Eu voltei

Resultado de imagem para he´s back

Quando penso na ideia de estar de volta, é comum lembrar dessa manchete do Clarim Diário anunciando que o Homem Aranha estava de volta no filme de 2004.

Tudo estava igual como era antes

Quase nada se modificou

Acho que só eu mesmo mudei

E voltei

Eu voltei agora pra ficar

Porque aqui, aqui é meu lugar

Eu voltei pras coisas que eu deixei

Eu voltei

(Trecho da canção “O portão” de Roberto Carlos)

Estou concluindo meu curso de psicologia que tem a duração de 5 anos. Por isso tenho postado tão pouco nos últimos anos e ainda não tinha postado nada neste ano. Agora que o meu curso está quase no fim, eu posso retornar a fazer coisas que me dão prazer e demandam um pouco mais de tempo. Um de meus planos que se fortaleceu durante o tempo em que estive estudando psicologia era escrever com mais frequência assim que estivesse livre do curso. Escrever sobre tudo o que eu achasse relevante fazer algum comentário. Quero escrever sobre fé, psicologia, política, filmes, histórias em quadrinhos, utilidade pública e o que mais eu achar que tenha algo interessante para dizer.

 

Ainda tenho minha fé, contrariando os que pensam que a faculdade transforme todo crente em ateu.  Além do blog, também penso em criar um canal no Youtube para postar vídeos sobre os assuntos que eu escrever e assim alcançar um outro público que não é tão ligado em leituras. Acredito que muitas pessoas estão sendo enganadas e é importante que alguém tente esclarecê-las. Eu pretendo fazer isso. Pretendo falar de coisas que não são muito faladas, mas também de coisas que já são faladas, mas de forma mais simplificada, ou tentando interligar ideias que normalmente são entendidas como não tendo “nada a ver” com outras. Espero conseguir. Até mais.

Os provérbios de Deus

“mas de mim Deus fez um provérbio para todos, um homem em cujo rosto os outros cospem. Jó 17:6

Agora, porém, sou a sua canção, e lhes sirvo de provérbio. Jó 30:9

Tu nos pões por provérbio entre os gentios, por movimento de cabeça entre os povos. Salmos 44:14

E serás por pasmo, por ditado, e por fábula, entre todos os povos a que o Senhor te levará. Deuteronômio 28:37

 

Provérbio no dicionário Michaelis

pro.vér.bio

sm (lat proverbiu) 1 Máxima breve e popular; adágio, anexim, ditado, rifão, sentença moral. 2 Pequena comédia que tem por entrecho o desenvolvimento de um provérbio.

Relendo o livro de Jó(provavelmente pela quinta vez), encontrei esse verso e o postei no meu perfil do Facebook, onde venho tentando mostrar, nos últimos dias,  através de trechos do livro de Jó que mesmo Deus sendo amor, Ele ainda é capaz de fazer com seus amados que alguns acham que ele jamais faria.Mais tarde pensei naquilo que Jó afirma: que Deus teria feito dele “um provérbio para todos”. Provavelmente essa é uma das justificativas para Deus causar ou permitir o sofrimento na Terra, mesmo com os “inocentes”. Deus usa o sofrimento de alguns como um provérbio, um ensinamento para todos.

É claro que poderia ser apenas algo dito por Jó num momento de dor, sem conexão com a realidade(para quem não acha que cada afirmação na Bíblia é inspirada) mas a verdade é que o sofrimento de alguns como tendo utilidade para outros é um tema que a Bíblia aborda constantemente, conforme exemplificado nos versos do começo desse post e em outros diversos.

Eu jogarei imundície sobre você, e a tratarei com desprezo; farei de você um exemplo. Naum 3:6

Porque me parece que Deus nos colocou a nós, os apóstolos, em último lugar, como condenados à morte. Temo-nos tornado um espetáculo para o mundo, tanto diante de anjos como de homens. 1 Coríntios 4:9

O sofrimento pode servir tanto para o crescimento da pessoa que sofre quanto para o crescimento de outras (não apenas como vingança, como muitos imaginam). Por isso é que mesmo uma pessoa ou ser que aparentemente não tem no que crescer (como crianças e animais) o sofrimento pode ser aplicado ou permitido por Deus.Todos nós provavelmente já fomos tocados e ensinados por exemplos de pessoas que passaram por grandes sofrimentos.

Pode parecer injustiça que alguém “inocente” tenha de sofrer para ensinar algo aos outros, ainda mais para pessoas que não são tão inocentes assim mas é algo que Deus faz e que acha aceitável, além de ser algo parecido com o que Cristo fez (Cristo não foi só um exemplo, mas também foi e aceitou sofrer tanto na morte quanto em vida por nós, pois não é moleza para Deus ter de viver como homem).

É claro que nem todos entendem a mensagem corretamente.Há quem entenda que se alguém sofre, sofre porque merece e esse foi o entendimento dos amigos de Jó.Provavelmente muitos dos que o viam como provérbio, diziam que era o exemplo do que acontece a um homem sem Deus, embora isso não fosse verdade.Paulo e outros apóstolos também foram mal interpretados por muitos no seu sofrimento:

Nós somos loucos por causa de Cristo, mas vocês são sensatos em Cristo! Nós somos fracos, mas vocês são fortes! Vocês são respeitados, mas nós somos desprezados!

Até agora estamos passando fome, sede e necessidade de roupas, estamos sendo tratados brutalmente, não temos residência certa e trabalhamos arduamente com nossas próprias mãos. Quando somos amaldiçoados, abençoamos; quando perseguidos, suportamos; quando caluniados, respondemos amavelmente. Até agora nos tornamos a escória da terra, o lixo do mundo.

1 Coríntios 4:10-13

Quantos ainda querem ser usados sabendo disso?Que Deus nos ajude a dormir com esse barulho.

Feliz natal – Reflexões sobre o filme e a guerra

merry-christmas-joyeux-noel-poster[1]

agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto.Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade […] para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades.E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto;Porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito.Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus;

 

Efésios 2:13-19

 

Sinopse:No Natal de 1914, durante a 1ª Guerra Mundial, soldados franceses, escoceses e alemães abandonam seus rifles nas trincheiras e saem na neve, à noite, para comemorem juntos o Natal. É o suficiente para mudar a vida de um padre anglicano, um tenente francês, um tenor alemão e sua companheira, uma soprano.

 

Considero o filme Feliz Natal(Joyeux Noël) o melhor filme de guerra que já assisti.

 

O filme todo mostra a guerra como algo terrível, como sendo uma obrigação terrível para os que participaram dela.Nenhum personagem carismático a vê com bons olhos e nem com empolgação.

 

Além da crítica, o milagre da trégua é algo lindo de se ver.No meio de uma guerra desumana ressurge a humanidade de tantos homens.

 

O natal é o que causa essa trégua e une essas diferentes tropas de diferentes nações, o que me fez lembrar da passagem bíblica que cito no inicio desse texto.Mais tarde o padre que apoiou a trégua diz que tentou seguir a Jesus da melhor forma possível, ao apoiar essa união de povos.Sua interpretação dos fatos é diferente da do outro religioso que tenta usar uma outra passagem bíblica de forma distorcida para incentivar uma outra tropa a destruir seus inimigos:

 

Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada;

Mateus 10:34

 

O falso profeta afirma que a espada do Senhor estava com os soldados e que eles deveriam destruir o exército do outro povo, pois esses não eram “filhos de Deus” como eles seriam.Usa como argumento que o outro exercito faz coisas terríveis que eles mesmos não fazem.A solução?Fazer as mesmas coisas com eles agora, para que não se levantem mais.

 

Diante disso, o padre que apoiou a trégua deixa seu crucifixo pendurado num lugar e vai embora, simbolizando talvez um abandono de Fé por achar que Jesus pudesse mesmo ter algo a ver com aquela loucura;ou talvez o padre apenas tenha abandonado aquela forma tradicional de crer e tenha decidido andar de forma independente, de acordo com sua consciência.

 

Isso representa bem muito da nossa realidade atual, onde muitos homens distorcem a Bíblia a fim de conseguir lucro ou incutir falsas ideologias na mente das pessoas.Muitos se afastam das igrejas por não conseguirem diferenciar o que Deus realmente diz e o que é distorcido.Outros abandonam o convívio com grupos por entenderem de forma muito diferente dos demais e aí vão viver a sua espiritualidade de forma independente e informal.

 

Num certo momento, um pai conversa sobre o filho sobre a guerra.O pai, que acha a guerra importante e detestou saber da trégua, acha terrível que tenha chegado um tempo em que uma pá tenha valido mais que uma arma (talvez se referindo ao prolongamento da trégua a fim de que as tropas de ambos os lados pudessem enterrar seus mortos).Esse tipo de gente não conseguiria se contentar com o Paraíso:

 

Ele julgará entre muitos povos e resolverá contendas entre nações poderosas e distantes. Das suas espadas, farão arados, e das suas lanças, foices. Nenhuma nação erguerá a espada contra outra, e não aprenderão mais a guerra.

Todo homem poderá sentar-se debaixo da sua videira e debaixo da sua figueira, e ninguém os incomodará, pois assim falou o Senhor dos Exércitos.

 

Miquéias 4:3-4