      a raiz do ódio não vem de Deus, o mandamento é para os filhos de Deus e não para os filhos do Diabo.

      Claro, não estou falando especificadamente de você pois não a conheço, mas num geral.

      Se o casamento está sendo um caos, a mais pecados envolvidos do que apenas discórdia de casal. I corintios capitulo 13 fala sobre o amor e como o cristão deve ser em amor.

      Se o conjuge não mostrar qualquer interesse de mudança para sua vida, então se ele quiser se apartar, ele se aparte, você como cristã não pode tomar partida, ele sim ele pois já se mostrou infiel.

      “Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel.” (I Timóteo 5 : 8)

      finalizando, filha suporte por que Deus é contigo, e ele vai te ajudar não importa quantas décadas for.

      Lembra de abraão que levou 25 anos para receber sua benção, e Calebe que teve resposta de suas batalhas depois de 40 anos.

      você também vai receber a benção do Senhor em sua vida conjugual, apenas orem irmãos.

      Eu amo todos vocês que amam meu Deus.

  33. Elane diz:
    Boa noite a todos,

    Bom eu passei por divórcio por decisão do meu ex-marido, apesar de sofrer agressões físicas e psicológicas eu ainda queria restaurar meu casamento, mas a vontade de Deus prevalece. Eu mudei minha oração e ao inves de pedir que Deus restaura-se, passei a pedir que a vontade dEle fosse feita e que eu soubesse entender a vontade de Deus na minha vida e na minha de meu filho que com apenas 6 anos presenciou a ultima agressão de seu pai que se dizia um homem de Deus, conhecedor da Palavra, mas era crente somente na Igreja, mas em casa a história era outra. Bom Deus passou a condenar o divorcio por causa da dureza do coração do homem, por não saber ouvir e aceitar a vontade de Deus na vida de cada um de nós, mas será que Deus abençõa um amor que agride, que machuca, fere o corpo e a alma do conjuge? acredito que não. Penso que devemos saber ouvir e entender quão é a verdadeira vontade de Deus pra nós e principalmente aceitar. Não sou uma conhecedora profunda do assunto, mas tenho certeza que Deus nos fez a sua imagem e semelhança para sermos felizes e fazermos ao outro feliz, se não for assim, será que Deus está no centro desta união. O casamento Deus criou para que não vivermos só, mas não para estarmos mal acompanhados dormindo muitas vezes com o inimigo. Seja feliz, verdadeiro, honesto com seus sentimentos e inteiramente esposo da sua companheira, se Deus te perdoou seja lá qual for o seu erro Ele não se lembra mais, então porque você se importa tanto com o passado? O divórcio é pecado? Mas viver pecando todo os dias um falso casamento não é pecado?

  34. Anidelly diz:
    gostaria de saber o casal é evangélico é o esposo bater na esposa mesmo assim tem que viver juntos não pode se divorcia é obrigado a conviver.
  35. Laércio diz:
    No caso de violência no casamento.
    Um cara que espanca a mulher não é crente nem aqui nem na china.
    vamos analisar as escrituras.
    “Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel.” (I Timóteo 5 : 8 )
    Já mostra que o sujeito não é crente.

    Qual a primeira atitude da mulher.
    I Corintios CAPÍTULO 6
    1 OUSA algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos?
    2 Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas?
    3 Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?
    4 Então, se tiverdes negócios em juízo, pertencentes a esta vida, pondes para julgá-los os que são de menos estima na igreja?
    5 Para vos envergonhar o digo. Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos?
    6 Mas o irmão vai a juízo com o irmão, e isto perante infiéis.

    Deve-se levar o camarada na frente dos pastores e presbíteros da igreja, para o sujeito ser ali punido devidamente.
    se mesmo assim não resolver, ainda tem como apelar para uma separação mas sem segundo casamento.

    “Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.” (I Coríntios 7 : 11)

    Por que a bíblia não é contra a separação, ela restringe é o segundo casamento a alguns ter, na qual libera-o devido a o ato de adultério.

    Se o sujeito não procurar mais a reconciliação, e casar com outra pessoa, liberada está a esposa para um novo matrimônio.

    a bíblia nunca obrigou a ninguém ficar junto, mas sim proibi o adultério.

    então irmã eu acho que antes de mais nada é procurar os Pastores, se não resolver eles saberão o que te orientar.

    18 Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu.
    19 Também vos digo que, se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus.

    Amém.

  36. Davi diz:
    Acho que é por aí,Laércio.Apenas discordo na questão de ir a juízo pois ali Paulo fala de “negócios” entre irmãos e não de algo tão sério e que em muitos casos está envolvido até a vida de uma mulher. Todos tem direito de uma segunda chance e arrependimento,mesmo um agressor ocasional.No entanto,se a agressão é uma prática, além de a igreja excomungar o infeliz a mulher deveria também denuncia-lo às autoridades constituidas por Deus para garantir a integridade física.Incentivo as mulheres que façam isso sem consciência pesada e lembrem-se,o marido que faz isso à mulher nada tem a ver com Deus.Ele não é seu irmão cristão e se a igreja tiver vergonha também deveria expulsar um praticante inpenitente dessa maldade. fiquem com Deus!
  37. Junior Gonçalves diz:
    Olhem a minha situação por exemplo; A minha ex esposa estava de caso com um rapaz da minha igreja, o detalhe é que ele era meu amigo, e ai como q fica agora, sou obrigado a ficar com uma adultera? não posso ter outra oportunidade de ser feliz com alguém que me ame de verdade? aguardando repostas dos sábios…
  38. ClênioCórdova diz:
    Quando se trata de ser feliz vale tudo. Faça como eu arrumei outra e sou muito feliz hoje. ( Deus há de nos perdoar más, temos que assumir nosso erro. )
  39. Junior Gonçalves diz:
    Verdade Vamos ser felizes!!
  40. Chrystian diz:
    Gostei de comentar aqui no site :P

    Vamo lá:

    “Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não esta sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz.” (I Coríntios 7 : 15)

    Esse versículo pra mim já fecha toda discussão…
    1- se o DESCRENTE se apartar
    2- em nenhum momento o versículo permite casar novamente, mesmo que seja o descrente que tenha apartado.

    Sobre o segundo versículo mencionado no texto, deixo aqui um texto de uma fonte:

    “Explicação:

    1.1 Notemos aqui que o Senhor Jesus Cristo está afirmando a indissolubilidade total do casamento enquanto o marido e a esposa estão vivos. Note que somente no evangelho de Mateus (Mat. 5:32 e Mat. 19:9) estão inseridas a resalva “a não ser por causa de fornicação” (note que essa é que é a correta palavra usada inclusive por João Ferreira de Almeida em 1693 pois vem do grego “porneia”), porque isso se aplica a situação peculiar dos Judeus. Veja no verso 5:1 a quem Ele estava se dirigindo: à multidão e aos discípulos. Essa foi a exata situação que inicialmente José pensou erradamente de Maria. Os fariseus, também, cometeram esse erro mas de forma blasfema em João 8:41, acusando o Senhor Jesus com sendo nascido de fornicação (porneia) e não de adultério (moicheia). Note que em Mat. 1:20 o anjo dirigindo-se a José, chamou Maria de “tua mulher” (ou esposa) embora o casamento não tinha sido celebrado e consumado, ou seja, eles ainda não tinham se tornado uma só carne, mas eram marido e mulher. Nesse caso, Jesus está dizendo que o casamento poderia ser cancelado, caso houvesse fornicação, situação na qual a pessoa está a um passo do inferno (1 Cor. 6:10, Judas 1:7, Ap. 21:8).

    1.2 Note que a palavra não é o verbo comete adultério (moichao), que ocorre duas vezes no verso, mas propositalmente não é usada pelo Senhor Jesus para a exceção. Por quê? Teria O Mestre se esquecido? Teria Ele perdido essa oportunidade de ser claro, usando o triste fato do adultério para a desculpa do divórcio? Não. A palavra adultério não foi usada porque a exceção não se aplica aos que se tornaram uma só carne, mas aos que estavam em contrato de casamento (em Hebraico: ‘aras ou kiddushin, em inglês: betrothal – Ex. 22:16, Lev. 19:20, Dt. 22:23, 28:30). Note que no mesmo evangelho (Mt. 1:18), Maria era desposada (Grego: mnesteuo) com José e não casada (gameo). É para esse caso especial, e apenas nesse caso dos Judeus, que Jesus está se referindo, porque o casamento não tinha se consumado. Nesse caso, o pecado é fornicação que quebraria o pacto do “esposamento” e não de casamento. É muito simples! ”

    Fonte: http://www.baptistlink.com/creationists/divorciarecasaadultera.htm

    Paz!

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Mostrar um dos meus últimos posts